sexta-feira, 26 de março de 2010

Decididamente, sexta-feira!


Sexta Feira, Friday, vendredi, viernes, Freitag, vrijdag, paraskevi, o fim da semana, hoje comecei o dia sentada no carro a ver Lisboa do outro do lado do rio, linda, transparente, um bilhete postal para turistas e amantes das cidades brancas viradas para a água, um livro na mão o rádio a tocar baixinho, um homem a montar cana de pesca e demais apetrechos, outros de fato de treino a andar, outro que espreguiça a olhar para o rio com o jornal na mão que olha para mim com cumplicidade, eu com o meu livro, ele com o jornal, a fingir que lemos mas não é só aproveitar o sol na água, as arvores a murmurarem segredos para o rio, as gaivotas como brinquedos a pairar, são horas, digo até logo ao rio, vou vê-lo durante todo o dia, mas com a pressa de quem passa num sitio, corro para uma escola, os meninos querem plantar coisas, ver crescer plantas, explico o que são alfazemas, peço para fazerem festas na plantas, cheirar o aroma nas mãos, inspiram fascinados, faz um vento medonho, todos querem fazer uma toca na terra para as plantas crescerem, todos querem tirar com cuidado a planta do vaso, apertar a terra para que as raízes cresçam por ali, o vento acoita-nos, e caem uns pingos grossos, as plantas vão ficar bem, saio dali, espreito o rio pelo canto do olho, sigo para onde se distribui por sacos cachos de uvas, couves, pacotes de leite e de arroz, procurando atenuar misérias, atendo chamadas, digo que tenho sono, o dia vai acabar noite escura, as contingências do dia a dia obrigam a acções de esclarecimento, o PEC, a legislação laboral, as múltiplas armadilhas que estão a ser semeadas, amanhã é sábado, dia de Saturno pelas Calendas antigas, dia de comprar legumes e frutas, cheirando todos, o ramo odorífero de coentros, hortelã e salsa, fundamental, para temperar saladas e cozinhados com sabor ao sol, as tangerinas de casca fina e sumo acido, morangos de coração vibrante e cheiro doce, maçãs doces e acidas, batatas e cebolas novas de casca fina, alhos arrumados numa trança que se pendura na cozinha, molhos de agrião, nabiças e outras coisas com um ar tosco, sem tamanho certo, sem serem formatados, sem autocolantes de terras estranhas, decididamente sexta-feira!

2 comentários:

Fernando Samuel disse...

Abençoada sexta-feira!...

Um beijo.

Zorze disse...

Ana,

Decididamente amanhã será Sábado e depois Domingo e por aí adiante... Julgo que não falho na previsão.

A capacidade de previsão do que ainda não ocorreu é complexa e ao mesmo tempo simples.
Às 23:59 rasgamos uma folha preenchida para às 00:00 termos a oportunidade de ter uma folha branquinha por preencher.
Por incrível que pareça, somos nós os responsáveis pelo preenchimento, somos nós que tomamos a decisão, somos nós que escolhemos o caminho.
É algo que ocorre todos os dias na nossa existência.

Beijos,
Zorze