quinta-feira, 3 de julho de 2008

Adolescentes



Tenho a adolescência estereofónica lá em casa.
Fomos apressados e produzimos dois rebentos em menos de dois anos.
Dois rapazões, que são sempre os meus meninos, com quem tenho a cegueira de não ver que já calçam o 45 e vestem roupas maiores que o pai.
Os meus meninos estão de férias, o que é muito mau.
Um desenvolveu um cordão umbilical com o computador, nos intervalos come e leva o cão á rua, toma banho e eventualmente sai para namorar.
O outro, também desenvolve amplamente as capacidades informática intervalando a coisa com namorico, idas á praia e passeios de bicicleta.

Até aqui tudo certo, se:

1º Não conseguissem fazer downloads de uma giga numa hora
2ºNão se deslocassem de quarto em quarto de hora á dispensa e ao frigorifico


Resultado:

1º Era meia-noite e pai incrédulo vociferava com o estado da conta da Internet ao segundo dia do mês.
Eles quase que alvitraram ser o cão a ter tal desvario informático.
Eles não foram.
A discussão prolonga-se pela noite dentro com troca de argumentos entre pai e filhos quase até a exasperação,tive de intervir, é esquecer, acabou-se a Internet até ordens maternais senão temos um problema familiar e conjugal á porta, só os nascidos anteriormente á ultima década do século passado tem autorização para aceder á Internet, lá em casa.

2º Só falta comerem as prateleiras da dispensa.
O frigorífico apresenta um ar tão povoado com o deserto do Saara.
Pão, bolachas, cerais, sumos, pacotes de leite, bifes, hambúrgueres, manteiga, fiambre, queijo, compotas, chocolates diversos, tudo se evapora a uma velocidade estonteante.
Calhou-me na sorte 2 rapazes, se fossem raparigas comiam menos, gastavam mais noutros arrebiques.
O esparguete é cozido aos pacotes inteiros, o bolo feito cá pela mãezinha ás oito da noite, tem um rasto de míseras migalhas no prato no outro dia de manhã.

Enfim com a crise que se instalou e o nível da minha conta bancária abaixo do mar, o pai olha para mim e diz “O queres tu fazer? São saudáveis, bons alunos e tirando estes fait-divers nunca deram chatices, que se lixe!

Enfim resta-me ir reabastecer ao supermercado e pensar se neste cantinho á beira-mar plantado os filhos não serão um sinal exterior de riqueza.

26 comentários:

Anónimo disse...

È mesmo isso parecem uns desalmados!
Os meus fazem o mesmo!
Caramba, este blogue arrepia, não seremos gémias separadas á nascença?!

Anónimo disse...

Intimista, mordaz, actual...
Bonito, muito bonito...

Atever disse...

Ter filhos, nos tempos que correm, é um luxo mas, como todos os luxos, dão um enorme prazer.
Eu costumo dizer que o dinheiro mais bem gasto é aquele que, por definição social, é considerado mal gasto.
E quanto a contas de internet, nada melhor que um "pacote" sem limites.
Eu andei uns tempos a "poupar" e bastava deixar o consumo "descarrilar" um mês para se irem as poupanças de dois. Mudei para o tal pacote sem limites e pelo menos já sei que a conta é sempre a mesma.
Para o problema do "frigorífico" é que não há volta a dar. Os hipermercados ainda não fornecem "pacotes" de consumo ilimitado eheheh. É pena...
Beijinho.

Capitão Merda disse...

Quanto pesa cada um deles?

;)

Eduardo disse...

Anita

Que lhe posso dizer, faz parte do processo de crescimento e de facto é verdade os homens em crescimento comem este mundo e o outro também.
A net, dantes era rua e muita nas férias, quais telemoveis, nem se pensava que cada casa ia ter o seu computador.

O Crn não gostou da música anterior, mas eu gostei muito!
Esta então é uma maravilha ao tempo que eu não ouvia Tom Waits.
Na mouche!

