sexta-feira, 23 de outubro de 2009

O silêncio das Sereias

Todas as meninas já quiseram ser sereias, as sereias são sensuais, supostamente têm todas aquela idade imprecisa entre menina e mulher, seios altivos, cabelos compridos, vozes fantásticas, mas não podem caminhar, tem rabos de peixe, assim também ficam a salvo de outras investidas.
No entanto ser sereia para sempre não deve ser fácil, não sei como uma sereia resolveria certos problemas práticos do dia a dia, como levar um filho ao médico, como limpar a casa com aquele rabo de escamas a arrastar-se, como empurrar o carro das compras de lista em riste, carregar os sacos, arruma-los no porta bagagens, tira-los de seguida e arrumar as compras nas prateleiras do frigorifico e da dispensa, estar ao fogão a preparar coisas várias com sabedoria, equilíbrio, difícil com a barbatana, ainda correndo o risco de cozinhar as suas extremidades inferiores acidentalmente, isto para além dos salpicos da ordem ou das queimaduras de se encostar inadvertidamente um braço ao tacho ou à grelha.
Por outro lado qualquer mulher continua a guardar esse sonho mítico dentro de si, de ser sempre bela, com um toque de mistério, de guardar uma parte de si num rabo de peixe e por isso guardámos no ventre o ritmo das luas e das marés, e o nosso ventre abre-se com uma concha que tem ainda a particularidade dos moluscos, a sua delicadeza um certo ar marítimo.
Por fim a voz das sereias, que supostamente encantavam com o seu canto, nem todas conseguimos guardar, por isso nem todas encantam assim com a voz, mas algo é mais temido que o canto das sereias que encanta os homens, o seu silêncio.

As sereias, porém, possuem uma arma ainda mais terrível do que seu canto: seu silêncio.
Franz Kafka 1917
(Mermaids, Catherine Walker)

6 comentários:

Joao Norte disse...

Procura da eterna juventude

salvoconduto disse...

E porque nos castigam assim dessa forma tão cruel?

Abreijos.

Fernando Samuel disse...

O Kafka estava cheio de razão...

Um beijo.

Akhen disse...

Ana

Não querendo contrariar o Kafka, como teria Ulisses atravessado a lenda, se as sereias tivessem feito greve e se tivessem remetido ao silêncio?
Quanto à anatomia das sereias; à parte o problema para conseguirem roupa adequada e efectuarem todas aquelas tarefas, já pensaste o que seria um marido ciumento?
Um dia chegava a casa com os olhos chispando lume de ciume, pensando que ela o tinha traído com o "Pargo Mulato" e záz, cortava o rabo à consorte, neste caso "sem sorte" e talvez o vendesse a algum hipermercado para ganhar umas coroas.
Estou a ver o letreiro da banca de peixe:
"Rabo de sereia, vende-se a € X o Kg.- Melhor que bifes de espadarte"

Deppis a agravante, com os problemas dos serviços da S.S., como poderia a pobre da sereia, candidatar-se a uma prótese caudal?

PAZ e LUZ na tua casa

Zorze disse...

Ana, Sereia dos Mares e do Vento,

Muitos piratas se afundaram no canto das sereias!

Beijos,
Zorze

Ana Camarra disse...

João Norte

será que vale o esforço?

Salvo

Não sei, só perguntando a uma sereia.

Fernando Samuel

Também acho.

Akhen

Só desvantagens...

Zorze

E com tiros de canhão, também.

Beijos