Palavras e Imagens


Dizem que uma imagem vale mais que mil palavras, mas as imagens, tal como as palavras podem ser manipuladas, podemos retirar do contexto meia dúzia de palavras e dize-las ou escreve-las assim, amputadas do contexto original, e passam a ter outro sentido, tal como as imagens, podemos no meio de uma ruína á beira-rio focar apenas a imagem de uma flor bravia, que nasce ali por acaso, aquela imagem passa a ser só e apenas aquela, de uma flor bravia em grande plano em contraste com o céu. E nem sequer é mentira, porque o truque está em descobrir as flores bravias em cada recanto, no meio do alcatrão, na rotina dos dias e substituir lentamente as palavras também, porque a verdade está no que se sente, podemos encher esse espaço de palavras, palavras simples ou complexas, palavras que se colam com a argamassa dos sentidos da mesma forma que num momento qualquer não vemos o lodo, uma parede derrocada perdida como um fragmento de outra coisa, apenas vemos a forma como o sol dá um tom metálico ao lodo transformando-o em paisagem preciosa, apenas vemos que aquelas paredes derrocadas estão pintadas pelo tempo, pelo tempo que lhes fez crescer musgos macios, que as fez ficar a olhar eternamente o lodo pintado de cor metálica e a servir de refugio a qualquer flor bravia que ali nasceu por acaso.

Comentários

Jorge disse…
Gosto das flores bravias..!!

Beijo.
LBJ disse…
Ou que nasceu para te provocar aquele sorriso...
Fernando Samuel disse…
Excelente - e pertinente - texto.

Um beijo.
Zorze disse…
Não acredito na imposição de contextos.
Acredito na inteligência que compreende os contextos.

Beijo.
SENSEI disse…
Ali, bem no meio do negro alcatrão, ela teve a força para através dele se erguer e, no meio do negro e mal cheiroso alcatrão, local sujo e barulhento, ergue-se a mais pura e singela flor , uma azeda, saúda o sol e expõe toda a sua beleza selvagem aos seus raios.
Por mais negra que seja a vida, há sempre nela singelas e pequenas coisas, que com a devida atenção, a fazem valer a pena ser vivida.

Ouss