quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Não como a Floribela mas quase...




Muitas vezes ando angustiada com problemas financeiros.
È comum, se bem que relativo.
Apesar tudo nasci numa classe de pequeno burgueses, pequenos comerciantes, pequenos industriais, com mais capacidades apesar de tudo do que a grande maioria.
A minha vida profissional não me trouxe grandes ganhos, mas de facto nunca tive muito enrascada.
Posso não ter para os livros todos que queria, para a assistir aos espectáculos todos que queria, para as viagens que sonhava, para alguns trapitos e outras futilidades. Mas ainda assim tenho sempre para comer, as minhas dividas são com o banco onde pago regularmente e com juros.
Não compro tudo o que quero mas compro mais do que preciso.
No entanto sou rica, verdadeiramente rica.
Sou rica em afectos de uma família que funciona quase como um clã, onde nos protegemos e apoiamos mutuamente das mais diversas formas.
Sou rica em afectos de uma família mais restrita que me serve e a quem sirvo de porto de abrigo.
E sou rica, muito rica em amigos, amigos genuínos dos que não esperam nada em troca.
Amigos que me podem dizer na cara verdades desagraveis que por vezes não vejo em mim própria ou nos meus actos, mas que estão ali para o que der e vier.
Amigos que me telefonam, mesmo de longe, mesmo cheios de problemas só para darem conta que estão cheios de preocupação comigo.
Amigos, que me armadilham a vida para garantirem que tenho férias e que descanso e que tomo os medicamentos e que como e que durmo.
Amigos quase invisíveis que me mandam sinais a dizer “quando precisares estou aqui”.
Amigos que se iluminam com um sorriso quando me encontram, mesmo que estejamos muito tempo sem nos vermos.
E depois de falamos de trivialidades ou não como se tivéssemos falado ontem.
Amigos que dividem comigo fardos vários, de trabalho e de coração.
Amigos que tenho desde miúda e que ainda cá estão, amigos que adquiri depois de adulta e cá estão, amigos mais recentes mas que ganharam em qualidade o que não tem em longevidade.
Aos companheiros de viagem, obrigado.

27 comentários:

José Gil disse...

Só mesmo para mandar um beijo do tamanho do mundo.

BEIJOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO

Utopia das Palavras disse...

E aqueles que sentimos, sem que nos conheçamos de olhos nos olhos, que sentimos a sua pele, o seu cheiro, o seu pensamento, amigos recentes que sentimos como antigos.
Na realidade a amizade é um sentimento supremo e altruísta!
E tantas vezes não se explica.

Beijos, amiga (eu sinto)

Ana Camarra disse...

José Gil- Que Bom :)!

Ausenda- Para mim a mizade é outra forma de amor.

beijos amigos

Fernando Samuel disse...

Comentando o teu comentário: para mim a amizade é uma forma superior de amor (acho que já aqui escrevi isto noutra altura)


Um beijo amigo.

salvoconduto disse...

O da Floribela não percebi mas da amizade sim e isso é que importa, não é amiga?

Abreijo.

Ana Camarra disse...

Fernando Samuel

já disseste sim, mas subscrevo na integra.

salvoconduto-A Floribela é que canta aquela coisa pirosa "sou pobre em ouro mas rica..."
Só por isso.
Não quero ser confundidada, Livra-te!

Beijos

duarte disse...

E que essas amizades durem por muito tempo...
abraço do vale

Ana Camarra disse...

duarte-Felizmente vão durando.

beijos

Anónimo disse...

Ana

Tu nunca será parva como a Floribela.
È engrançado ler isto e recordar uma fase tua que eras fechada, macambuzia.
Mas és de facto uma pessoa que desperta afectos, é só via aqui.

Beijo de um Amigo

Zé Manuel

Zorze disse...

Ana, lá tenho de me repetir outra vez.
És um ser de grande qualidade consciencial e é uma honra ser teu amigo.

Beijos,
Zorze

José Espremido Até Ao Tutano disse...

Se assim è. Ès mesmo rica!

M. disse...

Essas são são dúvidas as fortunas mais importantes. :)

Mas haver Cash qb para desfrurtarmos as outras fortunas melhor e mais despreocupados é que era perfeito.

Como perfeito raramente existe, a optar antes assim :)

Priveligiada.

M.

M. disse...

p.s. E nem toda a gente se aperce que são priveligiadas... ;)

Diogo disse...

Nenhum homem é uma ilha. Somos todos partículas de um imenso continente, uns mais no centro, outros mais na periferia; uns mais comunicativos, outros menos; uns mais afortunados, outros nem por isso.

Mas algumas partículas danosas deviam ser insuladas à força e de vez, para bem do continente.

CRN disse...

Ana,
e com a capacidade de não fechar o cofre...

A revolução é hoje!

Ana Camarra disse...

Zé Manuel- Ainda tenho noias, mas sou muito mais comunicativa, também se aprende.

Zorze-A honra é toda minha.

José Espremido-Milionária!

M. –Pois, o mais triste é as pessoas não usufruírem a vida.

Diogo-Pois há, mas contando que haja outras partículas amigas à nossa volta a coisa vai melhor.

CRN-Nem quero!

Beijos

Anónimo disse...

Olha, já agora um beijo pra ti também...
JJay

Ana Camarra disse...

JJay

:)

Opinador disse...

E essa riqueza tem outra grande vantagem: não se perde com a falência dos bancos porque está sempre bem guardada no fundo do coração.
Ao contrário do que dizem, "a amizade não é tudo, mas ajuda muito".
Bjs.

Ludo Rex disse...

Nem o que te diga, miga, com este teu artigo. Eu sei que és linda de coração. Obrigado miga por sentimentos tão belos, os que sentes.
Kisses Grandes

Anónimo disse...

1 beijo amigo vindos de cima e não sou deus :)

a revolução é hoje e amanhã é dia de a organizar.

Conde disse...

Um beijo para ti,e descansa!

Ana Camarra disse...

Opinador-Pois ajuda!

Ludo Rex-Nada que agradecer, nada mesmo.

Amigo de cima-Não és Deus mas és um querido!

Conde-Para ti também!

Beijos

Cristina disse...

Não há riqueza maior que a amizade! :) Bom fim-de-semana!:)

Sunshine disse...

Um beijo com mt amizade, ainda que recente, e descansa o mais possível.

Um bom fim-de-semana para ti :)

Maldonado disse...

Não és uma pessoa rica, mas és uma rica pessoa. :)

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

E há maior riqueza do que a amizade verdadeira e desinteressada?
Bom fds