Por vezes baralho-me...



Por vezes baralho-me, muito até, a minha secretária parece que foi varrida por um furacão, na minha mala acumulam-se destroços vários, papeis, paus de canela, moedas pretas, clips, pacotes de açúcar….
Ultimamente a organização parece cansar-me, vou empilhando os papéis resolvendo os emergentes, não olho para a agenda, coloco lembretes no telemóvel que apita nas alturas mais inusitadas, a reserva de paciência está como as albufeiras em época estio, na reserva.
As pessoas tendem a pedir-me coisas estúpidas, eu tendo a pedir-me a mim própria coisas pouco inteligentes, sinto-me como um homem dos 7 instrumentos que faz mais barulho que música numa cacofonia estafada, desenrasco, vou desenrascando, o jantar, a reunião, as actividades, a roupa, quando estaciono no meu sofá sou acometida por um sono instantâneo, quando transito para a cama nem por isso, sonho, coisas parvas, rios em vez de estradas, construções cambaleantes, casas desconhecidas cheias de gente que não vejo há muitos anos, resolução de coisas semi pendentes, a vaga sensação que estou atrasada que deixei qualquer coisa importante para trás, durante os pequenos períodos de sono, grito, salto, agito-me, discurso, para infelicidade de quem partilha o leito conjugal…
Ando cansada, baralhada, falta um bocado para as férias, esta semana termino a saga anual com os meus meninos, este ano foi mais cansativo, vou começar um tratamento novo na esperança que algumas partes de mim recomecem a funcionar devidamente, já sei que vou ficar almareada uns dias, provavelmente com menos paciência ainda, o grande escape parece ser escrever estas baboseiras, riscar mentalmente os dias que faltam para tirar o relógio e deixar de passar cartuxo ao gritar do telemóvel, não interessa, já faltou mais, os malmequeres estão abertos, os pássaros nascidos na Primavera já começam a voar…

Comentários

M. disse…
A melhores dias, cara Ana, fica isto :)

M.
alfabeta disse…
A criatura tem nome minha amiga!
E não é analfabeta, nunca lhe ensinaram a pensar pela própria cabeça? Em vez de seguir rebanhos?

Meu Deus, depois são os outros é que são pobres de espírito!

Chiça, com cada uma!
Ana Camarra disse…
M.

Obrigado. Boas Férias!

beijos
Ana Camarra disse…
Alfabeta

Trabalho directa ou indirectamente, há muitos anos, com crianças, nomeadamente crianças em risco.
Só o desconhecimento pode suportar a ideia que o casamento ou a adopção de crianças por parte de homossexuais pode exponenciar o abuso sexual de menores.
Afinal a esmagadora maioria dos abusos sexuais em menores ocorre no seio de famílias heterossexuais e na maior parte dos casos é um familiar directo que o pratica.
Ouvir da boca de uma criança que foi o pai, o avô, o tio, o irmão que abusou deles é esmagador.
Não considero que o casamento homossexual seja uma prioridade para o país, mas não me incomoda.
Pensar que as crianças educadas por homossexuais são potencialmente homossexuais é outra prova de desconhecimento, afinal a maior parte dos homossexuais foi educado em famílias “normais”.
Não sigo rebanhos, penso por mim, ahh é verdade, também escolho os meus amigos e não concordo com tudo o que dizem.
Akhen disse…
Eu tenho em cima da secretária papeis que, uma grande parte, não sei para que servem. Tenho tb.uma pasta ao lado da minha secretária onde vou colocando o que leio e que não é para tratar de imediato.
Outro dia dei uma volta nos papeis. Tinha alguns com data de há um ano e que não me tinham sido necessários. Deitei-os fora.
Quantas coisas perdem o seu tempo da oportunidade?.
São essa que nos complicam, por não se explicam.
Umas férias com sol, porque acalma.
Com dias acordando, ao som dos raios desse mesmo sol.
E para se acabar bem o dia.
Ficar olhando o silêncio de um por do sol, que nos diz que o dia está acabando e que ele vai dormir, porque tem que recomeçar o seu ciclo no dia seguinte.
Julgo que deve chegar para as baterias ficarem recarregadas.
Zorze disse…
Ana,

Estás, mesmo a precisar de férias, renovar energias e preparar-te para mais uma época que se adivinha dura.

Beijos,
Zorze
Ana Camarra disse…
Akhen

è isso que vou fazer, falta um pedacinho assim, um danoninho

Zorze

Estou amigo, estou muito, muito muito.
Já faltou mais.


Beijos
Anónimo disse…
Linda

Ao ler isto sinto-me mal, que mesmo indirectamente, te ter pedido uma coisa de facto estúpida.
Deves estar a rebentar, se precisares de alguma coisa não hesites, não estou cá só para pedir...

Beijos Mil

KL
Diogo disse…
E à medida que nos vamos aproximando das férias o tempo arrasta-se cada vez mais.

Parece a relatividade de Einstein: Quanto mais encolhe o tempo para as férias, mais estica a sua duração.

O progresso encafuou-nos numa prisão temporal. Malditos 16:30, quinta-feira, Outubro ou 2007…

Beijo
Zé Ferradura disse…
Olá Ana,

Sem dúvida que a exaustão do ano de trabalho faz com que as férias sejam necessárias.

Bjs
Zé Ferradura
mugabe disse…
Ana há beira dum ataque de nervos,...as férias vão fazer bem para retemperar energias para as batalhas que se avizinham.

Abraço!
Fernando Samuel disse…
Se «isto» é o grande escape... força!

Um beijo.
CPrice (once) disse…
"Pensar que as crianças educadas por homossexuais são potencialmente homossexuais é outra prova de desconhecimento, afinal a maior parte dos homossexuais foi educado em famílias “normais”."

de manhã aquando da primeira leitura foi a primeira ideia que me veio à cabeça .. afinal a Ana escreveu-a melhor que eu.

__

Férias .. tempo de descanso ou para outros cansaços, seja como for que sejam tudo o que pretende :)
Bj
Ana Camarra disse…
KL

Não incomodas nada!

Zé Ferradura

Imprecindiveis.

mugabe

Estou a fazer contas disso.

Fernando Samuel

è, tu sabes que é um escape.

CP

Há muita teia de aranha em muita caixa craneana...

Pois as férias ara uns são o trabalho de outros, de qualquer das formas um tempo para nosso uso pessoal é fundamental.

Beijos