Um GRANDE BEIJO

Anónimo disse...

Ana

Imagino-a assim: alta, com umas curvinhas, olhos brilhantes, já sei morena e ainda em muito bom estado!
Tem amigos muitos que tem por si um carinho muito grande, tem estes amigos virtuais também.
Governa uma casa só com homens, é a menina.
Tem um bom gosto do caraças.
Pronto é comuna, mas isso não defeito!
Interveniente, activa, não se deixa ir abaixo com duas cantigas.
É atenta.

Como escreveu o Atever é uma grande pessoa.
Abençoado quem lhe construi o blogue.

ferroadas disse...

Olá amiga

Já plantaste a árvore e escreveste o livro?

Eu também fiz dois homens, já plantei duas árvores (no dia em que nasceram) só me falta o livros/s. Talvez fique para quando nos cortarem a blogosfera.

BJS

Anónimo disse...

Não consigo mesmo deixar de cá vir, como é que vai ser nas férias?
Você vai de férias, para um sitio com ou sem internet?
Muito tempo?
Qundo?
Onde?

Anónimo disse...

Ana

Já fui ao blogue do José Gil para perceber porque é que é do contra e já percebi, claro!
Mas não interessa mesmo em campos opostos é o primeiro a reconhecer o seu talento e a sua escrita balsamica.

Se todos os opositores politicos fossem assim a chafarica andava melhor.

Já estou como ele, não deixe de ser comuna, não deixe de ser quem é.

Este texto genial, como sempre,intimista, a brincar fala de coisas sérias e muito importantes: a falta de cultura de rua dos jovens, o agarrar das novas tecnologias, o aumento do custo de vida, os filhos que crescem e para nós são sempre pequenos.

Beijos

Augusto

Eric Blair disse...

pá, não te dou conselhos; peço-tos daqui a 10anitos.

Ana Camarra disse...

Anónimo 1 – Não tenho irmã gémea, que saiba. Sou é neta de gémeas.

Anónimo 2/Eduardo/Anónimo 3/Augusto – Obrigado

Atever – Pois é!

Capitão – Pesam muito, mas ás vezes tenho muita saudade de os pegar ao colo.

Ferroadas – Tenho tido desafios para escrever um livro, não sei, estou a pensar no assunto. Árvores já plantei, não em terrenos meus, mas também conta. Desde que assim não fique a ser Homem (Era esse o conceito para ser homem-plantar uma árvore, fazer um filho, escrever um livro). Gosto de ser gaja.

Anónimo 4 – Já quer saber demais. Mas de férias desligo-me do dia-a-dia.

Eric – Se eu ainda cá estiver estás a vontade, mas se os conselhos fossem coisas muito boas vendiam-se (ou não, porque há muitas coisas boas que não são transaccionadas, felizmente).


beijitos a todos

Capitão Merda disse...

Eheheheheh!
Gabam-te os "posts", gabam-te a beleza...
;)

Ana Camarra disse...

Capitão - è só graxa! Eu até tenho medo, quando a esmola é muito.

Mac Adame disse...

Por essas e por outras é que me fico por uma, se tudo correr bem. Nunca comerá tanto, mas só em Barbies e vestidinhos a que a mãe não resiste é uma conta com muitos números. Já em relação à internet, enquanto me mantiver longe do país do choque tecnológico, não há qualquer tipo de problema. Essa coisa de pagar downloads só mesmo aí (e talvez no resto da Europa, suponho). Aqui é fazer downloads à vontade, que a conta no fim do mês é a mesma. E a velocidade é também a mesma, mesmo sem se ter andado por aí a apregoar choques tecnológicos. Por enquanto, que a União Europeia já anda aqui a meter de mais o bedelho, dizendo que é cooperação e tal, mas devem andar é a explicar aos governos asiáticos como roubar muito em pouco tempo, isso sim. Eu atropelava todos os políticos europeus que por aqui aparecessem, se pudesse, mas os estupores andam sempre bem escoltados.

Bino disse...

