sábado, 4 de junho de 2011

Reflexão sobre o dia de reflexão


Mais logo vou tentar deitar-me mais cedo e dormir, de manhã irei acordar pelas 5, com ainda restos de noite, irei tomar o meu banho, o meu pequeno almoço e pelas 6 estarei a abrir portas de salas de aula transformadas em secções de voto, depois vão chegando as pessoas indigitadas para aquela missão, todos a sacudir o sono, todos a esperar que valha a pena aquele domingo longo, serão contados boletins de voto, afixados editais, feitas actas, onde nunca constará a realidade de mais um dia de eleições, haverá quem vá votar por sentido de dever cívico, quem vá pela primeira vez, quem vá quase comovido, haverá quem entra e sai da cabine onde faz a sua escolha com rapidez, de quem sabe o que quer, haverá quem demore mais tempo porque até ao ultimo momento não estará certo da escolha, estarei ali quase todo o dia a indicar locais, distribuir águas aos membros da mesa, haverá pedaços de tédio, e alturas de grande movimento, tirei comigo uma lista de dez mil nomes por ordem alfabética para ainda assim esclarecer, irei ter esperanças, irei sentir a angustia do ultimo acto eleitoral legislativo que tive de interromper para gerir a noticia da morte de uma pessoa querida, tive de largar tudo, abraçar e consolar familiares, dar a noticia a outros, deixa-los acompanhados para vir terminar as minhas funções, no fim das minhas funções ajudo a colocar lacre em envelopes, entrego pacotes ás autoridades policiais, comunico resultados oficiais a entidades civis, alegro-me ou entristeço-me, conforme os resultados, faço as minhas leituras pessoais, ainda me junto aos meus camaradas para juntos olharmos para as coisas, por fim regresso a casa já noite, há uma sopa que acabei de fazer agora, o chuveiro á minha espera e espero que a perspectiva que todo este trabalho, todo este longo domingo não seja em vão.

3 comentários:

ava n'tesma disse...

se recebeu uns tustes nã foi em bão

se foi de graça patiença

anad disse...

Vou para a Índiaaaaaaaaaaaaaaaaaa no dia 29 e só volto a 15 de Setembro.
Beijinhos
Anad

josé Manangão disse...

Então miuda!
Quando é que acaba essa reflexão?Vamos embora há muita palha para ceifar!
Abraço
Manangão