sexta-feira, 5 de março de 2010

Chove outra vez!


Chove outra vez!
Sempre que chove lembro-me de ti.
A chuva tem o tem o teu cheiro,
Principalmente quando a terra está seca e se abre assim
Para cada torrão receber uma gota
A chuva tem o teu cheiro
Um cheiro novo e antigo ao mesmo tempo,
Lavado e suor, sal e doce

7 comentários:

Diogo disse...

Pois a mim, estas chuvadas contínuas entremeadas de dias gelados, andam a deixar-me ficar de mau humor. Que pena que o aquecimento global seja uma fraude. Quem me dera uma subida de 5 a 10 graus já no próximo ano!

Beijo

Ana disse...

Calma lá com esses frios!!
Gosto do tepo assim. Dizem que condiz com o meu estado de espírito.
Ana, vamos lá esquecer coisas bonitas, mas já passadas e descobrir outras chuvas, outros sabores, outros cheiros.
Bj

Maria disse...

Está a terra cheia de água, sem poder absorver mais. Temo que os grãos que estavam fecundados tenham ido cheia abaixo... e a terra não cumpra a sua função de dar o fruto que esperamos.

Um beijo, Ana.

Fernando Samuel disse...

Vista assim, a chuva é bela. No entanto...


Um beijo.

Zorze disse...

A chuva é importante para as couvinhas medrarem.
Se não chove é mau porque teremos seca. Se chove é mau porque é desagradável.
Se personaliza-se-mos o clima ele diria olhando cá para baixo: Bolas, estes humanos são difíceis de compreender!

Beijos,
Zorze

Mar Arável disse...

Por vezes

um corpo inteiro

Ana Camarra disse...

Diogo

Também estou fartinha, fartinha mesmo.

Ana

Eu funciono a sol e luz, este tempo deixa-me em baixo de forma.

Maria

Sabes que te digo? As alfaces vão aumentar, há anos que é por causa da seca, este ano é por excesso, mas aposto que os coentros também

Fernando Samuel

Ainda assim...

Mar Aravél

Tudo de corpo inteiro!

Beijos