quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Esta é uma forma!


Esta é uma forma,
A diferença entre
Estarmos sós,
Sentirmo-nos sós ou
Queremos estar sós.
Por vezes quero estar só,
Só comigo, ouvir-me,
Entender-me, alinhar-me,
Desfrutar-me,
Sentir que não sou responsável por mais
Ninguém
Sentir-me só é outra coisa,
Acontece, rodeada muita gente,
Muita coisa,
Que chama-me, solicita-me
Eu no epicentro de uma coisa qualquer,
uma tempestade, uma ventania,
Um rodopio qualquer,
Nessas alturas sinto-me só
Diferente de tudo isto é
Estarmos sós

16 comentários:

Rui da Bica disse...

"Inspiração muito profunda", Ana :
Estar, Sentir e Querer !
... quanta diferença !!!
... mas mesmo só, fica connosco a nossa própria companhia.
.

Miguel disse...

Ana,

Tal como prometido ...

Parabéns pela inspiração porque a poesia corre-te nas veias ...!

Existe um tipo de solidão benéfica que ordena as nossas ideias e alimenta o nosso bem estar ...

Muito diferente da solidão que apesar de estamos rodeados de muito gente mas estamos completamente sós ...!

Bjks da M&M & Cª!

salvoconduto disse...

Ai daquele que não saiba estar só, mesmo no meio da multidão.

Abreijos.

Diogo disse...

Excelente distinção. A solidão barulhenta versus o desejo de estar só.

Beijo

samuel disse...

Nem sempre queremos estar como sentimos...
Nem sempre sentimos estar como queremos...

Boa reflexão!
Abreijo.

Eduardo disse...

Essa coisa de querer estar só, de precisar estar só, é comum aos solitários com companhia.
Eu, por exemplo, necessito de estar só e de silêncio.
Daquele silêncio que nos deixa uma doce sensação de estarmos acompanhados... nem que seja por nós mesmos.

mugabe disse...

Gosto muito de estar só e em silêncio !

Beijo

Fernando Samuel disse...

Muito, muito diferente...

Um beijo.

Mikas disse...

A solidão é tão mais do que aquilo que pensamos. Beijo

Zorze disse...

Ana,

As pessoas não sabem estar sós, nem sabem estar no meio da multidão.

Daí arrancarem cabelos, stressarem-se e deprimirem-se.

É uma questão de saber estar...

Beijos,
Zorze

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Gosto muito de estar só, Ana. São momentos que me eriquecem e nessas alturas nunca me sinto só. Não gosto é de me sentir só. Isso pode ser terrível.

Rui da Bica disse...

“Estar”, “Sentir” e “Querer” estar só, porque se gosta, é uma coisa (...e que Coisa Boa !) !!!

Agora, “Estar”, Sentir” sem se “Querer” só ..., Solidão, Abandono, Esquecimento, Tristeza, deve ser das piores coisas da vida !

Nestas situações, nem a nossa própria companhia é reconfortante. O "diabinho" que está dentro de nós, não descança sem nos torturar constantemente, como que a lembrar: estás a ver, ninguém te liga, não vales nada !...
.

samuel disse...

Voltei para dizer que este post com uns pés muito "perfeitinhos" parecia profético...
Põe-te lá boa e arranja bem esse pé... que ainda temos muito para andar, amiga!

Um beijo grande,
Samuel.

mugabe disse...

Anocas, põe-te boa rápidamente, fazes falta.

Um beijo.

Anónimo disse...

não tarda ana, esse só... passa a ter a companhia de uma bom argumento para os mais teimosos: uma muleta, para dar nos costados de quem nos quer tirar a doce sensação de refúgio!
as melhoras anita. põe-te boa, que faz falta esses momentos que leio no teu "só", e não só...claro!
abraço do vale

LBJ disse...

Se nos sentirmos bem connosco, nunca estamos verdadeiramente sós...

Beijos vizinha, passa pelo meu canto que tenho saudades