terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Flutuo

Por vezes músicas que já escutámos centenas ou milhares de vezes “batem-nos”, como dizem os meus filhos.
Talvez porque acto de flutuar seja o que quase menos esforço exija e simultaneamente mais calma e prazer me dê, talvez porque existem sempre uma infinidade de coisas que estão sempre penduradas à espera de um amanhã que tarda, talvez porque me faça muita falta aquele balanço confortável, seguro, inquietante da maré que acho que marca vários ritmos em mim.
Esta “bateu-me” hoje:

Flutuo, consigo deslindar o meu gosto sem esforço
Balanço é o que a maré me dá e eu não contesto
O meu destino está fora de mim e eu aceito
Sou eu despida de medos e culpas, confesso
Hoje eu vou fingir que não vou voltar
Despeço-me do que mais quero
Só para não te ouvir dizer que as coisas vão mudar amanhã
Flutuo, consigo deslindar o meu gosto sem esforço
Balanço é o que a maré me dá e eu não contesto
Amanhã, pensar nisso sempre me dá mais jeito
Fazer de mim pretérito mais que perfeito
Hoje eu vou fingir que não vou voltar
Despeço-me do que mais quero
Só para não te ouvir dizer que as coisas vão mudar amanhã, amanhã
Hoje eu vou fugir para não me dar a vontade de ser tua
Só para não me ouvir dizer que as coisas vão mudar amanhã, amanhã, amanhã
Flutuo

8 comentários:

PAULO LONTRO disse...

e bateu muito bem...!!!

salvoconduto disse...

Para flutuar temos mesmo que querer e abandonar-nos sem medo.

Abreijo

Anónimo disse...

Que boa escolha, bateu-me muito bem em mim.
Não aprecio muito F.Pessoa, mas entre uns e outros há alguns de que gosto, ofereço-te hoje um dos que gosto e que me parece feitinho para ti.

Por trás daquela janela
Cuja cortina não muda
Coloco a visão daquela
Que a alma em si mesmo estuda
No desejo que revela

Não tenho falta de amor.
Quem me queira não me falta.
Mas teria outro sabor
Se isso fosse interior
Àquela janela alta.

Um beijinho
Lagartinha de Alhos Vedros

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Às vezes também me acontece e gosto da sensação.
Beijos

Sunshine disse...

Uma sensação boa, deixa-te ir, sabe mt bem :)

Bjinhos Ana

Fernando Samuel disse...

E «bateu-te» mesmo em cheio...


Um beijo.

Zorze disse...

Ana,

Atenta às sábias palavras do salvoconduto - "Para flutuar temos mesmo que querer e abandonar-nos sem medo".

Nem mais.

Beijos,
Zorze

Ana Camarra disse...

Paulo-logo de manhã!

Salvoconduto-Não conheço outra forma.

Lagartinho-Que lindo! Obrigado.


Carlos-Depende da música.


Sunshine-No duche não consigo :)

Fernando Samuel-Foi mesmo.

Zorze-Eu estou sempre atenta ás palavras de quem gosto!

beijos