Madrugada


Não sei se lembras daquela madrugada fantástica na praia!
Que ficamos assim quietos a ver a areia lisa, sem marcas, depois de varrida e penteada pela maré e por aquele vento, não muito forte, que nos trazia cheiros de ervas, um friozinho que entrava pelas camisolas e que nos fazia juntar mais uns aos outros à volta da fogueira, feita com tábuas roubadas em cercas e no café da praia.
E durante toda a noite o mar fazia coro com as nossas vozes mal afinadas e com as guitarras, por cima de nós um céu imenso, como um pano esburacado salpicado de milhares de rasgões por onde passavam luzes de outros sois.
Quando demos por nós enquanto era de noite ainda, mas simultaneamente avançava sobre o mar, uma luz rósea dourada, sobre a falésia, trazendo o dia, as gaivotas e andorinhas do mar começaram a marcar aquela areia de arabescos, nuns desenhos parecidos com sinais de matemática e letras gregas.

E nós ficamos assim quietos, num silêncio respeitoso, tínhamos todos as peles lisas, as gargantas arranhadas, futuros a estrear, muitos tínhamos cabelos longos, o tempo não nos importava, nem outras coisas, que hoje ocupam espaço a mais nas nossas vidas, as nossas coisas eram nossas, de todos, até as lágrimas e as gargalhadas, as tendas, os farnéis….
Pronto naquela madrugada ficamos assim suspensos, entre a inocência e a idade adulta, entre os grandes sonhos e as pequenas desilusões, entre as paixões arrebatadas e os amores tranquilos, lembras-te?

Comentários

Anónimo disse…
beijo de fim-de-semana :)

torta e conversas em dia?
diz qq coisa para o telemóvel.

black bird flies to another country.
Ana Camarra disse…
Meu menino

Livra-te de dares de frosques sem a escrita em dia1
Depois do Congresso marcamos uma tarde para nós, sim?
Com tortas, bolas de manteiga, o que quiseres, sim?

Beijão
SENSEI disse…
A praia, excelente para um mergulho pelas 20:00.
Petiscar pelas 22:00.
Namorar a partir das 00:00
Amar das 00:01 às 06:00, quando o sol começa a raiar e, a juntar o seu calor ao calor dos corpos, entorpecidos pela felicidade do amor, exaustos pela humidade repelida, cheios pelo marulhar do mar. Ali, com o mar e o céu como testemunhas, 2 seres fundiram-se em um, abençoados com cheiros e sons universalmente divinais.

Xôxos

Ouss
Ana Camarra disse…
Sensei

Pois na praia nunca experimentei...
Era cantar, beber uns copos muita gargalhada, quanto muito uns beijinhos...

Beijos
salvoconduto disse…
Belas recordações, belas recordações, até porque era mais novo, mais rebelde.

Abreijo e bom fim de semana.
samuel disse…
Quem não se lembra?
Miss K disse…
O teu post levou-me imediatamente a umas férias que passei com uns amigos em Vila Nova de Mil Fontes há uns anos atrás... e música da Norah Jones foi a nossa banda sonora da altura.... incrível! E ainda dizem que as coisas acontecem por acaso.... não me parece.

O blog do atever "fechou"... :( sabes de alguma coisa?
Ludo Rex disse…
Hummm na praia... Belos tempos...
Kisses
mugabe disse…
hummmm.....poético Ana, muito poético...!

Abraço!
Anónimo disse…
Ana

Nãio fui a tantas fogueiras de praia como tu, pois como tu dizes era um bétinho.
Mas fui a algumas, uma na Arrabida, também lá estavas, mágica mesmo, de facto agora penso em que lá estava, uns perdi-lhes o rasto, alguns já morreram (O Luis Escapador!), outros são empresários, pais de familia, outros uns desgraçados(o Roxy, o Calimero), outros cá andam.
Tu consegues transportar-me aquela época, obrigado linda, muito obrigado, a uma época em que eramos só jovens, cheios de alegria e de esperanças, só mais nada.
Guarda sempre essa miuda dentro de ti.
Que é feito do Paulinho?!

Beijos

Zé Manuel
duarte disse…
que essa praia,se mantenha por muitos e longos anos e que nunca se apague essa fogueira.
belo espaço, o seu.
duarte
Ana Camarra disse…
Salvoconduto – Mas desconfio que ainda és suficientemente novo para seres rebelde!

Samuel-Alguns dos que lá estavam, hoje são empresários, esqueceram-se completamente podiam não ter esquecido, mas esqueceram.

Miss K-milfontes foi um bom sítio para estas coisas, Porto Covo, Zambujeira, Arrábida, Tróia.
O Atever, não sei, nunca mais postou desde Agosto, espero que se tenha cansado só, mais nada…

Ludo-Os tempos são todos bons.

Mugabe-E verdadeiro.

Zé Manuel-è verdade eras um betinho, é como dizes muitos são apenas umas sombras do que foram, outros já desapareceram…
O Paulinho é como a chuva, aparece quando menos se espera!
Mas está bem, não está cá.

Duarte-Faço por não apagar, Bem-vindo.


Beijos
PDuarte disse…
noitadas na praia.
quem as não teve.
Ana Camarra disse…
Pduarte

Há uns infelizes que não tiveram...
Nós seremos dos felizardos :)

Beijos
M. disse…
Ana,

Muito bom. Gostei deste Post.

Bom dia :)

M.
Fernando Samuel disse…
São essas as grandes madrugadas das nossas vidas.



Um beijo amigo.
Ana Camarra disse…
M. Eu gosto muito de me lembrar destas madrugadas, são minhas para sempre.

Fernando Samuel-São pois!

Beijos