quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Decididamente


Decididamente voltei ao trabalho, um pouco aliviada das férias, menos aliviada de outras coisas. Decididamente o trabalho esperava por mim, começaram as confusões, as correrias, os dias travessos, as horas corredoras de fundo que chegam à meta da próxima hora tão rapidamente, que desconfio que haja doping. Decididamente o trabalho decidiu que três semanas ausente era um absurdo, talvez seja, retirar assim vinte dias para coisas que não sejam trabalho é luxo babilónico, mesmo que nessas coisas se incluam outros trabalhos.
Decididamente o meu corpo rebela-se contra esta intrusão diária de produtos químicos, novos ou noutras quantidades, que me invadem diariamente e resolveu que tinha direito a todos, mesmo todos os efeitos secundários possíveis.
Decididamente os meus infantes esquecem-se de cumprir pequenos recados que lhes peço, o carteiro baralha-me as cartas, os Ministérios da Saúde e da Educação lembra-se de mim para me baralhar as contas, horas e os dias, ando atulhada em álcool em gel e outras minudências, no meio da minha baralhação consigo estar pelas 10 da manhã com a imaculada camisola branca suja de pó de cimento e outras coisas que não distingo, pelo meio liga um familiar, quer conversar e eu não posso, peço á minha parceira se me faz o penso, ela faz, ela suja de múltiplas coisas, eu meio despida na sala de reuniões, numa cena caricata.
Decididamente há amigos, pessoas que estimo, que me oferecem chatices acrescidas, pequenas pedras a emperrar uma roda já torta.
Decididamente o resto do mundo esperou por mim como um bandido na esquina de uma viela escura, cheio de más intenções. Decididamente raros são os que perguntam por mim, se preciso de algo, se me sinto só, com vontade de desabafar, só de mimos. Pensando bem é mentira, nos últimos dias três garbosos homens abraçaram-me, decididamente, dizendo que já tinham saudades minhas, que tinham sentido a minha ausência, têm todos mais de 65 anos, mas não interessa.
Que faço para o jantar?

9 comentários:

Anónimo disse...

Ana

Quase que aposto que um desses garbosos foi o Mariano....
Ainda uns dias atrás me disse que cada vez estavas mais bonita, eu concordei, pois claro!

O resto deixa lá, vai tudo correr bem, se precisares de mim é só dizeres.

Beijo

KL

Maria disse...

Não faças. Manda vir uma pizza. Decididamente... gosto de ti!

Beijos

Akhen disse...

Ana

Eu sempre pensei que meia duzia de dias em trezentos e tal não me fariam estranhar o reencontro com os outros tais em que tudo passa a correr e que nos deixa a sensação de que o tempo não vai chegar.
É uma questão de habituação.
Afinal de contas a outra meia duzia de dias é que são a excepção da nossa rotina. Por isso, respira fundo e pronto.
Quanto ao jantar, pede a opinião abalizada dos outros comensais, mas depois faz o que entenderes.

Anónimo disse...

Aninha,gostei de ler a tua conversinha que me fez sorrir.
Bem alcool??? deste em beber?
Trata-se das medidas anti-gripe A?
Na Festa do Avante que bem que tudo funcionou, tudo limpo e à saída, pois claro o alcool, de facto, NÃo Há FESTA...
Ainda te recordas das casas de banho do Jamor e da Ajuda?

Obrigada pela musiquinha e pela Joaninha.

Um abracinho da Lagartinha de Alhos Vedros

AH! quanto ao jantar, sobrou algum restinho de férias e da Festa do Avante? Vão comer fora!!!!!!!!!!

Zorze disse...

Ana,

O infernal bulício que não se esquece de nós.
Pacientemente ele olha para nós, pois sabe, que mais dia ou menos dia, somos obrigados a enredar-nos na sua "cantiga".

Quanto a jantar, costumo ser boa companhia, quanto a confecciona-lo deixo sabiamente para quem sabe.

Um atum com feijão frade, talvez? Além de ser rico em Ómega 3 some-se o ferro do feijão.
Não te peço uma Salada de Roll Chester com Molho de Iogurte, ou uma Orze com Gorgonzola e Filé ao Alho e Óleo, ou porventura, um Lombo de Porco Perdigão a La Perraza.
Contento-me com uma boa bifana e vinho tinto.

Não deixei de reparar na foto do post. A Joaninha está de costas para a folha, parecendo que está a cagar na folha.

Beijos,
Zorze

Diogo disse...

«Que faço para o jantar?»

What about fish and chips (with mushrooms)?

Estou muito longe dos 65 anos, portanto, um beijo.

Fernando Samuel disse...

Decididamente... estás em grande forma!

Um beijo.

salvoconduto disse...

Se me convidares decididamente pastéis de bacalhau com arroz do mesmo. Fazes?

Abreijos.

Ana Camarra disse...

KL

Tu sabes que o Mariano é um exagerado!

Maria

Eu também gosto de ti decididamente. Sou avessa a "mandar vir".

Akhen

Tens razão aqueles dias são excepção.
O jantar foi como dizes, houve quem sugerisse tortilha, bifes não sei quê, levaram com bifes de atum em molho de tomate!

Lagartinha

Não, coração, alcol para desinfectar as mãos por causa da Gripe A.
Não sobrou nada da Festa para o jantar, nadinha.
Lembro-me pois das casas de banho, principalmente da Ajuda, isto agora é um luxo!

Zorze

Atum com feijão á noite, não me parece. Mas acabou por ser atum, fresco, num molho de tomate com batatinhas novas cozidas, o mais jovem limpou dois discos!
Ò Zorzito a joaninha está á beira da folha, no limite do seu pequeno mundo, como por vezes me sinto!

Diogo

Eu já calculava que não tinhas 65 anos, não estou a ver aqueles garbosos homens a fazer windsurf...
Peixe frito, batatas fritas e cogumelos?? Parece melancia com ovos!
Fritar á peixe á noite, também é de amigo!

Fernando Samuel

Achas?!

Salvo

Se é isso que queres faço, mas no genero gosto mais de pataniscas com arroz de feijão, as faço.
E estás convidado é só dizeres quando.

Beijos