Se Deus existe tem um mau feitio do Caraças! (Parte 3)

È mais forte que eu!
Cada vez que investigo o velho testamento fico completamente á toa.
Moisés!
Parece que os egípcios de vez em quando passavam-se da marmita e resolviam fazer limpezas étnicas, nessa altura, que foi há muitos, muitos anos, lembraram-se de limpar o sarampo a todos os hebreus, rapazes, com menos de um ano de idade.
A mãe de Moisés não se conforma com isso.
Normal, que mãe se conforma com essa perspectiva?
Vai daí coloca o puto num cestinho, no Nilo, já me parece arriscado porque o Nilo tem crocodilos entre outras coisas.
Mas o cestinho lá chega pertinho da filha do Faraó, que viúva e sem crianças decide ficar com a criança e educa-la como seu.
Portanto Moisés é duplamente salvo pelo amor de duas mães!

Depois é criado e educado como Príncipe do Egipto, vida boa, parece, e torna-se culto e amado pelo Faraó e pelo povo.
Depois descobre que é da raça dos escravos, mata um feitor ou capataz, uma coisa dessas e é expulso.
Vai para o deserto, encontra uma tribo, é acolhido e casa com Seforah, mulher de armas ao que parece.
Mas não fica por aqui, vai atrás de uma cabra ou ovelha e encontra um arbusto a arder que fala com ele, diz-lhe que é Deus, dá-lhe instruções específicas para libertar o seu povo.
Pronto daí para a frente é alucinações de fartura.
Um cajado que se transforma em cobra, as 7 pragas do Egipto, onde se inclui a água transformada em sangue, chuva de sapos, gafanhotos esfomeados e a morte de todos os primogénitos do Egipto.
Francamente!
Havia necessidade?

Não era mais simples ter ficado no Egipto, chegar ao trono e tratar de arrumar aquela sociedade de outra forma?
Não seria muito melhor?
Se Deus manda, é pai, porque não resolve as coisas de outra forma menos bárbara!
Depois Moisés separa o Mar Vermelho, leva o pessoal todo, sem comida, lá Deus lhe manda o maná dos céus, já agora era bom que mandasse mais disso para tanto lado!
Moisés vai para recolhimento, parece que teve uma carrada de tempo a falar com o arbusto, que lhe entregou os dez mandamentos (assunto longo que vou passar á frente porque dá para vários textos, fica para outra ocasião), parece que nessa conversa Moisés envelheceu precocemente e ficou com o cabelo todo branco.
Os mandamentos de uma maneira geral não são maus, só acho que se devia cumprir, não por temor a um Deus com tanto mau feitio, mas por estar correcto, na generalidade…
Que posso dizer que são histórias que não lembram a ninguém, nem esta nem as outras que já falei, nem a do Jonas a viver dentro da baleia, nem a de Job, nem do Sansão, etc.…
Coisas muito retorcidas, pouco credíveis, alucinadas, direi eu.
De facto respeito as crenças de cada um, até podem ser metáforas, como já alguém aqui comentou, mas o argumentista ou tinha um distúrbio mental ou consumia drogas duras.
Se não for assim, só posso concluir uma de duas:
Ou Deus nunca existiu e alguém se empenhou em escrever coisas deste calibre.
Ou Deus tem de facto um mau feitio do caraças!

Comentários

Marreta disse…
Já está provado que na altura os gajos apreciavam muito uma planta alucinogénica de nome Hoasca, que existia no Monte Sinai, e que actualmente também se pode encontrar na selva amazónica.
Tudo o resto eram tripes sagradas!
Saudações psicadélicas do Marreta.
Ana Camarra disse…
Marreta

Estou contigo, grandes tripes sagradas!

Só pode!

um beijo
Anónimo disse…
Miuda

Não sei quem é o Marreta, mas está coberto de razão.
Embora ache que era LSD...
Quanto ao que escreves está muito bem, só loucuras que esta gente inventa só me faz e pensar que existe malta que acredita nisso, malta culta inteligente e acredita nessas cenas!