Tal e qual a minha mais velha que tem 14 anos. Na segunda feira, conseguimos que fosse à praia com uma amiga. Levava o portátil na sacola à socapa, por acaso foi descoberta e não deixámos que o levasse. Também tenho estado à espera da conta da net...

anad disse...

Que artigo tão cheio de ternura. Eu tenho quatro filhos que já estão nas suas casas. Dou-lhe o valor do que é a adolescência.
Um abraço
Anad

CRN disse...

http://caparicaredneck.blogspot.com/2008/06/fico-pode-tornar-realidade-assustadora.html

Ana Camarra disse...

Mac – Vê lá se eles não chegam até aí. Em relação á miúda prepara-te que nós gajas somos piores, vai-te por o pelo todo branquinho…

Bino - Estamos feitos.

Anad – Quatro é obra! Com dois já me vejo em palpos de aranha.

Crn-Já lá fui. Então desta música gostas?


Beijocas

Zé Ferradura disse...

Ana,
O importante é os "putos serem irreverentes,responsáveis, saudáveis e com muita garra de viver!

Viva La vida!

bjc
Zé ferradura

CRN disse...

Curiosamente, sou músico e musicólogo aficionado, entre beldruegas e urtigas, dei-me conta que não saio do seu blog há aproximadamente 20 minutos, ainda aproveitando para ir escrevendo em blogues de outros camaradas, denota-se muito bom gosto musical, já nem me lembrava do "goodbye blue sky".

.. e também escreve bem, muito boa!

Cumprimentos. Siga, siga.

Ana Camarra disse...

crn

Também estou a por a escrita em dia.

Ainda bem que gosta!´

Zé Ferradura - Isto são desabafos de mãe.

SENSEI disse...

POIS É, OLHA LEMBREI-ME DISTO DO CAMARADA CARLOS DO CARMO:

Uma bola de pano, num charco
Um sorriso traquina, um chuto
Na ladeira a correr, um arco
O céu no olhar, dum puto.

Uma fisga que atira a esperança
Um pardal de calções, astuto
E a força de ser criança
Contra a força dum chui, que é bruto.

Parecem bandos de pardais à solta
Os putos, os putos
São como índios, capitães da malta
Os putos, os putos
Mas quando a tarde cai
Vai-se a revolta
Sentam-se ao colo do pai
É a ternura que volta
E ouvem-no a falar do homem novo
São os putos deste povo
A aprenderem a ser homens.

As caricas brilhando na mão
A vontade que salta ao eixo
Um puto que diz que não
Se a porrada vier não deixo

Um berlinde abafado na escola
Um pião na algibeira sem cor
Um puto que pede esmola
Porque a fome lhe abafa a dor.
(Carlos do Carmo)

DEDICADO AOS PUTOS DE PORTUGAL, PUTOS COMO OS MEUS, OS TEUS E OS DE TODOS, SÓ NÃO QUERO QUE PEÇAM ESMOLA E JAMAIS DEIXAREI QUE TENHAM FOME, TÃO POUCO DOR, ESTÁ NAS MÃOS DE TODOS NÓS FAZER COM QUE OS NOSSOS PUTOS E PITAS, SEJAM FUTUROS CIDADÃOS CONSCIENTES, HONESTOS E JUSTOS.

PDuarte disse...

Olha que era bom os putos apanharem ar e jogarem mais à bola.

Ana Camarra disse...

Sensei - Pois todos queremos um futuro melhor para os putos deste povo.

pduarte-isso queria eu, um não sai (só para namoriscar), o outro sai muito e volta sempre cheio de fome.

Odysseus disse...

Havia aquela máxima há uns anos que era, quem tem filhos, tem Cadilhos. São fruto da virtude, com todos os problemas e alegrias que trazem. Um dia quando for pai, talvez entenda melhor o texto e o sentimento. :)

Miss K disse...

Adorei a última frase! Utilizei-a (com os respectivos links) para uma pequena reflexão sobre o assunto... espero que não te importes :)