segunda-feira, 29 de junho de 2009

A minha é parva ou taralhouca!



Nos contos infantis as heroínas tinham sempre fadas madrinhas. A Cinderela e a Bela Adormecida tinham, está bem que a da Cinderela só apareceu in extremis e as da Bela Adormecida que eram três, isto Princesas é outra louça, não fizeram muito bom trabalho.
Mas toda a miúda sonha com uma fada madrinha. A minha madrinha era assim mais ou menos madrinha, porque como não fui baptizada era minha tia, amigalhaça, porreira, com que me dava muito bem, apesar dos milhares de quilómetros que nos separavam, já partiu, infelizmente e é mais uma das que me faz falta.
A Fada Madrinha nunca me apareceu, nem quando eu queria um trapinho à maneira para a discoteca, nem para outras coisas, eu sei que não sou loura, não canto com os passarinhos, nem com os ratos, há por aí Belas muito mais belas que eu, mas caramba podia aparecer uma vez, só uma!
Facilitava-me a vidinha, podia passar a ferro, dar-me noites tranquilas, não era preciso eu ficar a chonar uma data de anos, só umas noites tranquilas, passar-me a mão no cabelo e dizer que tudo vai correr bem, impedir o crescimento dos joanetes que me atormentam, qualquer coisita.
Eu até como sopa para dar exemplo, não me porto muito mal!
Afinal o que é que sou menos que a Cinderela para me calhar uma Fada Madrinha taralhouca, parva ou preguiçosa?!


5 comentários:

mugabe disse...

tu já és uma fada.

Abraço

Zorze disse...

Ana,

Eu acredito em fadas, logo concordo com o comentário do mugabe.
Tu já és!

Por outro lado, a sensação que sentes de que são taralhocas, é um assunto muito complexo.
De facto tens Amparadores Extrafísicos, são consciências de alto nível, já com assuntos muito bem tratados; como o ego, os medos, a contextualização de situações e claro a experiência.
Não são os "Senhores dos Desejos" nem os génios das lâmpadas.
Era só escolher três desejos, querias!
Eles ajudam e amparam a evolução, não com meiguices e beijinhos. Mas sim, em ajudar a ultrapassar obstáculos.
Por vezes deixam a pessoa "espalhar-se ao comprido" e não fazem nada. Dependendo das situações e em certas alturas a melhor ajuda é deixar a pessoa arranjar forma de supera-la. Garantido a sua sobrevivência e adquirindo competências e experiências para ensinar outros a superarem-se.

Mas há muitas coisas...

Beijos,
Zorze

Diogo disse...

Este blog é a imagem da tua reluzente carruagem de cavalos ou do baile onde rodopias no palácio do rei. E se tivesses perdido um sapatinho, numa fuga precipitada às doze badaladas, haveria com certeza muitos príncipes à procura do par.

Beijo

Fernando Samuel disse...

Tiveste pouca sorte com a fada madrinha que te calhou, é o que é ( se nem te livrou dos joanetes...)

Um beijo.

Ana Camarra disse...

Mugabe-Sou uma pessoa, só mais nada!

Zorze-Volto a dizer, não sou. Quanto a esses que dizes ainda não dei por nada!

Diogo-Este blogue é imagem da minha cabeça dura!

Fernando Samuel-Pelo menos os joanetes...

beijos