A Paixão segundo Eu….


Já estive várias vezes apaixonada, não vou falar da paixão por livros, filmes, autores, pintores, compositores, etc e tal, falo de paixão mesmo, entre duas pessoas que sentem aquela coisa electrizante, uma atracção profunda, uma sensação de borboletas no estômago, pés leves, olhar alucinado, respiração e palpitação alteradas, a vertigem do outro, uma noção diferente de espaço e tempo, quando está com o outro e quando não está.
A paixão, olhando em retrospectiva é um estado tão bem aventurado como estupidificante, acho que nunca me apaixonei pelos atributos físicos de ninguém, por si só, é claro que também conta, mas pode ser só um certo tom de cor dos olhos, um remoinho no cabelo, o formato das mãos ou o tom de voz, o resto é sinceramente secundário e não escrevo isto por ter passado os quarenta, mas porque na verdade para mim foi assim.
Mas as paixões são como as doenças infantis, convém apanhar, cria-se defesas.

Lembro-me de ter tido uma paixão assolapada onde para além das chamadas telefónicas, de estarmos juntos todos os momentos possíveis, dávamo-nos ao trabalho de escrever cartas e enviar por via postal, cartas com flores secas, poemas, desenhos, anagramas, eu sei lá, era uma aflição, no tempo que estávamos juntos, para além dos arrulhos e carinhos, ficávamos com aquele ar alucinado a olhar um para o outro, a sorte é que não existia telemóvel, Internet e demais, o problema foi que passado o estado de graça, três ou quatro semanas, descobrimos que não concordávamos com quase nada, não gostávamos das mesmas coisas, não tínhamos nada em comum, nem nada para dizer um ao outro, de facto não o conhecia, nem tinha vontade de o conhecer, foi uma separação sem doer e sem magoa, saímos daquilo assim de fininho como se nos tivéssemos enganado na sala.
O amor, o amor é outra coisa!

Comentários

Diogo disse…
«saímos daquilo assim de fininho como se nos tivéssemos enganado na sala»


Frase genial! Mas soube bem enquanto durou.
Amor e Paixão duas faces duma mesma moeda ?? certamente muda de pessoa para pessoa em quantidade mas acontece com todos certo ?
Por mim tenho tido dos dois com fartura !!

Abraço!
samuel disse…
A descrição não podia ser mais fiel... "uma aflição", uma espécie de queimadas que abrirão terrenos férteis para se cultivar o amor.

Abreijo.
Fernando Samuel disse…
Exactamente: como as doenças infantis...
Exactamente: o amor é outra coisa...

Um beijo.
Akhen disse…
Ana

A paixão é como uma fogueira pelo Sº.João. Arde com muita força, mas depressa se apaga. É fogo de palha.
Amor, é um fogo lento, como nas lareiras antigas, em que depois de arderem as brasas completamente, as cinzas ficam tão quentes que é nessa altura que se irá ficar ali, recordando.
Eu penso que seja assim, talvez porque, como eu disse no post anterior, os filhos são a única coisa boa que fica.
Ah. E porque não tenho lareira -:).
Miguel disse…
Concordo.
O Amor é outra coisa. O Amor, talvez, começa a aparecer quando a paixão começa a desaparecer.

Paixão pode-se viver "aos montes". O Amor, não me parece.

Enfim, um tema que tem muito para escrever, falar e pensar...
amor e paixão...um é estado de euforia... auge das descobertas o outro é calmaria e cobertos dormem os sonhos. cada um de um lado da cama...
Confesso que gosto desse amor calmo quando este acorda de um bom sonho.
Ana Camarra disse…
Diogo

Soube bem, soube!

Cidadão

estão interligadas, mas são coisas distintas, por vezes confundem-se, por vezes a paixão pode ser o ponto de partida do amor.
Como cantava "Quem nunca curtiu uma paixão nunca vai ter nada não"

Samuel

Por vezes é, outras vezes é só aflição e foguetes!

Fernando Samuel

Exactamente!

Akhen

Pois eu vou tendo lareira, no sentido figurado, com brasas mais ou menos acesas.

Miguel

Tem muito mais para se dizer, muito mesmo.

j. andrade lemos

È com esse acordar calmo com que muitos não querem lidar.
Querem viver permanentemente naquele estado de exaltação.

Beijos
Zorze disse…
Ana,

Eu também sou um bocado assim.
Dou primazia a outros aspectos, antes do físico.
À medida que se vai amadurecendo, mais assim é.
A profundidade do olhar, a expressividade, os tiques, a forma de pensar.
O cú e as mamas, vêem depois.

Beijos,
Zorze
Ana Camarra disse…
Zorze

Pois o cú e as mamas não me entusiasmam minimamente!

Gostos!
casadegentedoida disse…
O Zorze no seu melhor, mas tambem tem razão. Com o tempo a paixão tambem muda, conforme as idades temos as nossas opções. Da minha parte posso dizer que paixões foram poucas, e mais não digo pois ela pode estar a ler.
Bjs.
Ana Camarra disse…
casadegentedoida

Bom é preciso é que se apanhe como a varicela!

beijos