Pronto, incomoda



Pronto incomoda-me o teu abraço!
Incomoda-me ainda mais esse sorriso de alegria de pechisbeque que te apressas a usar quando me encontras!
Incomoda-me o sabor a cinza salgada na minha boca!
Não me olhas nos olhos!
Pedes de forma implícita a minha aprovação a cada palavra que deixas suspensa, à espera que te transmita um olhar, um pequeno aceno de cabeça!
Não porque as sintas, só por causa da máscara.
Não te dou nada, nem um sorriso, nem os meus braços respondeu aos teus calorosos abraços que ainda são frios, porque os meus braços pendem moles.
O sorriso que te concedo, nem te dou tão pouco, é um esgar!
Sim, fazes me desconfiar de mim própria.
Pergunto ainda quanto tempo mais irás usar uma máscara, que já te aperta as faces, como uma tortura.
Pergunto ainda onde está quem eu acreditava que teria uma face doce, talvez humana e genuína, onde está quem eu pensava que era transparente, será que alguma vez existiu?

Comentários

korrosiva disse…
Há quem sem uma mascara não seja ninguém...

beijinhos
poesianopopular disse…
Ana
O que é que se passa amiga, não estou a ver alguem com coragem para te mostrar a mascara em vez da face, Seja como for, tu lá sabes.
Bjos e uma boa noite de natal na companhia dos teus intimos.
mugabe disse…
Gostei !!!!

Abraço sem incómodo !!!
Olhar nos olhos
é verdade
é transparência
olhar esguio
é medo
e vazio...!

A máscara é atitude pequenina e cobarde!

Boa, amiga!
Bom Natal para ti
Um beijo
Zorze disse…
Ana,

O querer que os outros sejam o que nós queremos, é o primeiro erro fatal.
Temos que respeitar as máscaras e perceber porque as usam.
Desmontar máscaras é fácil, demasiado fácil. Tão fácil que as pessoas complicam de tal maneira que se torna a coisa mais separativa do mundo.

E é tão fácil...

Beijos,
Zorze
Ana Camarra disse…
korrosiva-Com mascara e sem ela, há quem não saiba o que é.

José (Poesia)-Não sei se é coragem, cobardia ou estupidez, mas estar á frente de pessoas que fingem gostar de ti quando sabes que não, mete asco.

Mugabe-O teu abraço é recebido sem incomodo.

Ausenda-è mesquinhez mesmo, nada mais.


Zorze-Desculpa, pessoas respeito, mascaras não.

Beijos
Fernando Samuel disse…
As máscaras são sempre indesejáveis - excepto para os que a elas recorrem, eles lá sabem porquê...


Um beijo.
Ana Camarra disse…
Fernando Samuel

Pois, só eles sabem!

beijos