quinta-feira, 9 de outubro de 2008

As Leis de Murphy



È invariável quando um sector da nossa vida começa a correr bem há outra que descamba.
Se temos saúde, não temos dinheiro, se temos dinheiro vamos mal de amores e assim sucessivamente.
É uma das Leis de Murphy, dizem-me, embora não saiba quem é o Murphy, mas parece que sempre que há um conjunto de regras estúpidas foi o tal Murphy que as compilou.
Portanto, lá estou outra vez num cruzamento, normal!
Passo a vida nisto.
Vocês também, não é?!
Se faço o que tenho vontade e me gratifica, se aceito os desafios que me são sedutores, a mim, pessoa, a mim, só, deixo para trás uns destroços ou então fico eu naufraga da minha vontade.
Deixo nos destroços pessoas, projectos, pessoas que se apoiam em mim, para as quais me tornei importante.

Que fazer? Que fazer?

Seguir em frente só e apenas?
Parar para Pensar? Reflectir? Pesar? Medir?
Equacionar tudo ao mesmo tempo, pesar os prós e os contras, escrever uma daquelas listas parvas, tão parvas, como as tais Lei de Murphy em que faço uma coluna de coisas positivas e coisas negativas e no fim vejo a que está mais recheada.
O bom e o mau.
E como é vejo o que é bom e mau?
Raios partam o Murphy?!

29 comentários:

korrosiva disse...

Só se vive uma vez... ;)

beijinho

Capitão Merda disse...

Aposto que o gajo era norte-americano...

Ana Camarra disse...

korrosiva - Eu sei.

Capitão Merda - Também aposto.

beijos

Anónimo disse...

Miuda

Estás de todo.

Que se passa?

Sabes tomar decisões, sempre soubeste, faz o que te apetecer.
Que se lixe o pessoal pendurado em ti.
Sempre tiveste carraças....
Sei que não são os putos, o resto é paisagem.

Pensa em ti caramba, só em ti, de vez em quando.

Beijaças

Paulo El niño

PS-tenho mesmo que te levar ao Bairro Alto para a má vida

Ana Camarra disse...

Paulinho, meu menino

Bairro alto, depois falamos.
Carraças, não te considero uma carraça e de vez em quando também te penduras.

As decisões são faceis de tomar para os outros.

Eu penso em mim, descança.
È claro que não são os miudos!

Beijos

Anónimo disse...

Minha Linda,

esse cabranote do Murphy também anda lá por casa, tem vezes que parece que dorme comigo!! Sabes o que fiz? Um manguito pois aos 40 anos sou trtada como quero e não como os outros querem!

A`h e também acredito no Pai Natal!!

Chiça que isto anda que não se pode! Nem com P nem com F

Beijocas
Majo

CRN disse...

Ana,
Mais que uma lista, os processos de decisão costumam resultar efectivos quando nos deslocamos do eixo e olhamos para o problema como para um edificio, assim, seremos capazes de evitar o seu colapso estructural, para um redimensionamento positivo ou negativo. Contudo, esta é uma lei de CRN, a eficácia pode ser subjectiva.

Abraço.

A revolução é hoje!

Ludo Rex disse...

De uma forma ou de outra, todos passamos a vida nisso... Podes crer, Raios partam o Murphy?!
Kiss

Zorze disse...

Que fazer? Que fazer?
Todos queremos a resposta mágica.

A resposta é vive. Vive e sobrevive. Apesar do livro "Segredo" ter tido muito sucesso, não há nenhum segredo.
E como alguém dizia que se vive uma vez. Não, vive-se muitas vezes. Até agora já tivemos milhares de vidas e muitas teremos.

Como corolário e para não ser repetitivo (queixinhas!) deixo-te algumas Leis de Murphy. Quer queiram, quer não, elas acontecem.

- Se algo pode correr mal, correrá mal.
- Se nada pode correr mal, correrá mal na mesma.
- Se sabemos que algo pode correr mal, e tomarmos as devidas precauções, correrá mal outra coisa qualquer.
- Nunca nos livramos de coisas que possam correr mal.
- A Lei de Murphy é satisfeita sempre na pior altura.
- Nunca sabemos quão cedo será demasiado tarde.
- Ser pontual significa apenas que o nosso erro será cometido a tempo.
- Não existe uma maneira certa de fazer a coisa errada.
- Se costumamos começar por falhar, é melhor não saltarmos de pára-quedas.
- Precisamos de menos tempo para fazer uma coisa bem do que o necessário para explicar porque a fizemos mal.

