sexta-feira, 17 de setembro de 2010

O meu Rio

O meu Rio é assim, haverá mais largos, mais belos, mais compridos, mais límpidos mais importantes, mas este é meu, um Rio que namoro diariamente, que só troco pelo mar, mas ele vai lá ter comigo, ao mar, espreito todos os dias o meu Rio, as gaivotas que gritam, as tainhas (sim, tainhas, fataças o que lhe queiram chamar) que saltam num bailado estranho, as garças, que lá pousam, de vez em quando um bando de flamingos encantados, patos bravos, luxos de quem pode voar.
O meu Rio é assim, olho para ele todos os dias, dá-me o que preciso, por vezes calma, por vezes paz, outras vezes força, é generoso o meu Rio, sempre foi, para mim é mais que isso, é onde o meu olhar descansa.
(foto Vasco Ribeiro)

6 comentários:

sagher disse...

as saudades que tenho de um final de tarde soalheiro a olhar para o meu rio, placidamente, sem pressas ou stress

Ana Camarra disse...

Meu amigo

Esse é um luxo que tenho, quando não é ao fim do dia é de manhã cedo, por vezes levo o livro estou no carro com uma música pré escolhida aquela meia hora divinal.
Soalheiro é lindo, mas com brumas também

beijos

Ana Camarra disse...

Meu amigo

Esse é um luxo que tenho, quando não é ao fim do dia é de manhã cedo, por vezes levo o livro estou no carro com uma música pré escolhida aquela meia hora divinal.
Soalheiro é lindo, mas com brumas também

beijos

duarte disse...

Ulhá mourémia!!! :)
abraço deste norte, e meu claro.

Anónimo disse...

POIS! há o "Menino do Rio" e nós temos cá a menina do rio!

Lindo aninha!

um abracinho

Lagartinha de Alhos vedros

josesaramago_1@hotmail.com disse...

...que belo bogue que descobri: o teu.
Toma lá o meu, mesmo que não tenha a importância que atribuo ao teu.
www.louriceirense.blogspot.com
1 beijinho do zé saramago