quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Logo agora que me estava a habituar!

As férias estão quase a acabar com o que de bom e mau carregam.
Decididamente já me convenci que não vale a pena arrastar dois jovens para férias, o ano passado era calmo demais, este ano vegetam em casa com um ar aborrecido, dormem até ao meio do dia fazem o frete de eventualmente se deslocarem à piscina.

A piscina é um luxo, com vista para o mar e ainda bem que existe porque as obras mesmo à beira mar ocasionaram uma ruptura na conduto de esgoto, logo nos primeiros dias, o que tornou a praia pouco convidativa.
Embora a piscina tenha a vantagem de manhã estar deserta, apenas com um outro casal velhote a ler o jornal, colibris e libelinhas, da parte da tarde consegue ser invadida por famílias, com os tais meninos, meninos obesos que saltam para a água no intervalo de comerem batatas fritas e bolicaos molhando tudo e todos ao seu redor, meninos com ar muito beto e cabelo à surfista que se agarram ás escadas e a quem temos de pedir licença enquanto os pais infinitamente betos esturricam ao sol e falam de vidas alheias com fatos de banho de grife.
Durmo sestas, até porque o quarto com vista para o mar tem uns painéis de vidro e o cortinado de cor creme não é suficiente para expulsar a luz, ás 6 da matina, o sol invade e pronto, rien a faire! Depois tenho sono, começo a ler e durmo, sabe-me bem, até porque a medicação em nova dosagem me dá incómodos diversos, náuseas, tonturas e afins, ficando assim quieta parece que é mais fácil.
A juntar ao esgoto rebentado, ao cara metade a trabalhar que chega só ao final do dia, aos filhos mumificados, aos meninos irritantes, também tivemos cerca de quatro a cinco horas sem energia eléctrica, o que acabou por ser positivo porque coloquei duas garrafas de vinho verde no congelador e esqueci-me, quando as fui abrir estavam estupidamente geladas, uma maravilha.
Vou ter dificuldades em largar os calções, os chinelos de enfiar no dedo, o uso de túnicas e t-shirts informais, as noites na varanda, ainda tenho uma semana em casa para me adaptar, colocar coisas em ordem, ler, pintar, dormir, pois claro, começar a preparar outra fase, depois voltar ao batente.
Logo agora que me estava a habituar!

11 comentários:

PAULO LONTRO disse...

Daqui a uns dias, já estás de novo em festa, na "Festa", certo ?

(Afinal não vou poder estar, o Lontrinho faz anos a 6 e, desta vez, são os do sul que vêm a norte..., temos a festa no Porto.)

:)

Anónimo disse...

Pois! também eu esperei por ti lá minha cabanam tão perto do mar! tínha tudo a contar contigo, com o teu homem e filhotes!!!
Estou "bué"de chateada!
beijos
Lagartinha

Akhen disse...

Então, não é um hábito tão antigo?
São férias mesmo à portuguesa.
Deixa-se que os miudos chateiem os outros, para não nos chatearem a nós.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Eu a pensar que também estavas de férias no blog e hoje, quando cá venho, deparo com uma quantidade de posts para ler!
Aproveita bem os dias que faltam.
Beijos

Zorze disse...

Ana,

Normalmente é assim. Quando estamos quase no ponto, lá temos de encarar o doloroso regresso.
Ao que parece ainda tens uma semana para a descompressão, mas conhecendo a tua maneira de ser palpita-me que será uma semana de mil e uma correrias.

Beijos,
Zorze

samuel disse...

Descanso demais, também estafa...

Abreijos.

Fernando Samuel disse...

«Não há nada como o tempo (de férias) para passar»...

Um beijo.

Conde disse...

Curioso, tambem estive uns dias de férias e tambem um esgoto de uma obra rebentou e tambem a praia esteve interdita 4 dias e.....

PAULO LONTRO disse...

Será que Sesimbra é a palavra comum… ??? lol…lol…

Diogo disse...

Cheguei ontem de três mil quilómetros de condução. Diverti-me, fui a banhos (e picado por duas medusas tramadas com dez centímetros), e cheguei estoirado.

Pró ano vou de avião...

Beijo.

Ana Camarra disse...

Paulo Lontro

Exactamente!

Lagartinha do Meu Coração

Não te zangues! Depois eu explico-te, sim?
Beijos mil e um abração

Akhen

Pois é mais ou menos.

Carlos

Eu sou assim!

Zorze

Acho que ganhas o prémio!

Samuel

Pois já o meu pai dizia: Ensinaram-me só a trabalhar, não sei fazer mais nada!


Fernando Samuel

Passa assim záaaaaaas

Conde

Não é curioso está visto que estivemos os dois no mesmo sitio, sempre podiamos ter comido uma sardinhada, com as respectivas famelgas.

Paulo Lontro

:)

Diogo

Mas divertiste-te, isso é que interessa.

Beijos