Sabes?



Sabes do que me lembro?
Não me lembro da cor da camisola, nem me lembro se tinha o cabelo longo, curto, apanhado, solto, nem me lembro de outras coisas.
Mas lembro-me da luz do sol entre a folhagem, lembro-me do cheiro a sal, dos gritos alucinantes das gaivotas, da música que tocava em surdina no rádio do carro, apesar de estar calor, das tuas mãos a provocar arrepios…

Comentários

Zorze disse…
Ui, ui!
Isso está escaldante...

Isto Tem Dias e isto tem dias "muy calientes".

Beijos,
Zorze
salvoconduto disse…
Já me desassossegaste. Pareço o Vitorino Nemésio, se bem me lembro...

Abreijos.
Ficaram as melhore recordações, Ana!
beijos
Diogo disse…
Um pequeno e belo poema.

Parabéns
Beijo
mugabe disse…
Ana, e eu a pensar...onde é que eu já vi este filme ??

Abraço
Princesa disse…
Lindo este texto.
Fez-me estremecer...

Beijo
Ana Camarra disse…
Zorze-Tem dias...

Salvoconduto-Quando não há mais nada, há momentos inesqueciveis.

Carlos-Que nunca a amnésia nos ataque!

Diogo-Um escrevinhanço.

Mugabe-Ainda bem que viste.

Princesa-Ainda bem que sim...

beijos
Fernando Samuel disse…
Lembras-te, tão somente, do essencial...


Um beijo.