quarta-feira, 27 de maio de 2009

Passos trocados!


Sou despistada em certas coisas, muito mesmo.
Uma das minhas características é não ter sentido de orientação, perco-me com uma facilidade incrível, por um lado porque me distraio, por outro não sei.
Vestir camisolas do avesso, andar todo o dia com umas calças de malha também do avesso ou calçar sapatos diferentes não é fora do comum em mim.
A primeira vez que fui a conduzir para Lisboa, a família entrou mais ou menos em pânico, para além desta minha característica, a carta de condução era recente.
O meu tio explicou-me, fez-me uns esquemas e queria ir comigo. Não podia, o meu carrinho era um Micra, a tarefa era ir esperar o meu cara-metade ao aeroporto, a mala não cabia na exígua bagageira, teria de ser transportada no banco traseiro.
Fui sozinha, nevoeiro cerrado, enganei-me na saída, dou por mim com placas indicadoras da distância que me separava do Porto…
Saí em Santa Iria da Azóia, retornei a auto-estrada para Lisboa, fui mais ou menos seguindo os aviões que aterravam, consegui chegar ao terminal de cargas e descargas do aeroporto da Portela, dou mais meia dúzia de voltas á procura do aeroporto com o dito cujo mesmo frente a mim.
Estacionei mesmo a tempo, quando ele sai do avião, ali estava eu.
Então sempre deste com isto?!
Respondo com um ar superior: Estou cá não estou!
Eu sei que existem aqueles aparelhos irritantes, GPS’s, onde a menina vai dizendo para virar á esquerda ou á direita, fazer inversão de marcha e mais não sei o quê.
Ainda assim prefiro seguir os meus passos, ainda que baralhados!
Porque no fundamental, não me engano!

12 comentários:

samuel disse...

Sem as lições que nos são dadas pelos erros, um acerto seria sempre uma irrelevante obra do acaso.

Abreijos.

PAULO LONTRO disse...

Adorei a frase do samuel.
Fantástica!

Sandra disse...

Oi Ana,

Realmente, é o caso do "acertar por acaso", como disse o Samuel.

Até no título você trocou os passos....hahahaha

São coisas que nos acontecem vez ou outra, mas no geral faz parte.

Beijos,
Sandra

pedropina disse...

eu sou tao dispistado
e tenho um sentido de orientação tao mau
k a descer uma rua, entro numa loja
e kdo saio,
começo a subir a rua!

salvoconduto disse...

Sou fã do GPS embora não tenha nenhum. Mas está na mira um telemóvel com o dito. Só estou à espera da promoção.

Curiosamente também uso aqui na Internet uma espécie de GPS, que se chama Neotrace e que através do endereço HTTP ou do IP consigo identificar o local onde está situado, e o caminho até lá chegar.

Abreijos.

Diogo disse...

Ser despistado significa que o cérebro se concentra mais no essencial que no acessório. Demonstra um pensamento mais fecundo. A profundidade e a beleza dos teus textos confirmam-no.

Beijo

Ana Camarra disse...

Samuel-Nem mais!

Paulo-O Samuel é fantástico!

Sandra-Obrigadinho, já corrigi!

pedropina-Ainda ontem dei uma barraca de estalo, duas horas perdida....


Salvo-Irritam-me tanto esses zingarelhos que nem imaginas!

Diogo-Ès um querido, não sei se aplica essa teoria á minha pessoa!

beijos

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Tmbém me recuso a recorrer aos serviços do GPS. Oriento-me pelo sol ou pelas estrelas. Quando o céu está nublado, recorro ao instinto. Acaba por dar sempre certo...

Ana Camarra disse...

Carlos

Eu logo vi que tinhamos algo em comum!
Acaba por dar certo!

beijos

Zorze disse...

Ana,

Falta aí uma pontinha de Morcego!

Mas, pelo que te conheço, e olha que eu olho profundamente, és uma Mulher muito segura de si, ciente do seu papel, com posicionamento consciente da vida.
Mesmo que às vezes não penses assim!

Falta só a parte da Extrafisicalidade e de outras dimensões. Mas estás quase lá.

Beijos,
Zorze

Fernando Samuel disse...

Nada como seguirmos os nossos passos: errar, corrigir o erro, voltar a errar...

Um beijo.

Ana Camarra disse...

Zorze-Morcego? MORCEGO?!
Tenho radar ou sou pitosga?!

Fernando Samuel-è para isso que os erros servem.

Beijos