segunda-feira, 27 de setembro de 2010

De forma que eu o ouça...


Todos os dias deviam de começar bem, assim de uma forma reconfortante, um pássaro a saudar o sol, uma carícia que nos acorde devagar, um cheiro a café, uma brisa suave sobre o mar, mas isso são inícios excepcionais, pouco frequentes, os dias são cheios de outras coisas, começam com um despertar por vezes abrupto ou com um rádio sempre mal sintonizado, com o sinal sonoro de marcha atrás de um camião, o ladrar de um caniche histérico noutro andar, um duche (o duche é sempre bom, a água a acariciar a pele, a espuma), o pão que já foi fresco a que se dá calor na torradeira, o sumo a empurrar comprimidos de formas diferentes, um branco com rasgo ao meio, um rosa pequenino, um branco achatado, um em forma de pevide, outro comprido (faça o que fizer Ana, nunca deixe de tomar a medicação, é fundamental. Está bem, doutor!), o café por fim, um momento de prazer que nunca falha, depois as contrariedades, o carro que não pega, o compromisso a que chegamos a horas que os outros se esqueceram, a busca por coisas que de momento não existem em stock (olho de lado para os vasos de ciclames, alfazemas, penso em perder um pouco de tempo a acariciar a terra com a ponta dos dedos, a encaixar as raízes em terra nova, a esmagar com um prazer quase sensual um pedaço de alecrim. Desvio o olhar, não vou ter tempo para isso). Tento resolver assuntos pelo telefone, espero uma mensagem qualquer que me adoce a manhã, paro um minuto, tento recomeçar o dia outra vez, afinal ainda vai a meio, pode ser que um daqueles pardais o queira celebrar de forma que eu o ouça!

4 comentários:

Fernando Samuel disse...

Vais ver que o pardalito ouviu-te mesmo.

Um beijo.

SENSEI disse...

Veio a voar e o carro andou!

Geronimo Lobo disse...

Excelente texto. Que começo de dia, esse? Que dia tão igual a outros dias de tantas outras pessoas. Nem todas as pessoas reparam nos pardais... Parabéns, pode estar aí o escape para um dia diferente.

Zorze disse...

Deixa lá ...!
O grito e os silêncios gritantes e abafados.
As carícias na terra, como a brisa suave sobre o mar e o pôr-do-sol...
E todas aquelas coisas do dia-a-dia que têm a mesma grandeza que uma cascata tropical ou um sabonete com 0,0001% de alfazema.

És linda...
Beijo.