domingo, 14 de dezembro de 2008

Do Amor e outros demónios…


O título não é original, mas adiante.
O que cobiçamos?!
Parece que aquilo que vemos muitas vezes, aquilo que nos parece inatingível, ou ainda aquilo com que nos identificamos. Sinceramente não sei.
Se por vezes são os nossos opostos que nos atraem, outras vezes parece que são os mais semelhantes.
Mas também não tenho a certeza que a atracção tenha a ver com a cobiça.
Poderá ter a ver com o desejo com a cobiça, tenho dúvidas. A cobiça implica posse, a posse nas relações amorosas não é grande coisa….
Conheço, conheci, casais verdadeiramente semelhantes como conheço e conheci casais opostos, perfeitamente opostos.
Conheço pessoas que têm ao longo da vida uma sucessão de relações amorosas semelhantes. Semelhantes no aspecto, na maneira de ser, na postura, como se tivessem agarrados a um modelo.
Conheço também quem aposte na diversidade, o próximo diferente do anterior, em tudo.
Já ouvi muitas teorias sobre o que nos atrai, a semelhança, a diferença, questões fisiológicas e químicas, simples impulso sexual, fascínio intelectual, sentimentos de protecção ou pelo contrário a sensação que nos protegem….Pensando bem deve ser um pouco disso tudo!

12 comentários:

salvoconduto disse...

Se conhecessemos devidamente a resposta se calhar não teria tanto interesse.

Abreijo

poesianopopular disse...

Ana
A atracção, é inesplicável!
A mim o que mais me atrai no homem como amigo e na mulher, como amiga ou companheira, são os olhos, e a expressão do sorriso, o resto é tudo segundário!
Bjos camarada

Ludo Rex disse...

Claro que é um pouco disso tudo...
Kisses

PAULO LONTRO disse...

Será um pouco de tudo, como em tudo na vida.

Maldonado disse...

As relações humanas, bem como os seus múltiplos vectores, são demasiado complexas para serem conceptualizadas em preposições lógicas.
A atracção tem muito que se lhe diga, pois é mais intuitiva que racional.
Colocaste uma questão difícil, que daria um livro ou um filme indiano. :))

Diogo disse...

Já descobri há muito que há vários estilos diferentes de mulheres que me atraem e julgo que isto se passa com muita gente. Deve ser como tu dizes: «o que nos atrai é um pouco disso tudo»

Beijo

utopia das palavras disse...

É dificil definir as relações, num modo geral a maior parte, nós não as entendemos. A nossa tendência é "classificar" segundo os nossos padrões, preconceitos etc, mas a coisa na realidade é mais lata.
E... por exemplo o amor, não se explica!

beijos

utopia das palavras disse...

É dificil definir as relações, num modo geral a maior parte, nós não as entendemos. A nossa tendência é "classificar" segundo os nossos padrões, preconceitos etc, mas a coisa na realidade é mais lata.
E... por exemplo o amor, não se explica!

beijos

duarte disse...

tens ums pés feios...eheheh
o amor...tão presente em cada brincadeira com a minha menina...
e na ausencia temos a certeza da saudade...é assim que se ama de verdade...
abraço do vale

Fernando Samuel disse...

Um pouco disso tudo e mais esta nossa insaciável condição humana...


Um beijo.

Zorze disse...

Ana,

Mas que grande confusão que vai por aí.
Começas com uma pergunta e acabas com tantas outras.
A vida é isso mesmo, aprendizagem. É por isso que ainda nascemos neste planeta escola/hospital. Para aprender e sarar feridas.

Quantos aos demónios, cuidado! Eles andam aí, espreitam na esquina e vendem os seus interesses.
Aprender a lidar com eles, é uma história muito comprida...

Beijos,
Zorze

Ana Camarra disse...

Salvoconduto-Pois não, não tinha gracinha nenhuma!

José-Por acaso os olhos para mim são fundamentais, as mãos e a voz, o sorriso também diz muito.

Ludo- è um cocktail!

Paulo-Como em tudo!

Maldonado-Pois se calhar dava um filme indiano, tínhamos de colocar uma ceguinha pobre que recupere a visão, muitas músicas e danças, já agora um bocadinho do Kamasutra.

Diogo-Eu acho que sim.

Ausenda-O Amor acontece!

Duarte-Os pés são de um casal na praia, mas eu não faço parte.

Fernando Samuel- Mas gosto de ser humana!

Zorze-Tu dás-me conta da carola!

Beijos