domingo, 22 de março de 2009

Maravilha de País.


Eu gosto do meu País, gosto do clima, da paisagem sejam as charnecas do Alentejo, as praias de areia dourada, o verde do norte, a rudeza das serras, o Vale dos rios, o recorte da costa, gosto da nossa gastronomia, amêijoas à Bulhão Pato, Migas com Espargos, enchidos de todo o lado, doçaria conventual, gosto dos monumentos que temos, portanto quando gostamos de uma coisa, de uma pessoa afligimo-nos por ela, não é?

Parece que começou a época de incêndios, hoje eram 15, há pouco tempo foram cheias, antes disso os camiões atravessavam toda a Europa, muito mais gelada e nevada, chegavam cá e paravam por causa de uns centímetros de neve….
Será muito complicado?



Será que não se pode canalizar pessoas que estão a auferir Rendimento de Inserção, para as quais não se encontra emprego para limpar as matas?
Será que se pode uma vez por outra urbanizar respeitando os cursos de água?
Limpa-los antes do período de chuvas para evitar males maiores?
Será que se poda ter arranjado uns veículos que espalhassem sal nas estradas à medida que nevava, para impedir este estrangulamento, só sal, nada mais?
Será que se podia criar corpos de Bombeiros profissionais em vez dos eternos voluntários, que são extraordinários, mas estão cansados, mal equipados e muitas vezes a única formação que possuem é a sua boa vontade?

Será que uma vez se poderia investir em meios efectivos de combate a estes fenómenos cíclicos em vez de: submarinos, observatórios, cimeiras, visitas de estado?
Como gosto muito do meu país preocupo-me com ele, qualquer dia não existe promontório ou praia sem condomínio em cima, mata que não seja de eucalipto e mimosas, Rio que não seja um charco…

11 comentários:

Zorze disse...

Pelo menos já somos dois. Também gosto muito do meu País.
Por isso custa tanto vê-lo a ser (des)governado por esta cambada de mafiosos de meia tigela, corruptos, pedófilos, hipocratas, ladrões e em suma, gente de mau carácter, de mau fundo. Os verdadeiros cancros a serem eliminados num futuro que se aguarda para breve.

A questão da limpeza das matas é antiga. São beneficiários de rendimento mínimo, são militares ou presidiários em regime aberto. O certo é que ninguém lhes toca. Ideias há muitas, mas no concreto "nicles".

Aos criminosos do fogo posto era "botá-los no fogo, os malandros" e vê-los a arder. A derreterem-se.

Beijos,
Zorze

Sun disse...

Gostei do que li, das tuas ideias. Principalmente das pessoas que recebem o rendimento de inserção. Acho que essas pessoas podem fazer trabalho comunitário... Mas como já ouvi um beneficiário do rendimento dizer que ninguém lhe pagavam 700€ por mês deixava-se ficar em casa com o rendimento...

Sun disse...

... é verdade... as tuas escolhas musicais são fantásticas. Parabéns.

salvoconduto disse...

Eu também gosto muito do meu país. Eu nunca fui ao meu país. Onde posso encontrar o meu país?

Abreijos.

Ana Camarra disse...

Zorze-Pois!

Sun-Se tivessem que prestar serviço comunitário adequado á sua idade, condição fisica, caso contrário não havia subsidio. Ainda bem que gostas das músicas.

Salvo-Talvez seja melhor reinventarmos o país, tem boa matéria prima.

Beijos

mugabe disse...

Ana, antes de ires ao blog do Zorze para me criticares,...devias estar mais atenta e com a pestana mais aberta para descortinares que não era eu! não sabes que existe uma coisa chamada "provocadores" ? e na dúvida, não te manifestavas !!
Mas não sei porquê, tens a mania de me dares sermões que é uma coisa que eu não gramo definitivamente!

AP disse...

Pois é! Como é possível um país tão pequeno dar tanto trabalho a governar? Ou então não dá trabalho e é simplesmente mal frequentado...

Ana Camarra disse...

Mugabe-Não fui para te criticar. Fui lá só. Deixa lá é a minha veia maternal.

AP-Muito mal frequentado!

beijo

duarte disse...

li este teu texto ao som do Libertango...
abraço do vale

Ana Camarra disse...

Duarte-Grande Astor!

beijos

Fernando Samuel disse...

Qualquer dia o País é o charco da política de direita...


Um beijo.