terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Espero sempre



Espero sempre
Espero outra madrugada
Espero-te a ti, sempre
Espero que tudo vá correr bem
Espero nunca estar só
Espero apenas que me deixem estar
Assim só comigo, de vez em quando
Espero continuar a não saber fingir
No dia em que aprender já não serei eu
Terei reinventado outra
Espero que as coisas germinem
Todas as coisas, as flores, os sorrisos,
As raivas, as esperanças, as calmarias
As carícias também
As gargalhadas
Espero terminar sempre o projecto
O que tenho entre mãos
O que ainda não iniciei
Até aquele que nem em sombras existe
Espero o sol sempre
Espero que o tempo não seja inclemente
Espero não prometer nada, mesmo inadvertidamente
Não gosto de faltar a promessas
Espero por vezes sentada num sítio qualquer
Algo que nem sei o que é
Espero por mim?
Ou será que já passei e nem me dei conta?
Entretanto como não gosto de esperas ociosas
Encho-as
De mim

9 comentários:

poesianopopular disse...

Ana
...E não é que, ficam muito bem cheias!
Continua que eu gosto!
Bjos amiga

Diogo disse...

Está descansada, a linha de combóio que é a vida ainda tem milhões de quilómetros a percorrer.

Beijo

salvoconduto disse...

Assim, vale a pena esperar...

Abreijos

Maria disse...

Acho que todos esperamos "uma outra madrugada"...

Um beijo

Sandra disse...

Ana,

E eu espero que você continue assim inspirada. Lindos versos.

Um beijo,
Sandra

mugabe disse...

Muito bonito. Parabens !!

Abraço!

Ana Camarra disse...

José-Isto é de vez em quanto...

Diogo-Tenha os que tiver tenho de os aproveitar!

Salvoconduto-.Pois faz-se para que até os compassos de espera sejam positivos.

Maria-Acho que sim.

Sandra-Espero não te desiludir.

Mugabe-Obrigado.

Beijos

Fernando Samuel disse...

Esse é um esperar cheio de esperança...


Um beijo.

Zorze disse...

Ana,

As esperas e os preenchimentos são uma gestão de equilíbrios muito complexa.

É o sal da vida, se fosse fácil, não precisávamos de nascer.

Beijos,
Zorze