Tenho de crescer!



Ver os filhos crescer tem muito que se diga, a partir daquele momento que irrompem do nosso ventre, nada mais é igual.
Por vezes antes.
A partir daí passam a ser o centro do nosso mundo, as nossas vidas passam a estar cronometradas pelas suas necessidades, com alegria, é uma doce obrigação na maior parte dos casos.
Ficamos reféns daquele cheiro de bebé, daquelas mãos que servem de âncoras, das perguntas, dos primeiros passos, dos primeiros dentes, das primeiras palavras, das primeiras letras.
Passam a marcar o ritmo da nossa vida, a hora de deitar as refeições, os passeios, as férias, a hora de acordar, acordar muitas vezes, quase nunca mais conseguir ler um livro com calma, um jornal, as idas ao cinema sujeitas ao “Para menores de 6 anos”, “…de 10” …
Depois um dia crescem, são sempre os nossos meninos, mas vão sós, ao cinema, aos passeios, e aqueles anos longos em meses, dias e horas, foram rápidos.
Muito rápidos.

De repente voltamos ao ponto de partida temos de aprender a estruturar tudo outra vez de outra forma, aprender nós, a andar sós, a ir ao cinema sem eles, a passear sem eles, fazer jantar para menos pessoas.
Custa um bocadinho mas temos de crescer, não é?
(Aqui ao lado Chico Buarque canta que as suas neninas já saem sózinhas e os Tribalistas dizem que já sabem namorar. Os meus meninos já saem sozinhos e sabem namorar...)

Comentários

salvoconduto disse…
Nunca se sabe quando daqui a algum tempo tens que reestruturar tudo novamente em função de hipotéticos netos. Who knows?

Pelo sim pelo não aproveita.

Abreijos.
PAULO LONTRO disse…
Mulher, não pintes esse quadro dessa maneira….. please
(porque é tão verdadeira)
PDuarte disse…
temos.
temos de crescer e saber decrescer.
custa mas tem que ser.
mas sejam eles felizes, e tudo corre.
bj.
...saiem sozinhos e sabem namorar, depois voarão mais alto e aí...o nosso ninho fica frio de silêncio e somos nós que, com as nossas asas que outrora foram densas e quentes agora frageis e sedentas, encetamos novamente o voo...!

Beijinho Ana
Zorze disse…
Anuelle,

A Vida é uma permanente aprendizagem, ...

Beijos,
Zorze
Ana Camarra disse…
Salvoconduto-Espero que falte, um tem 17 o outro 18....
Paulo - Tu sabes que o Perter Pan não existe, eles crescem...


Pduarte-è isso o fundamental é que se cumpra essa permissa, que sejam felizes.

Ausenda-Não, não, temos de refazer o ninho, com um espaço pcional para eles se e quando quiserem, fazer toda a tralha que deixamos de fazer. È claro sempre a pensar se estão bem..

Zorze-Essa é uma verdade absoluta ! (nunca me tinham chamado isso!)

beijos
Maldonado disse…
Acredito que para uma mãe essa situação seja um bocado complicada.
De facto todos os seres, inclusive os humanos, nascem e crescem, seguindo depois o seu curso natural. Logo, a autonomia dos teus filhos é um reflexo dessa evolução. Com o tempo voltarás a crescer como eles...
A propósito dessa questão recomendo-te o filme derrotados dos Óscares "O estranho caso de Benjamin Button"... ;)
SENSEI disse…
Díficil!... Muito difícil!
Mas, eles crescem, assim como cresce o orgulho dos seus pais.

Xôxos

Ouss
Menina Idalina disse…
Ana : Atão agora com o "sindrome do ninho que pode ficar vazio " LOL
Ana Camarra disse…
Maldonado-Já estava com intenções de ir ver. Ser mãe é uma aventura!

Sensei-E são sempre pequenos na mesma...

Menina Idalina-Isto tem mesmo dias!

beijos
Fernando Samuel disse…
É: temos de crescer.



Um beijo.