Segunda-feira há mais!


Despedi-me dos meus meninos.
Segunda feira chegam outros, uns novos em folha, outros já conhecidos.
Tenho meninos inteiros com pai e mãe, mesmo que separados não se separaram dos filhos nem os utilizaram como arma de arremesso, com casas, com sapatos, as refeições todas, histórias à noite, alguém que os aconchegue.
Depois no meio tenho os outros, a Marta que já escrevi, o Ricardo que tem pai e mãe e as outras coisas boas, mas uma mente de quatro anos num corpo de dez, que os pais teimam em negar que assim seja, o Nuno que tem um brinco como o Ronaldo fala de sexo de uma forma desbragada, desagradavelmente surpreendente para um franzino de oito anos, fala em armas, mente, recusa-se a partilhar, o Rui que tem uma mãe em fase terminal, um pai que nunca vi mas que sei que existe e umas nódoas negras nas costas que ele diz que fez por bater de encontro a uma parede…
O Rui fala muito de namoros e paixões, como a Tânia, que é filha de um amor ocasional de uma mãe que a considera um empecilho, pelo que ela fica entregue a carinhos de avós e tios. Falam de amor como os pobres falam de dinheiro, é o que lhes falta.
A Rita quer que a veja a correr, a chapinhar, talvez porque a mãe a tenha abandonado a ela e a um irmão que ficaram cada qual com a sua avó, o pai está lá em casa também e agredi a avó sempre que necessita do seu quinhão de heroína, com a Rita não se importa…
Existem mais dois ou três entregues a avós, com pais e mães semi ausentes que os usam como argumentos e moeda de troca, empurrados entre fins-de-semana, ordens judiciais e outras coisas.
Os meus meninos abraçam-me, eu ralho, repreendo, ensino coisas, como o facto de leite sair de um animal, que aquilo que está plantado não é arroz mas uvas e porque é que os girassóis se chamam assim, chamo a atenção, mas abraço-os….
Segunda-feira há mais!

Comentários

sagher disse…
esse teu maternal instinto...
Bruno disse…
A ler, lembrei-me dum outro post em que... vou procurar... aqui esta ele:

http://som-da-tinta.blogspot.com/2009/03/as-andorinhas-e-o-amor-em-materia-de.html
duarte disse…
.................
palavras para quê?
MULHER o mundo precisa de muitas ANAS.
Existe o mais que puderes, que o mundo agradece.
ABRAÇOS MIL
duarte disse…
vai dar uma voltinha por PetrusArt.blogspot.com , vais descobrir uma bela mulher,pintora,escritora e linda como gosto(apesar de muito sofrimento).
mais 1 abraço para serem 1001.
Diogo disse…
Tens uma profissão que deve ser brutalmente desgastante em termos psicológicos, a par, também, de alegrias. Que sejas mais que do que uma profissional, que sejas um pouco de mãe.
Anónimo disse…
Só tu para me pores com a lágrima no olho no meu início de férias.
Obrigada por existires.
Beijinho
Anabela
Zorze disse…
Ana,

Cada dia que vivemos, vivemos imensas histórias paralelas.
Tal como histórias paralelas somos para os outros.

A frase seguinte é um misto de brilhantismo e sensibilidade tremenda com pitada de simplicidade meridiAna, só ao alcance de consciências de alto nível como tu.
"Falam de amor como os pobres falam de dinheiro, é o que lhes falta".

Beijos,
Zorze
mugabe disse…
É doído, mas enquanto houver mulheres como tu..!!!

Abraço!
Fernando Samuel disse…
Os teus meninos, tu e o amor e a ternura...

Um beijo.
entremares disse…
Segunda feira há mais...
Mas parece-me que descreves os dias e as pessoas ( crianças ) de uma forma única... peculiar.
É isso que torna esta descrição tão verdadeira...

Que dizer?
Segunda feira há mais...

Um óptimo fim-de-semana.
Ana Camarra disse…
Sagher-Pois, é grande!

Bruno-Fui ver, mas sendo o blogue de quem não me espanta nada!

Duarte-Já fui ver, gostei.

Diogo-Sou muito mãezinha, muito mesmo.

Belita-Isso é melhores agradeceres à minha mãe, porque pai já não tenho. Fico à espera para o cafezito…

Zorze-È verdade, quando estão sempre a falar de amor é o que lhes falta.

Mugabe-Doí pois, oh se dói.

Fernando Samuel-Como dizia Vinicius, fundamental!

Entremares-È segunda-feira há mais, no fim do mês estou esgotada, mas de certa forma feliz.

Beijos
CPrice (once) disse…
.. que sorte que eles têm .. que sorte.

(e vou-me .. que já estou de lágrima no olho e não, não sou nenhuma chorona)

Gostei muito deste espaço. De tudo quanto li e senti nas entrelinhas.

Voltarei.