sábado, 14 de novembro de 2009

Flor ao sol


Vinhas assim devagar
Como a subida da maré
Num sussurro
Tanto inquietante como calmo
Daquela calma que aperta qualquer
Coisa
E eu esperava
Esperava como a noite espera o dia
E entregava-me assim
Como uma flor ao sol

6 comentários:

Akhen disse...

Ana

Suavemente intima. Duma intimidade tão suave que só a entrega da flor ao sol pode definir.

Paz e Luz na tua casa

salvoconduto disse...

Já estou com saudades do sol, valhe-me a Nina, uma delícia.

Abreijos.

Maria disse...

Que é a forma mais bonita de nos entregarmos...

Beijo, Ana

Fernando Samuel disse...

Bonito!

Um beijo.

Zorze disse...

Ana,

E não é que o dia também espera a noite!
Se personificados, esperançosos o serão...
É uma questão de rotação terrestre.

Beijos,
Zorze

Ana Camarra disse...

Akhen

A entrega é uma coisa intima.

Salvo

Também eu.

Maria

È!

Fernando Samuel

São momentos.

Zorze

è mais que rotação terrestre.

Beijos