Fantástico.

Nem o velho Julio Verne se lembrava de tais tretas, esse ó menos escrevia sobre coisas que depois bateram certinho.

Beijaças

Paulo (el niño)
Anónimo disse…
Anita

Eu sou católico, como sabes.
No entanto acho que olhando como olhas tens uma certa razão, mesmo que sejam metaforas, como foi aqui bem dito.
São metaforas e tu sabes disso lindamente, que és esperta como um alho, mas pronto, percebo-te.
E está bem escrito para não variar.

beijos grandes


Zé Manuel
SENSEI disse…
Olha quem tu foste buscar o Moisés.

Outro que andava viciado nas ervas duras, pois um gajo que havia sido salvo das limpezas faraónicas a putos, mas putos dos escravos, que era para os gajos não se multiplicarem muito depressa, havendo o risco de virem a ser mais numerosos que os seus senhores e, isso era uma merda!

logo esse que foi colocado como dizes nas águas do Nilo infestadas de crocodilos e alguns Paulos Pedrosos, lá se safou e foi mesmo para à mãos da irmã do faraó, isto tem mesmo dias!

A gaja, cmo não tinha filhos abotoou-se com aquele nico de gente e pimba impingiu o chavalo ao seu irmão.

Mas o gajo era tão tanso que ao descobrir que era de ascendência escrava, ao invés de usar a sua posição para salvar o seu povo, preferiu passar as passas do Algarve lá da zona e ser expulso para o deserto, onde se familiarizou com a loucura, aquele solzinho na moleirinha, de certeza que não lhe deu lá muita saúde, ele lá deu com uma família de pastores, ou melhor, pastoras e pimba, atraca-se a uma delas, mas a actividade de pastor levava-o a muita solidão e deve ter descoberto as ervinhas maravilha, daí em diante foi o que todos já sabemos, era cada tripe!

A Bíblia para mim, é um excelente livro de contos para putos.

Beijos

Ouss
Diogo disse…
Ana,

Sobre Jesus Cristo e outras coisas vê este vídeo legendado em português.

Zeitgeist (Espírito dos Tempos)

É, em minha opinião, um dos mais extraordinários documentários que já vi.

http://video.google.com/videoplay?docid=-1437724226641382024
Ana Camarra disse…
Paulinho meu menino, O Marreta é um gajo baril!
Já hoje ou ontem me tinham falado do Júlio Verne.


Zé Manuel – Nunca percebi essa dos alhos é como as gajas como o milho, qualquer dia escrevo sobre as magnificas expressões que mencionamos e não sabemos o que querem dizer.
Pois eu sei que és católico, escuteiros e tal e coisa, casamento de igreja, essas coisas todas, mas não achas que era lógico e racional sem desvirtuar a vossa fé, a Igreja Católica e as outras assumirem que isto basicamente são tretas?
O que me parece é que a Igreja enquanto instituição anda para trás a passos largos.

Sensei – Pois é mais ou menos uma salganhada desse calibre. Histórias da Carochinha!

Diogo – Já vi, há uns meses estava no Ai Portugal e no Extrafisico, muito interessante, muito mesmo, até fiz um posto a aconselhar toda a gente a ver.


Beijos
Ludo Rex disse…
Lol, brilhante moça... Espero por mais :-)
Tens que compilar isto.
Kiss
Ana Camarra disse…
Ludo Rex


Logo se vê!


Beijos
CRN disse…
Ana,
Uma forma primitiva de manipulação, ou nem por isso.

A revolução é hoje!
salvoconduto disse…
Tábuas, só conheço as do tiro ao alvaro...

É mais ou menos assim:

De tanto leva frechada do teu olhar
Meu peito até parece sabe o que?
Taubua de tiro ao alvaro
Não tem mais onde fura

Teu olhar mata mais do que bala de carabina
Que veneno estriquinina
Que pecheira de baiano
Teu olhar mata mais que atropelamento de automover
Mata mais que bala de revorver

Ah grande Ellis.

