sábado, 19 de setembro de 2009

ELES



Eles são eles e elas!
Muitos nasceram por acaso, porque por vezes o sexo é o único luxo dos pobres, outras vezes até nasceram por amor, mas não interessa, nasceram, existem e tem o direito de existir e de viver.
O direito de viver foi-lhes retirado quase desde sempre ou apenas permitido na insuficiência, alguns sobreviveram acidentalmente, as igualdades de oportunidades foram coisas que nunca partilharam com eles.
Eles trabalham no que podem, sobrevivem com esforço, ainda assim têm sonhos, sonhos carregados nos braços cansados, nas preocupações pequenas, muitas vezes não lhes descodificam o mundo, reduzem tudo ás máximas que o mundo sempre foi assim, que é inevitavél existirem assim graus diferentes de pessoas, ensinaram-lhes isso como um mantra, distraem-se com outras coisas, com histórias de amor inventadas, coladas com cuspo num mundo irreal em mais de trezentos episódios, com corridas de milionários atrás de uma bola, com a esperança da fortuna num boletim de um concurso, mas de vez em quando um de eles levanta a cabeça, descodifica o mundo, sabe com toda a certeza que não é menos gente que ninguém, que é o cansaço dos seus braços que dá o excesso a outros e insuficiência para Eles, que o mundo é redondo, mas que chega para todos, não tem de ser compartimentado, que o futuro, diferente, sem insuficiência se constrói agora e um dia todos eles irão levantar a cabeça.

7 comentários:

salvo disse...

Ai Ana, demoram muito tempo a levantar... Vamos dar uma ajuda?

Abreijos.

Akhen disse...

Ana

Tenho estado a ler "A Origem da Familia, da Propriedade e do Estado", mesmo no final há uma citação de Morgan, que diz ".... que ela, a riqueza, se transformou numa força numa força incontrolável, oposta ao povo.
A inteligência humana vê-se impotente e desnorteada diante da sua própria criação."
Eu discordo um pouco disto.
No blog onde foste "jim-acasadeirene,blogspot.com" vai indo até encontrares um post "Mundo Novo". Lê-o. Verás porque eu digo que não concordo com o Morgan. Vais encontrar tb. um comentário de uma pessoa que conheces, que ia regularmente aos meus blogs, mas que por um mal entendido deixou de o fazer e, sinceramente, eu tenho pena de ter sido cortado o contacto.

O bom domingo para ti e todos os que te são queridos.

Paz e Luz

Akhen disse...

Ana
Esqueci-me de uma coisa...

Eles, são gente anónima, que vivem uma vida, anónimamente sofrida, e que vendem o seu esforço, por quasi nada, para uns quantos, anónimos, que vivem como parasitas, "sugando o sangue fresco da manada" e para quem ELES, são apenas o "campo onde pastam quando interrompem o ser vampiros e fazem cura de vegeterianismo.

duarte disse...

Ana
quando no chão a aridez não permitirá a nenhum pão nascer , aí sim todos olharão para cima... e esse dia já esteve mais longe.
abraço do vale

Fernando Samuel disse...

Do lado deles é a velha balela da «ordem natural das coisas»; do nosso lado é a determinação de lutar, lutar sempre por um mundo novo. E venceremos!

Um beijo.

Zorze disse...

Ana,

O grande problema é que não se olha a sério para o topo da "cadeia alimentar" é aí que está o cerne da questão.
Andamos todos a discutir o microfone e não se rompe esse ciclo.

Beijos,
Zorze

Ana Camarra disse...

Salvo

Eu não desisto, sei que tu também não.

Akhen

Irei ver com calma.
Eles deixaram de ser a manada a ser sugada.

Duarte

Esse dia está cada vez mais próximo.

Fernando Samuel

A ordem natural das coisas é outra, todos nascemos igueis e sim venceremos.

Zorze

A gaita do microfone....
Pois temos de parar de o discutir.

beijos