quarta-feira, 23 de junho de 2010

Ando assim...


Ando cansada, pouco reactiva, molinha mesmo, apetece-me viajar para o anuncio do Compal Light Papaia Laranja, não pelas frutas, mas por aquele mar tranquilo transparente azul turquesa, sem carros, vuvuzelas, telefones, telemóveis, banda larga ou estreita, aliás as vuvuzelas estão a bulir-me com os nervos a qualquer hora do dia parece que anda uma manada de elefantes desnorteados pelas ruas, não são, são adultos, crianças a soprar a corneta de plástico.
Eu sei que as pessoas se sentem um bocadinho mais gratificadas com as vitórias futebolísticas, sentem-se em parte vencedoras, também, apesar de tudo, sei que ninguém tem culpa que eu pouco “pesque” de bola, mas por outro lado é uma espécie de anestesia quase colectiva, que leva a população a abstrair-se de outros problemas, aqui mesmo, que nos vão massacrar a todos, aliás já massacram, a reboque do campeonato ninguém está a perceber que se preparam para retirar o feriado que era proibido antes do 25 de Abril de 1974, o Dia do Trabalhador, 1º de Maio, que ainda assim disfarçado como dia da espiga, da Primavera ou outra coisa qualquer era festejado com convívios, picnics e afins, aliás em todo o mundo é festejado nessa data, com a importância que se reveste, também não se dão conta que no mesmo embrulho podem passar a festejar o 24 de Abril, em vez da clara e límpida madrugada de liberdade, o som das vuvuzelas poderá ainda abafar outras coisas, as subidas de impostos já a malhar no lombo costumeiro, eventuais reduções prestações sociais, o fecho de mais empresas, a tentativa de fecho de mais serviços de saúde em nome da poupança e de estabelecimentos de Ensino em nome da qualidade pedagógica, a cobrança das SCUT’s, esse som irritante e desgastante faz pior, faz-me doer a cabeça, porque se junta a uma soma enorme de noites mal dormidas, em que continuo com sonhos parvos e aflitivos, junta-se ainda as inquietações de mãe face a exames e trabalhos dos seus rebentos, com contas de como manter dois jovens no ensino superior, que já só é tendencialmente gratuito, que vou passar a pagar dois passes intermodais, que aumentam já no próximo mês, que todos os dias me aparecem pessoas novas a pedir apoio que eu já não tenho, porque não consigo fazer o milagre da multiplicação dos pacotes de massa e das latas de leguminosas, porque acabo por viver meio angustiada com problemas de saúde em redor de mim, perto de mim, demasiado perto, tão perto que também os tenho, não consigo ainda fazer milagres das compras que façam falta e que não me deixem a inspeccionar a lista, quase em transe, desconfiada que os códigos de barras estavam trocados e que me registaram lagostas, queijos da serra, latas de caviar, Dom Perignon, em vez de vinho branco para tempero, postas de pescada para cozer, latas de cogumelos e iogurtes líquidos…
Ando cansada, ando cansada não daquela forma boa, que é depois do primeiro banho de mar, depois do parto de um filho, depois de fazer amor, ando cansada da pior maneira, ando cansada de me sentir espremida, exausta, exangue, vazia, como quem não tem mais para dar por muito que busque dentro de si.

4 comentários:

Fernando Samuel disse...

E no entanto tens tanto, tanto para dar.

Um beijo.

Zorze disse...

Ana,

Sentires-te vazia! Ou estás avariada ou é da vereda!
Uma Mulher, das mais completas que eu já conheci! Não me deixes ficar mal, olha que até já apostei em ti no Bwin, betadine, ou o que seja!

Estive para te telefonar por duas vezes, e por duas vezes não te telefonei.
São as coisas do arco-da-velha que desconhecemos... quando fliparmos desta vida e já sem doenças, talvez... talvez, compreendamos, prá aí 10% da moenga.

Pode ser que à 3ª seja, vamos a ver. Pode ser que faça chuva ou faça sol.

Beijocas,
Zorze

Sensei disse...

Um dia!... Um dia tudo será diferente!
Vivo assim!... Dia-a-dia, um dia de cada vez, pois só assim com esta centelha de esperança bem rubra,tenho a força necessária para lutar e dar mais um passo neste desolador deserto, em que este povo cada vez mais seco, mais não é que pó e miragens.
Luto assim e assim continuarei até que um dia, volte a chover essa Liberdade que nos tiram todos os dias.

Ouss
Master Sensei San

Mar Arável disse...

Em frente é o caminho