terça-feira, 24 de novembro de 2009

Devo ser uma pessoa estranha!



Devo ser uma pessoa estranha, a cicatrização está a correr bem, dentro de mim células ósseas correm a juntar-se a tapar os buracos, o médico mostra-me no computador os retratos de dentro de mim, quando parti e esfrangalhei o tornozelo em três partes, mostra-me os fragmentos e os estilhaços, outro conjunto de retratos onde se consegue ver placas, porcas e parafusos, os retratos de ontem, com tudo mais arrumadinho.
Diz que sim, que irei tirar mais tarde as ferragens, avisa para não colocar o pé no chão durante quatro semanas, manda-me fazer o penso, ao fazer o penso as enfermeiras avaliam a cicatrização, que está óptima tirando as bolhas de água nas zonas onde acabavam os adesivos, porque afinal faço alergia à cola, na barriga tenho uma nódoa negra enorme de uma injecção mal dada, das mesmas injecções que vou ter de levar diariamente, dadas carinhosa e descontraidamente por uma amiga que só deixa o rasto de carinho, a mesma amiga que tornou a casa dela a minha casa, enquanto for mais fácil, para mim e para os que me rodeiam, a discussão estendeu-se a outros amigos, os que telefonam a toda a hora a perguntar do que preciso, os que oferecem as suas casas térreas, os seus préstimos, os que nem dizem nada disso mas carregam-me a mim e á cadeira de rodas para o hospital, consultas, rx, aconchegando-me o casaco, portanto devo ser uma pessoa estranha, alérgica a certas fibras do vestuário, a azeitonas, amendoins, aos ácaros, ao níquel mas não ao metal nobre da amizade que faz esquecer as bolhas nos pés e suavizar as nódoas negras das injecções dadas sem carinho.

12 comentários:

Maria disse...

Se és estranha eu gosto de ti, mesmo assim...

As melhoras, rápidas.

Beijos, Ana

Zorze disse...

Ana,

Não, não és estranha... Deve ser da morfina.

Sabes o que és? És uma linda menina, é isso que és.
Muito linda!

Beijos,
Zorze

Diogo disse...

É nos momentos difíceis...

Rui da Bica disse...

"Devo ser uma pessoa estranha" (???)

Não sei se "estranha", mas não "vulgar",certamente que sim, a avaliar pelo que leio, antes e depois deste episódio do trambolhão.
Felizmente parece que está tudo a correr bem !
As melhoras rápidas, Ana.
.

Paulo Lontro disse...

Quanto mais se dá, mais se recebe.
E ainda há que não saiba isso !!!
Continua a melhorar.
:)

Anónimo disse...

não estranhes, é só a amizade e carinho que tens espalhado, que correm a retribuir-te. é tão só como o zorze diz: és linda.
abraço do vale.... e vê lá se começas a sacar uns piões:)

clara porfírio disse...

Só posso sorrir, com tanta palavra engraçada no meio do que estás a passar, não são estranhas as palavras, mas sim aconchegantes, como tu prima! Tenho me lembrado muito de ti...ainda antes de saber da noticia...e já fui lendo para trás e como percebo as lágrimas inexplicáveis, ainda hoje foi 1 entardecer assim!

Anónimo disse...

Acabei de chegar a casa, vim de imediato saber notícias tuas, vejo que estás viva, pois já te estás a questionar. Claro que toda a gente te quer acarinhar e está preocupada contigo, tu mereces e é assim que tratas os outros. Todos queremos que melhores depressa e que venhas com a tua alegria dançar na praça.
Beijos
Anabela

utopia das palavras disse...

Não há nada de estranho...há carinho (excepto o da injecção) e tu precisas dele!!! Força!

Beijinho

CPrice disse...

estranha ou não aqui fica a minha solidariedade, os meus votos de rápidas melhoras e no que precisar e eu puder .. ou ainda que não possa :))

* Araço *

Akhen disse...

Ana

Pessoa estranha, alergica, mas que confusão vai por essa cabecinha.
Com tanta porca e parafuso no pé, vê lá não venha ainda algum daqueles sucateiros da "Face Oculta", fazer-te uma oferta por eles quando tirares tudo isso. -:)

PAZ e LUZ na tua casa

Fernando Samuel disse...

De facto, com a «modernidade» instalada pela política de direita, quem cultiva a amizade é uma pessoa estranha...

Um beijo.