Dado que é sexta-feira




Dado que é sexta feira inicia-se um fim de semana, para começar vou ter um noite depois de uma semana para o amargoso e um fim de semana de muito trabalho, digo eu vou ter uma noite de certeza boa, isto porque vou ao jantar anual que reúne pessoas de muitas idades, pessoas que tem por habito voluntário serem solidárias e amigas, vamos trocar umas larachas, dizer as bacoradas do costume, vazar uns jarros de sangria, provavelmente acabar a noite no bar de sempre, de frente para o rio, a usufruir da brisa.
Estamos juntos pelo Karate, embora eu sou tenha praticado uns escassos 3 meses de má memória, porque não tinha jeito nenhum para a coisa, muitos dos que estão conhecem-me desde miúda, outros fui conhecendo, há da minha idade, mais velhos, mais novos, há a jovem cirurgiã que não deixou de me visitar e tranquilizar no Hospital, há o ainda distante primo com quem partilho muitas afinidades e apesar de ser rabugento é um doce de pessoa que sei que está para o que for preciso, lavar e durar, há a amiga cúmplice, há o bem disposto que conta anedotas, o vaidoso mas que é bom moço, a amiga que já foi minha vizinha, o enfermeiro que me acordou da cirurgia com palavras de amigo e que se deslocava para me fazer pensos, a mulher dele, simpática e afável, o fisioterapeuta que se deslocava cento e tantos quilómetros três vezes por semana para me fazer massagens, o puto que conheço desde bebé que fala de mulheres com um ar envergonhado, a catequista militante de um partido de direita mas que gosta de falar comigo e os miúdos, de todos os tamanhos que comem todos juntos, inventam brincadeiras, os adolescentes que se despedem de fininho para ir ter com os amigos, os pré-adolescentes que já se acham no mesmo direito, os que por fim dizem que tem sono. Dado que hoje é sexta-feira e semana foi amarga e pesada não consigo pensar em nada melhor para me levantar o ânimo do que a sangria de amigos, o doce da fruta, o gasoso quanto baste, o quente do vinho, o tom exótico da canela, o fresco da hortelã e do gelo.

Comentários

Diogo disse…
Ana,

Desculpa dizer-te, tens um dom nato para escrever, mas tens de abordar os assuntos mais em concreto.

Não pode ser constantemente: «levantei-me com sono, dei o pequeno-almoço aos miúdos, fui meter gasolina, perdi-me no trânsito, telefonei à minha avó, passei pelo talho, etc.»

Beijo.
Anónimo disse…
Espero que te tenhas divertido!!!

Nos finalmentes é o que importa :)

Lena
salvoconduto disse…
Sangria nos amigos e bom fim de semana!
Gostei muito de regressar a Lisboa e te ver lá pelo meu Rochedo, Ana.
Também já tinha saudades. Não dos teus textos, porque continuo a seguir-te com muita atenção e interesse, mas de sentir a tua presença por lá. A tua afilhada também ficou feliz!
Beijos e bom fds
Fernando Samuel disse…
Com ingredientes tão bons ânimos até saltam...

Um beijo.