Eu já comprovei muitas delas na vida real. E como são certas.

Beijos,
Zorze

Ana Camarra disse...

Majo – Eu sei que gajo, o Murphy, também te ronda, pois estou disposta a entrar nessa!
Ser tratada como quero!

CRN – Como todas as teorias, só experimentando.

Ludo – Raios o partam….

Zorze – São certas mas chateiam, cada vez gosto mais das surpresas!

beijocas

mugabe disse...

Se costumamos começar por falhar, é melhor não saltar de pára-quedas.....fabuloso, e como é certo e verdadeiro !!!

Ana, não sei que te diga,...mas desconfio que não queres que te dê nenhum dos meus palpites pois não ??? não quero que digas que estou a fazer propostas indecentes....heheheheh ! Abraço!

Eric Blair disse...

vai em frente, pela relva; não sujas os pés. Cuidado para não pisares as margaridas.

Eric Blair disse...

... se tiveres mesmo que virar, já sabes: esquerda (se bem que, de acordo com aquele bacano teu amigo que usa óculos de Penafiel, este é um conselho de um fascista. Pensa bem)

Ana Camarra disse...

Eric Blair

Vou tentar não pisar as margaridas.
Vou sempre pela esquerda.
Explica lá do amigo que usa oculos de Penafiel que eu não chego lá.

beijos

poesianopopular disse...

Ana
A vida sería melhor ou pior, sem moscas e sem formigas?
No mundo nada é perfeito amiga...mas, podes e deves desabafar, pois tudo se torna mais fácil quando partilhado.
Bjos amiga

António Chaves Ferrão disse...

Ana

Ao ler-te, lembrei-me que também peguei no papel e lápis. Estava em Angola e o mundo parecia desabar. Mas não separei as coisas positivas das negativas. O papel perdeu-se, mas passados muitos anos, eis o que ainda sobrou da memória.

Ana Camarra disse...

mugabe

propostas indecentes fazes ao zorze, com aquelas histórias de porrada, tu e o sensei.

saltar sem paraquedas é o levamos a vida toda a fazer.

beijos

Ana Camarra disse...

José (poesia) Isto passa, amigo.

Ferrão - Obrigado pela partilha!

beijos

Eric Blair disse...

são aqueles que tem as lentes ao lado dos olhos, em vez de ser à frente. E são assim um bocado pró opacas. Ok, ok, eu explico: óculos de Penafiel correspondem às palas que os burros usam nos olhos de modo a que concentrem a atenção no caminho.

Ana Camarra disse...

Eric

Ocapinha, percebido!
eu não uso desses, uso de sol ou então outros com lentes transparentes quando tiro as lentes de contacto.
sou miope, mas uso uma coisa ou outra, ou melhor de dia uso lentes de contacto com oculos de sol.
desse modelo no me gusta

beijos

salvoconduto disse...

Vê com o coração, Ana. Tu sabes.

Abreijo.

Opinador disse...

Seguindo o raciocínio desse tal Murphy, se há a mesma quantidade de dinheiro que havia o ano passado e se eu agora tenho menos (a pu*a da crise não dá descanso...), quer dizer que andam uns filhos da mãe a gozar com o meu.

E não adianta fazer listas. Certos ou errados, deliberadamente, ou não, acabamos sempre por ferir alguém.
É difícil agradar a todos...

Ana Camarra disse...

Salvoconduto

O coração tem duas metades, quatro compartimentos, todos dizem coisas diferentes, a cabeça diz o contrário de todos.
Isto passa, amigo.

beijos

Ana Camarra disse...

Opinador

E acabam por nos magoar a nós.
O tal Murphy é um sacana...

beijos

samuel disse...

Ainda por cima o sacana parece que está em todo o lado!
Desconfio que deve também haver uma lei de Murphy para os conselhos...

Abreijos

Fernando Samuel disse...

Este murphy é uma espécie de praga epidémica: anda por todo o lado a lixar-nos pelo menos metade da vida...

um beijo.

Ana Camarra disse...

Samuel e Fernando Samuel

Uma verdadeira praga o Murphy!

beijos

Maldonado disse...

Realmente a Lei de Murphy é implacável. :)
Há dias em que esperamos que os nossos planos corram bem, mas sai-nos tudo furado porque tudo começou mal desde o princípio...
Nesses casos se calhar é melhor chamar o prof. Bambu... LOL

Ana Camarra disse...

Maldonado

Nunca pensei em chamar o Prof. Bambu, desconfio que ajudava tanto como o Murphy.

beijos