segunda-feira, 20 de abril de 2009

Limões pois claro!

Ultimamente sou confrontada comigo própria, uma estranha luta esta.
Se por um lado perfilam-se memórias que julgaria serem só memórias e nada mais, por outro, essas memórias reinventam-se outra vez obrigando-me uma vez mais a passar pelos mesmos estados de espírito.
As minhas mãos estão cobertas de pequenos golpes, sinal de cansaço, quando abuso de mim própria, o meu corpo vinga-se das mais estranhas maneiras, deixando de funcionar correctamente, por exemplo a manusear objectos, portanto quando se trata de facas o resultado é este.
Por outro lado enfrento há vários dias uma espécie semi vigília, onde não consigo um sono único e reparador, com a benesse do descanso, salto, falo, discurso, movimento-me, durante os curtos períodos em que durmo, num soluçar cansativo.
Aguardo ainda muitas coisas, em suspenso, resultados, acções, decisões, enquanto isso os relógios giram loucos a consumir segundos, minutos e horas, onde várias coisas de sobrepõem não dado tempo nem para pensar, apreciar, programar.
Tudo, quase tudo é feito sob pressão, o que me angustia ainda mais.
As notícias cansam-me, os jornais afligem-me e até as pequenas coisas do dia a dia ameaçam ser catastróficas, esqueço-me de travar o carro, visto roupa ao contrário, esqueço-me de coisas importantes, baralho outras, desiludo-me a mim própria...
Agora um pequeno refrigério, um Concerto intimo e emocional, José Mário Branco, sempre bom, o encontro com amigos no fim do concerto, dois dedos de conversa e um saco cheio de limões, porque os amigos partilham estas coisas, memórias, chatices, carinhos e limões pois claro!

13 comentários:

salvoconduto disse...

E ainda dizem que os limões são ácidos. Esses sairam de mãos doces pela certa.

Abreijos.

mugabe disse...

Precisas de tirar 1 semana para descansar !!!

Abraço!

Maria disse...

A minha noite também foi de partilha. Aliás, o dia todo.
Só não foi aí porque... às vezes não se pode ter tudo ao mesmo tempo...

Beijos, Ana

Sostrova disse...

Não te vi!!!
Mando-te os beijos na mesma.

Anónimo disse...

Aninha, precisas de parar, nem que seja um bocadinho!
2 dias à beira mar, 1 dia então?!
Esqueces a chatices, desligas o telemóvel e paras para ouvir o mar, os pássaros e os gritos das gaivotas!
Que te parece?

Um abracinho

Lagartinha de Alhos Vedros

Ana Camarra disse...

Salvo-Adoro citrinos, tem sempre o sabor do sol.

Mugabe-Preciso mas não tenho.

Maria-Pois, não podemos.

Sostrova-Mas eu vi-te

Lagartinha-Preciso mesmo!

Beijos

Fernando Samuel disse...

Quando é assim, é preciso parar - parar um pouco, ou parar um muito, isto é, parar até à recuperação total.

Um beijo grande.

Ka-Va-Ku disse...

Por amor de deus...eu ando numa escola pública...

deixe me dar os erros que quiser...

atenção!

Os pais desses adolscentes necessitam de um valium e chá preto enquanto ouvem michael bublé no sofá...depois é so adormecerem e acordarem as 13:00 do dia seguinte que ai eles ja estao em casa ; D

sagher disse...

é ana as memórias, o tempo, os amigos, as terulias. As belas tertulias que se mantinham num banco de jardim nos dias em que o tempo não existia e os amigos eram presentes. No tempo em que nem sonhavamos ter um dia "memórias.
Ainda te recordas duma canção?
" free free set them free" ~

Diogo disse...

É necessário tempo para respirar, com limões ou sem eles…

Beijo

Zorze disse...

Fofa,

Bebe uns whiskys que isso passa!

Beijos,
Zorze

anad disse...

Gostei tanto deste desabafo que eu diria poético. Todos tems momentos destes acredita, mas lá ao fundo há sempre um azul ao longe...
Beijinhos
Anad

Ana Camarra disse...

Fernando Samuel-Pois terá de ser.

Ka-va-ku-Logo falamos.

sagher-Lembro-me da musica e de a cantarmos a plenos pulmões na varanda do barco que já não existem depois de três dias acampados na Festa do Avante. è um fio condutor, amar é deixar sempre o outro livre.

Diogo-Com limões é melhor!

Zorze-Não passa assim, só entorpece.

Anad-Sim há sempre azul ao longe!

Beijos