Aprendizagem


Comecei a aprender a andar, os primeiros passos foram dolorosos e estonteantes, até mesmo á vertigem, mas continuo a achar que aprender é mesmo assim uma coisa embriagante, até aprender aquilo que já sabemos, muitas vezes se diz que existem coisas que não se esquecem, andar de bicicleta, fazer amor, até se faz a comparação, quando era miúda passava um anuncio de um limpa vidros (Ajax acho eu, nome de guerreiro grego e bruto da Guerra de Tróia) no qual uma menina de tranças limpava com uma grande rapidez os vidros, com mais rapidez que uma experiente dona de casa, por fim declarava com um ar feliz “é tão fácil como saltar á corda!”, por acaso saltar á corda nunca foi fácil, eu saltava em miúda, horas, tínhamos cordas de corda com terminais de madeira, coisa que neste momento deve de ser desaprovada pela ASAE e mais meia dúzia de organismos, que parecem empenhados em tornar as crianças em macaquinhos amestrados com jogos electrónicos, tacos de golfe e telemóveis de miniatura, e mais uma serie de coisas que nos tiram o prazer de nos espojar no chão, fazer nódoas negras e arranhões, fingir de vaqueiros, de cavaleiros a trepar ameias de castelos inimigos e as outras coisas todas que fazíamos com a corda, coisas imprescindíveis para se crescer.

Sempre gostei de aprender, no entanto acho que dispensava este aprender de andar outra vez, por sempre gostar de aprender sempre tive a posição expectante de saber pouco e de poder aprender algo mais com tudo, penso que já aprendi várias vezes a andar de bicicleta, aprendi muito novinha de calções a trocar os dentes de leite pelos que tenho agora, essa altura seguravam-me no selim e andava sempre a direito e quaisquer dez metros eram uma meta, aprendi sem ninguém a segurar o selim, quando me confundia com os meus primos e gastava as solas a travar com os pés, aprendi outra vez já mãe, pensando quejá não sabia, aprendi várias vezes a fazer amor também, o urgente, o calmo quase rotineiro, o inesgotável, o das descobertas, de vezes em quando também se reinventa, portanto já ando melhor hoje que há três dias, daqui por uns dias espero andar melhor, qualquer dia volto a correr…

Comentários

sou azinheira disse…
é isso mesmo ana
nunca é tarde para aprender. já lá dizia o outro, o tal, o lenine, aprender sempre (3x)
bj grande
poesianopopular disse…
Olha minha linda, uma boa recuperação, é mesmo andar de bicla. Sabias?
Tem calma que a vida é curta.
Abraço
Zorze disse…
Ana,

No cerne da questão e de uma das razões de nascer neste planeta infernal, aprender.

Quanto ao fazer amor, explica-me como se faz amor?
Provavelmente, estarás a falar de sexo.
É que ao que parece o amor constrói-se, é feito de tempo, de cumplicidades, de pequenas grandes coisas moldadas em forma de memórias dos intervenientes.

Fazer amor é um conceito dos filmes de Hollywood, para mascarar em belo luar e miseráveis atitudes humanas, as fodas de interesses para subir na vida.

Eu gosto muito de foder, mas, ao mesmo tempo amo muitas pessoas, não quer dizer que vá foder com todas elas, seria um contra-senso. Compreendes?

Beijos,
Zorze
:) boa! boa!

vê lá se telefonas ou mandas sms's!

agora que já andas, bora fazer uma voltinha pelo tico-tico, moderna e essas tascas? só tou 7 kilos mais gordo desde início de dezembro!

bora lá que eu faço updates ;)
Fernando Samuel disse…
É simples: aprender, aprender sempre!...

Um beijo.