ABRACADABRA!


As crianças respondem de forma surpreendente, relembro o meu filho mais velho com cerca de quatro anos num almoço família, pediu o pão, à minha tia, que lhe perguntou “Qual é a palavra mágica?”.
Ele pensou e respondeu “Abracadabra
Da mesma forma que com uns 5 anos iniciou o irmão nos mistérios da reprodução humana, jantar em família, o mais novo pergunta:
Como é que os bebés vão parar à barriga das mãe? Elas engolem-nos?”
Eu corri para a dispensa, morta de riso, deixando o pai embaraçado a pensar como ia explicar tal coisa ao nosso reguila de 3 anos. Não foi preciso, o irmão elucidou-o:
Sabes as bolinhas junto à pilinha? Quando formos grandes ficam cheias de sementes, depois os pais despejam as sementes na barriga das mães, elas vão todas a correr, a que ganha transforma-se num bebé, se ganharem duas ficam como a Maria e a Isabel (duas gémeas)!”
Limitei-me a confirmar que sim que era verdade.

Todos os pais tem histórias destas, afinal eles sabem mais do que parece, conseguem perceber o mundo melhor do que pensamos.
Até podem substituir o enfadonho Se faz favor com algo muito mais divertido como Abracadabra!

Comentários

Fernando Samuel disse…
ABRACADABRA!!!!


Um beijo.
salvo disse…
E quantas histórias da nossa meninice foram feitas em torno da palavra abacadraba? Por mim perdi-lhes a conta.

Abreijos.
mugabe disse…
ahahahahahah,...fabulosa essa resposta do teu puto...Abracadabra

Abraço!
Mar Arável disse…
Os filhos também ajudam

a educar os pais
duarte disse…
eheheh... nada melhor do que ouvi-los.temos muito a apreender com eles.
abraço do vale
Maria disse…
QUE DELÍCIA!!!!!

Beijo
korrosiva disse…
eheheheh...adorei a explicação!
Uma ternura ;)

beijinhoss
Eric Blair disse…
sementinhas do mundo, uni-vos!
;)
Zorze disse…
Ana,

E também há a história da cegonha. Também é difícil de desarmar.

Os filhotes saíram aos Pais, inteligentes que só!

Beijos,
Zorze
Diogo disse…
Como sempre um belíssimo texto, com lindíssimas fotografias a condizer e a música sempre certa.

Cada post, uma obra de arte.

Beijo
AP disse…
Ri imenso com esta história deliciosa. Simplesmente fantástica!
Assim se vê como as crianças, por vezes, simplificam aquilo que nós, adultos, adoramos complicar.
Ana Camarra disse…
Fernando Samuel-Magia!

Salvo-Eu também!

Mugabe-O meu menino é surprendente!

Mar Aravél-Educam muito.

Duarte-Temos mesmo.

Maria-É mesmo.

Korrosiva-É, não é?

Eric-Nem mais!

Zorze-São o meu orgulho os meus meninos.

Diogo-Preciso de um babete.

AP-Simplificam aquilo que é obvio.

beijos
Menina Idalina disse…
Pois, são acima de tudo inocentemente doces. Olhar esse crescimento e manter essa inocencia pura dos afectos é uma tarefa hercúlica. Mas, é só preciso desejar fazê-lo !
samuel disse…
Em condições normais, eles podem substituir virtualmente tudo com algo muito mais divertido...

Abreijos
Lúcia disse…
:) ANA
Guardar as histórias deles é criar um verdadeiro tesouro...e também anedotário! E oq ue eles gozam connosco, quando nos levamos demsaiado a sério! Um must estes nossos meninos!
Bjs
SENSEI disse…
Pois!... O que é um facto, é que hoje ainda, um com 18 quase 19 e o outro com 17, ainda falam muito um com o outro, agora têm as suas próprias explicações e respectivas cumplicidades, que muitas, senão a maior parte das vezes expressam-nas em inglês, parece que se sentem mais à vontade, será que os genes do seu tetravô Evans se evidenciaram?!... O que é certo, é que falam inglês tal e qual como o português, as constantes notas de 5 e, posteriormente de 20 a Inglês, provam-no para ambos.
Mesmo agora, na universidade, o mais velho já foi convidado por uma universidade Australiana, tal não foi a sua exposição técnica em inglês, que acabou por interessar já além fronteiras.
Acredito que os frutos, vão sem dúvida nenhuma, honrar a árvore ao mais alto nível e, seguramente, mesmo ultrapassá-la.

Ter orgulho nos nossos filhos, é algo que devemos possuir e dar-lhes a conhecer que o temos!

Xôxos

Ouss