Abreijo
Carlos Portugal disse…
Cara Ana:
Segundo vários egiptólogos, entre os quais Christian Jacques, Moisés (ou Moses) não era um nome mas um título de nobreza egípcio que quereria dizer, muito simplesmente... Rei. Ou faraó, no caso.

Temos exemplos desse título acrescentado ao nome do monarca: Tutmoses, Ahmoses, etc.

Assim, especula-se que ele seria o próprio faraó, talvez não Ramsés III, mas possivelmente Amenófis IV que, ao se tornar adorador do Deus único, mudou o nome para Akhenaton e, devido às pressões e perseguições que lhe moveram os poderosos sacerdotes politeístas de Tebas, abandonou a sua nova capital Tel-el-Amarna e dirigiu-se com a sua população e os seus guardadores de rebanhos nómadas para a Palestina, por ser uma possessão egípcia ameaçada pelos Hititas.

Aliás, há diversos símbolos condizentes com esta teoria: as Tábuas da Lei têm a forma exacta dos «cartuchos» egípcios, onde se escreviam os nomes dos faraós ou os escritos de culto sagrado. Também, os seus seguidores, ao efectuarem a estátua do dito «bezerro de ouro» deram-lhe a forma do Boi Ápis do antigo culto egípcio, com o disco solar sobre a cabeça e tudo... E há muito mais.

Para apimentar ainda mais a controvérsia, os Cátaros e os Albigenses do Languedoc diziam que o Antigo Testamento era uma enorme confusão de sombras e de Luz, escrito e reescrito inúmeras vezes, e que, na batalha entre São Miguel e os anjos rebeldes, teriam havido dois arcanjos caídos: Lúcifer e Jeová. Depois, Lúcifer tentava a Humanidade e Jeová, fazendo-se passar pelo Criador, ameaçava com castigos terríveis. Verdadeiramente uma dupla infernal.

Na verdade, um «deus» que maltrata e destrói a sua Criação não pode ser o Criador, expressão máxiam da Luz e do Bem, mas sim um travestismo próprio de um demónio sanguinário, que quer a todo custo destruir a Obra Daquele que Foi, que É e que Será.

Sou católico, e para mim, a ideia de Deus é a transmitida pelo Cristo: Luz e Amor, próprios do Ser que tudo criou.

Assim, a Cara Ana tem toda a razão em dizer que o Jeová do Antigo Testamento - e da Tora - tem mau feitio, pois não é Deus, não passando de um demónio.

Desculpe esta minha intromissão nesta Sua Casa, mas gostei e desejei comentar.

Cumprimentos.
Ana Camarra disse…
CRN – Pois é uma forma primitiva com resultados de longo alcance!

Salvoconduto – Grande Ellis, divina!

Carlos Portugal – Muito interessante essa perspectiva, volte sempre que desejar.

Beijos
Ana Camarra disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
AP disse…
Sobre a resposta ao Zé Manel digo que a Igreja Católica admite que isto são "tretas", pois não passam de factos históricos misturados com muitas figuras de estilo e metáforas. Há que ter em conta também o modo de escrita na antiguidade no médio oriente, o pensamento era elíptico e não linear (dedutivo/indutivo) como no ocidente.
Mas enfim a Igreja diz estas coisas muito baixinho, em vez do o dizer frontalmente, também porque sabe da ignorância dos seus fiéis!

Sobre o texto, só posso dizer que está muito bom. Realmente este Moisés devia ter uma costela Tuga, já que fazia tudo da maneira mais difícil!
Ana Camarra disse…
AP

Não tinha pensado nisso, mas sim devia ter costela tuga, bem visto!

beijos
Fernando Samuel disse…
Conclusão: o gajo existe, mesmo - e tem um feitio do diabo...


Um beijo.
Ana Camarra disse…
fernando samuel

Boa conclusão!

beijos