terça-feira, 8 de dezembro de 2009

A minha casa


A minha casa é velhota, foi adquirida por um preço baixo atendendo à sua dimensão, 5 assoalhadas, 2 casas de banho (1 delas com o tamanho de um quarto), 2 halls de entrada, varanda, corredor. A princípio juntamos esforços para o essencial: mudar canalização, instalação eléctrica, janelas, cozinha e casas de banho e pintar.
Pintar revelou-se um berbicacho, as paredes eram verde bandeira, cor de laranja, rosa escuro, azul cueca, levavam 3 ou 4 demãos, em vão, a cor antiga no outro dia estava lá.
Penso que acabamos por diminuir a área da casa com a espessura da tinta aplicada, mas conseguiu-se.
O chão de parquet, tacos pequeninos, era um enorme puzzle dominó que dava para os meus filhos brincarem e à noite, quando dormiam lá andavam os progenitores de rabo no ar a recolocar tudo, até que lá conseguimos estaleca financeira para o recuperar, primeiro com um artista que se comprometeu em afagar e envernizar tudo numa semana e passado um mês só tinha conseguido construir uma espécie de mini golfe, com rampas e covas por todo o soalho, foi dispensado e lá conseguimos quem recuperasse o possível, embora o corredor e os halls tivessem de ser revestidos a tijoleira.
Seguiram-se outras coisas: pinturas sazonais, recuperação de roupeiros, mudanças na cozinha e casas de banho.
Hoje, estou prisioneira esta casa, o que não é mau, porque se não gostar do colchão ou da decoração, só tenho de ir ao espelho, refilar…
Vejo com aflição o pó e outras coisas a acumular, coisas a que eu, uma vez por semana fazia um acto de magia de um dia inteiro para faze-las desaparecer, agora estou temporariamente sem varinha de condão.
Mas no meio de tudo isto agradeço mentalmente ao tal construtor do mini golfe, afinal ficaram rampas em todas as passagem da tijoleira para o soalho, o que veio a revelar-se precioso face à cadeira de rodas.
Está visto, o homem não era incompetente, era um visionário.

4 comentários:

Zorze disse...

Ana,

A tua casa, é essencialmente, acolhedora.

Beijos,
Zorze

Fernando Samuel disse...

Vês: o homem afinal estava a prever o que te aconteceu...

Um beijo.

CPrice disse...

.. que seja breve essa necessidade de rampas e afins para poderes voltar a refilar com o dito do "visionário" ;)

Beijinho *

Ana Camarra disse...

Zorze

Obrigado!

Fernando Samuel

Não achas que devia de ser contratado pelo Governo?

CPrice

Ai ai só dia 22 é que sei se tenho liberdade condicional!

beijos