quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Folga!


Hoje concedi-me a mim própria um dia de folga.
Há semanas que me atormenta um mau estar difuso, uns sintomas gripais, dores no corpo, arrepios de frio, o costume.
O médico indicou-me um medicamento para tomar em SOS, a evitar. Receitou-me uma vacina da gripe, esgotada no mercado…
Fala-me da minha baixa imunidade, da necessidade de descansar, coisa que eu faço o possível para contrariar, mas hoje face a uma agenda que não previa berbicachos antecipados, face a ainda ao corpinho que me dizia “fica sossegada” armei-me em magnânima e decidi conceder-me uma folga, não se preocupem irei trabalhar no fim de semana.
O problema destas folgas será sempre o mesmo, imensas coisas que nunca fazemos por falta de tempo, mas quando nos concedemos uma folga a nós próprios, basicamente é por exaustão, como tal não as irei fazer na mesma quase de certeza.
Que se lixem as gavetas por arrumar, aquelas coisas por dobrar, aqueles sectores de armários em que nunca mexemos, basicamente o importante está feito, o resto não foge.
Não vou ver noticiários porque acho que devo de preservar alguma sanidade mental, felizmente tenho café em casa e a máquina expresso está operacional, existem livros que reclamam falta de leitura, o sofá que desconfio tem saudades minhas, uma mantinha que tem por mim o mesmo carinho que tenho por ela, a quem não tenho dado abraços suficientes.
Levantei-me a horas de tomar um pequeno-almoço calmo, de fazer um almoço para o jovem estudante com direito a fruta descascada e tudo.
Portanto sábado poderão vangloriar-se à vontade do vosso dia de descanso, hoje sou eu!

18 comentários:

Anónimo disse...

Minha Linda

Descansa que bem mereces, andas sempe com o mundo ás costas, não pode ser Ana, pensa em ti!

Beijos

(Musica linda!)

Anónimo disse...

Anita

Já estava a ficar assustado!
Tinha cá passado e nada!
Mas pronto fazes bem, aproveite esse sofá, descansa, que é para estares em forma!
Espero que a saúde não esteja a piorar.

Um beijo amigo

Zé Manuel

CRN disse...

Ana,
Às vezes é necessário deixar o corpo respirar sozinho, faltam 16 dias, vamos necessitar a força de todos, mesmo daqueles que, durante o ano, se mantêm em luta.

A revolução é hoje!

korrosiva disse...

O bem que sabe, esquecer o mundo e tirar um dia de ronha, só para o que nos apetece, nem que seja somente abraçar a tal manta do sofá :)

bom descanso... um dia feliz :)

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Normalmente, acontece-me exactamente o mesmo. Quer que lhe diga uma coisa? Tenho saudades do tempo em que trabalhava ao fim de semana e folgava à terça e quarta. Apesar de as manhãs de domingo em Lisboa serem imperdíveis ( nesta época do ano e com bom tempo), folgar a meio da semana dá-nos uma sensação de liberdade inigualável. Digo eu, claro, que não tenho compromissos familiares...

Anónimo disse...

OI amiga Ana!
Vá lá dorme uma sestazinha.
Já tomaste o café? mexe com um pauzinho de canela, fica cheiroso e com um gostozinho exótico!

Para lanchares.

"Meu pratinho de arroz doce
Polvilhado com canela!
Era bom mas acabou-se
desde que a vida me trouxe
outros cuidados com ela."

Um bocadinho de Gedeão

As melhoras, beijinhos da Lagartinha de Alhos Vedros

Ana Camarra disse...

Anónima (que eu sei quem és!) – pois tenho essa mania estúpida de achar que sou besta de carga! Mas isto também se contraria!

Zé Manuel-Vai na mesma como a lesma, comprimidos redondos brancos, cor-de-rosa amarelados, com e sem risquinho ao meio, redondos e oblongos. O resto o médico diz o mesmo há dois anos, tem de descansar! Hoje resolvi levar a recomendação à letra.

CRN-Deixa lá camarada, daqui por 16 dias estou melhor é sempre pior a preparação do que a “coisa em si”, Isto tem dias” e amanhã tenho outro para estrear.

Korrosiva-Tadinha da minha mantinha! Tem sido negligenciada.

Carlos-Pois dá, no meu caso sempre assombrada com os horários dos miúdos, mas ainda assim sabe bem!

Beijos

Utopia das Palavras disse...

É o tempo do teu tempo...
Raramente nos damos essa oportunidade...
Aproveita!

Beijo

Ana Camarra disse...

Ausenda - Aproveito na medida do possivél!

beijos

Menina Idalina disse...

A doce ociosidade sabe sempre bem ... Um dia tanquilo
BJ

Diogo disse...

Ao sofá, à manta e ao livro do Eça ou ao DVD do Woody Allen!

Vejo muitas vezes documentários sobre a vida selvagem. Evidentemente que se um leopardo não apanhar uma peça durante vários dias, estoira com fome. E se uma zebra tiver o azar de ser apanhada, adeus. Mas, entretanto, vejo-os todos tão descansados, a dormir, a brincar e a pastar. Nenhum trabalha das nove às cinco. Sinto muitas vezes inveja. O nosso conforto e a nossa fartura são o nosso inferno.

Beijo

Ana Camarra disse...

Lagartinha

Já bebi o café, sim, os versos do Gedeão são sempre um doce, apesar de eu não gostar de arroz doce!
Enjoei quando era miuda!

Beijos

Ana Camarra disse...

Menina Idalina - De vez em quanto faz falta!

Diogo- Também "papo" documentários, só não gosto de insectos...
Pois é passamos a vida assim, a contra relógio, por vezes sem tempo para viver mesmo.

beijos

Fernando Samuel disse...

Assim, até quase dá vontade de ficar doente...

Um beijo amigo.

Ana Camarra disse...

Fernando Samuel

Descansar dá gosto, ficar doente, nem tanto!

Beijo amigo

salvoconduto disse...

Ai quem me dera! Logo agora que terminaram as obras na minha casa e já posso voltar. Outra muda, tanta coisa para arrumar, aquele acabamento que não ficou em condições...E já se passaram 3 mseses. Como é bom voltar à minha "alegre casinha". Sábado espero poder sentar-me naquele sofá que tão bem me conhece. E o meu home-cinema, a minha sala de música?!

Ai Ana o que me estás a lembrar.

Olha aproveita e que te sintas revigorada.
Abreijo.

José Espremido Até Ao Tutano disse...

Espero que recuperes as forças e que fiques melhor.

Beijos

Ana Camarra disse...

Salvoconduto-Pensa assim, sabado estarás tu no teu sofá a curtir a tua música, eu estarei a bulir, é a lei das compensações!


José-Isto vai!

Beijos