Hoje



Hoje, sinceramente, dói-me a perna, se já não gostava muito do tempo invernoso, passei a ter outro motivo para desejar andar a seguir o Verão, teoria do meu pai, dos meus tios, adoptada plenamente por mim, esta humidade infiltra-se, com toda a certeza pelas costuras da cirurgia, entre o espaço dos ossos ainda mal consolidados, fazendo uma espécie de musgo doloroso, mas ainda era do mais ou menos se me doesse só a perna, mais do que a perna dói-me as noticias do rádio pela manhã “trabalhadores despedidos manifestam-se….trabalhadores com salários em atraso manifestam-se…”, imagino os múltiplos dramas pessoais que se escondem nestas frases, a casa que se pode perder, o frigorifico vazio, os sapatos que não se pode comprar para um filho, a transmutação de migalhas de miséria em refeições, depois fala alguém em nome de uma confederação patronal dizendo que não fazem falta certas empresas em Portugal, principalmente as de mão de obra barata, de repente penso que sou eu que ouvi mal, são os mesmos que apregoam que a única maneira é congelar salários, flexibilizar ainda mais as relações laborais, facilitar os despedimentos, dói-me, nada a fazer, dói-me, continua doer-me ligar a internet e ver que este Governo, que ainda agora celebrou cem dias, com pompa e circunstancia, apesar de nada seja digno de festejo, mas dizia eu que a internet anuncia que este governo já fez 1361 nomeações, um número de respeito em cento e poucos dias, descontando feriados e fins de semana, grosso modo dá cerca de 40 nomeações diárias, ou seja 40 pessoas por dia que vão engrossar os gastos da função pública, apesar de serem salários muito superiores aos de quem apanha o lixo das ruas, repara as canalizações, tapa os buracos do asfalto, marca consultas, tira sangue para analise num hospital a cair, limpa arrastadeiras e afins, mas contam para a média dos gastos com pessoal do Estado. Por isso dói-me, desconfio que a dor prolonga-se noutras coisas, nos jovens que conheço e saem daqui para fora, dos meus filhos que vão apontando esse caminho nos seus projectos, nas noticias sobre as escutas que não deviam ter sido feitas, embora a lei permita gravar todas as minhas conversas electrónicas, telefónicas e afins durante um ano, dói-me pedaços de mim, fazer contas de sumir em vários sítios, olhar para o rio que hoje está cinzento acastanhado numa coloração de lama, mas ainda assim com um pato bravo maluco a voar no meio das gaivotas.

Comentários

Fernando Samuel disse…
Viva o pato bravo maluco - que não se acomoda ao cinzentismo e resiste...

Um beijo.
Diogo disse…
É preciso que essa dor se transforme em revolta. Quanto um vírus se infiltra e nos rói por dentro, tomamos um antibiótico para o destruir.

Beijo
LBJ disse…
Sem querer falar de mais desgraças... Como andas tu? E desculpa lá o trocadilho :)

Beijos
Zorze disse…
Ana,

O teu Hoje para mim e a esta hora é/foi Antes de Ontem.
Sempre a relatividade espacial e temporal, tão importante para a Humanidade como os Lírios no campo.

O que te dói na constatação da realidade, também me dói. As tuas dores são as minhas.

Dessas nomeações a mais surpreendente é do promovido júnior JS a administrador da PT com um vencimento anual de 2.5 milhões (são mesmo milhões) de euros. E logo com o pelouro de aquisições. E logo se focou na compra de parte da TVI.
Deve ter uma experiência em telecomunicações do arco-da-velha.
Deve ter estudado muito.
Deve ter um currículo profissional de trabalho variadíssimo.
Isto de ser boy para ocupar um job atribuído pelo primeiro, deverá ser uma capacidade inata de sobrevivência, também de coluna vertebral.
Devem ser muitas responsabilidades para pagar.

Beijos,
Zorze
SENSEI disse…
Cada vez mais revejo aquelas imagens de quando menino, via aqueles senhores virem em grandes carros a partir de Junho e também em Dezembro pelo Natal, pareciam ricos e bem na vida, mas em cada um deles escondia-se uma triste e dolorosa história.
Hoje até me parece que voltei a ser menino de novo, mas neste Natal de 2009, não os vi voltar, muito menos com os tais carrões, mas filhos de amigos meus, licenciados e plenos de força, deixam suspiros e lágrimas nos pais, porque não só abandonam o lar, como um País que teima em os não querer. Pior, os pais estão desempregados, têm 50 anos, são demasiado velhos para trabalhar!... Mas, não entendo!.. Se são demasiado velhos para trabalhar, segundo as entidades empregadoras, o governo por outro lado diz que se tem de trabalhar até aos 65 anos de idade.
AFINAL EM QUE FICAMOS?
Ter-se-ao de abater todos os que tenham mais de 45 e 50 anos?... Para desta forma não existirem mais desempregados de longa duração, tão pouco pensionistas?
Estou confuso!...Juro que estou!
Lembras-te do filme "LOGAN'S RUN"?
Será este o projecto da futura UE?

Xôxos

Ouss
Ana Camarra disse…
Fernando Samuel

Os patos afugentam o cinzento!

Diogo

Ou fazemos o antibiótico...

LBJ

Ando coxa, mas ando!

Zorze

Cada vez há mais desses exemplos.

Sensei

Lembro-me, mas lembro-me mais do "Admiravél Mundo Novo"

Beijos