domingo, 14 de fevereiro de 2010

Retrato Em Branco e Preto


Já conheço os passos dessa estrada
Sei que não vai dar em nada
Seus segredos sei de cor
Já conheço as pedras do caminho
E sei também que ali sozinho
Eu vou ficar, tanto pior
O que é que eu posso contra o encanto
Desse amor que eu nego tanto
Evito tanto
E que no entanto
Volta sempre a enfeitiçar
Com seus mesmos tristes velhos fatos
Que num álbum de retrato
Eu teimo em colecionar

Lá vou eu de novo como um tolo
Procurar o desconsolo
Que cansei de conhecer
Novos dias tristes, noites claras
Versos, cartas, minha cara
Ainda volto a lhe escrever
Pra dizer que isso é pecado
Eu trago o peito tão marcado
De lembranças do passado
E você sabe a razão
Vou colecionar mais um soneto
Outro retrato em branco e preto
A maltratar meu coração

Chico Buarque de Holanda

(Ando apaixonada por este homem desde os meus cinco anos de idade)


7 comentários:

Zé do Cão disse...

É verdade, afinal estamos vivos o que já não é mau de todo.

Em fim de carnaval.

jinhos do zé

Fernando Samuel disse...

Aí está uma paixão compreensível...

Um beijo.

Ana disse...

E quem não anda ou não andou?
Bom gosto, sem dúvida. Esse é como o vinho do Porto...

Jorge disse...

Ó Ana não teria sido aos 6 anos de idade ??

Zorze disse...

Ana,

É uma paixão longa, de facto!
Certo é que Chico Buarque é de um talento imenso, principalmente emocional e social.

Beijos,
Zorze

utopia das palavras disse...

Paixão que eu partilho também, Ana!
Mais recentemente também como escritor!!!

Beijos

Anónimo disse...

Quem não anda aninha?
Viste-o na Festa do Avante?
Eras ainda muito pequena!

Um abraço

Lagartinha de Alhos Vedros