sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Esta sou eu


Esta sou eu, inteira e despida

Esta sou eu no

Sobressalto de quem se perde em

Mágoas antigas

Recordações mágicas

Desejos concretos

Lutas onde quando me sinto vencida

Começo tudo outra vez

Coisas práticas para resolver

Esta sou eu inteira em despida

Com os restos do que fui

Guardados no que sou

Esta sou inteira e despida

Protegida pela nudez

De quem não se quer mascarar

Esta sou eu inteira e despida

Fragilmente exposta

No que nunca fiz

No quero fazer

Esta sou eu, inteira e despida

3 comentários:

sagher disse...

E somos tantos assim

sagher disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Diogo disse...

Minha amiga, devias ponderar a publicação de um livro. Podias começar com um livro de poemas.

Beijo