Eis

Eis que chega outra vez uma sexta feira ou nós chegamos a outra, não sei se é o tempo que avança decidido, arrogante, se somos nós que nos multiplicamos em mil e uma tarefas para amanhã, depois de amanhã, para o outro dia e assim conseguimos fazer uma espécie de prova de barreiras, onde galgamos as coisas sem pensar no rasto que fica atrás de nós, só pensamos na próxima, que no imediato passa a ser a última, fica esquecida.
Nesse rasto fica tanta coisa, os telefonemas que não fizemos, as horas que não dormimos, aqueles pedaços só nossos para olhar qualquer coisa, aquela meia hora que nos era imprescindível para outras coisas que não fosse estar só um bocadinho, mesmo só um bocadinho parado, num sofá, numa marginal a ver a água, num jardim, só a ver o céu.
E nas sextas-feiras ficamos neste compasso, do fim-de-semana, que é mentira, porque não livre, desocupado e ocioso, nem é fim, é só dois dias com compromissos diferentes, nada mais que isso. Um respirar profundo, um outro fôlego.

Comentários

Fernando Samuel disse…
E porque não amanhá em Almada?...


Um beijo.
Ana Camarra disse…
Fernando Samuel

Exactamente, amanhã em Almada!

beijos
Menina Idalina disse…
Ana : eu cá adoro a ociosidade do fim-de-semana.
Faz-me bem ..... mesmo que tenha outras rotinas
salvoconduto disse…
Sexta é o dia em que começa a descompressão, será por isso que algumas vezes lhe chamam santa?

Por mim vou de fim de semana ao volante do Mercedes Benz.


Abreijos.
Porque o mundo é... um roda!!!!!

Beijinhos
e bom fim de semana
mugabe disse…
Será ?

Abraço!
Anónimo disse…
Almada é uma cidade boa para se passar um sábado rodeada de amigos!
Um "ganda" abraço
Lagartinha de Alhos Vedros
Lúcia disse…
Salvo - mercedes benz?! Dá-me boleia:)
ANA isso tudo e o fôlego fôlego fôlego que falta...
Bom fim de semana;)
duarte disse…
Sexta?... não dou por isso, a minha noção de tempo fica por vezes destorcida, não tenho rotinas...é bom? às vezes.
janis , gostei... lembra-me uma amiga cabo-verdiana.
abraço ana
Zorze disse…
Anniette,

No meu trabalho temos um placard electrónico, na qual, a parte que refere o dia só tem 3 letras.
Isto significa que à Sexta apenas apareça "Sex", e dizemos sempre "hoje é dia de SEX".

É o dia que arregalamos os olhos meio cabriolhos, a tentar prever o que nos cai em sorte no fim-de-semana. Às vezes dá azar.
É uma lotaria que dá uma espécie de sal à vida.

Beijos,
Zorze
poesianopopular disse…
Ana

Almada cidade oa sul da esperança
feita de sonho e de magia
De quem sabe esperar sempre alcança
motivos de orgulho e de alegria.

Bjos camarada
Luis Rocha disse…
Em honra ao camarada Sérgio Moreira, prosseguimos o combate solidário com a Revolução Bolivariana!
http://radiomoscovo.blogspot.com/2009/02/sergio-moreira-vitoria-de-um-resistente.html

Esta semana vamos dedicar ao feitos da Revolução! Fiquem atentos. Aqui vai um aperitivo.
http://tirem-as-maos-da-venezuela.blogs.sapo.pt/

Sábado, 28 de Fevereiro de 2009
Inflação e Salário Mínimo na Venezuela

A Inflação na Venezuela

De 1999 a 2008, durante a governação de Chávez, a soma da inflação anual acumulada é de 211%. A média por ano é de 21,1%. A inflação média durante os últimos 8 anos antes de Chávez foi de 50,8%. A inflação é um problema sério na Venezuela, quem o cria são os empresários capitalistas não é o Estado - que segue os controles de preços da Lei à risca. A solução é, na minha opinião e na de cada vez mais trabalhadores e sindicalistas venezuelanos, nacionalizar as empresas do sector alimentar e de outros produtos para o dia o dia e colocá-las sob Controle Operário (gestão democrática dos trabalhadores).



Fontes: Wikipédia, Banco Central da Venezuela, Instituto Nacional de Estatísticas (Venezuelano)

O Salário Mínimo na Venezuela

O último aumento do Salário Mínimo (na Venezuela) em 2008 trouxe o valor para 372 dólares ( 799 Bolívares Fortes na moeda venezuelana). Ao salário mínimo adiciona-se, no sector público e em parte do sector privado (porque alguns capitalistas não cumprem a lei), o "cesta ticket" (subsídio de alimentação) que em 2008 era de 186 dólares. Então o salário mínimo mais "cesta ticket" na Venezulea dá 558 dólares (440 euros). Além disso devemos ter em conta que os serviços publicos são gratuitos e mais vastos que aqui em Portugal. Na Venezuela todo o sistema de saúde e o sistema de ensino (do primário ao superior) públicos são gratuitos, não existem nem propinas nem "taxas moderadoras".

Antes de Chávez, nos últimos 9 anos anteriores de 1990 a 1998 (sob as presidências Carlos Andrés Perez, Ramón Velásquez, Rafael Caldera - dois do PS e outro do PSD lá do sítio), o salário mínimo médio desses 9 anos foi de 101 dólares. Ou seja, pelas minhas contas o salário minímo venezuelano atingiu um patamar que é quase o quatro vezes superior aos da época neoliberal dos 90.

Fontes: Observatório do Algarve, Tirem as Mãos da Venezuela (Brasil), Aporrea, BBC Brasil, Wikipédia
Rei da Lã disse…
Bom fim de semana!

Sobretudo se faltares ao congresso do Heil Sócrates...


Bj.
Ana Camarra disse…
Menina Idalina-È tão raro ter um fim de semana ocioso.

Salvo-Se calhar é!

Mugabe-Ou não será eis a questão!

Lagartinha-Pois foi!

Lúcia-Respira......inspira!

Duarte-Homem sortudo sem horários.

Zorze- Essa cabecita.....
(quero amendoas na Pascoa!)


José (Poesia)-Eu estava à espera de te encontrar lá!

Luis Rocha-Bem Vindo

Rei da Lã-Megestade não seja assim provocador, eu estive nos outros em Almada...

Beijos
SENSEI disse…
A isso, chama-se viver o dia, daí teres no teu télélé uma saudação onde se lê:
"Carpe diem"

Ou seja, aproveita o dia, pois dia-a-dia se faz uma vida!

Xôxos

Ouss