Os outros homens da minha vida







No outro dia quando escrevi sobre os homens da minha vida fui extremamente injusta e parcial.
Faltaram um monte deles.
Portanto há que repor as coisas.
O primeiro homem por quem me apaixonei foi por Leonardo Da Vinci, porque tinha no meu quarto de infância um poster enorme com a Declaração Universal dos Direitos do Homem, tendo como fundo o Homem Vitruviano, daí até pedir explicações sobre aquele homem com mais pernas e braços que o normal e me ter sido explicado quem era o autor e as suas facetas diversas, pintor, escultor, inventor, humanista, enfim o Renascimento personificado, foi um ápice.
Junto com o Leonardo, apaixonei-me por outros da mesma extirpe, Picasso, apesar de saber que na sua vida pessoal e amorosa era um déspota, Van Gogh e os seus amarelos, Toullose Lautrec porque sim, Gaugin pela cor, Monet pela calma e Rubens um fascínio por ele muito grande.
È claro que existem muitos mais por quem tenho um fraquinho, mas estes são muito especiais.
Depois os escritores, o meu primeiro grande envolvimento amoroso com escritores nacionais foi com Soeiro Pereira Gomes e Eça de Queiroz, a minha avó comprava-me os livros de Eça em encadernação de luxo, ao ritmo de um por mês, releio-os com frequência e descubro sempre coisas que me tinham passado ao lado. Com Soeiro Pereira Gomes caso foi outro, ao ler as amarguras porque passavam meninos da minha idade, ganhei a paixão pela Justiça Social, tenho em edição de bolso os seus tesouros escritos…
Outros, muitos também gosto, mas só falo dos especiais, muito especiais.


Ainda em Português, mas com sotaque, quando acharam que era apropriado para uma rapariga a entrar na adolescência, deram-me Clarissa de Erico Veríssimo, a princípio pus de lado aquele livro de nome feminino e capa rosa, mas quando li, devorei, depois comecei a ler de empreitada tudo dele. Tenho no entanto mala pata com o Tempo e o Vento, já tive o Livro, várias vezes, empresto-o e pronto some-se, o único consolo é pensar que alguém se vai apaixonar também.
Com sotaque ainda Jorge Amado, o Livro que mais gosto é Jubiábá, ao qual acontece sistematicamente o mesmo que ao Tempo e o Vento….Mas adoro aquele universo de Coronéis e Baianas, de mulheres fortes e destemidas, de pessoas que crescem…
Ainda nos escritores era muito injusto não nomear GABO, Gabriel Garcia Marquez, grande alma, nunca li um livro menor….estou sempre a reler.
Percebo como Pilar se apaixonou por um José Saramago na terceira idade, deve ser difícil não se apaixonar, de facto, por tais cabeças.
Por fim os do cinema: Burt Lancaster em tudo, especialmente no Leopardo e 1900; Henry Fonda nas Vinhas da Ira; Mastroianni em quase tudo; os filmes de Rosselini; quase todos de Felinni; Daniel Day Lewis, mais recente mas sempre bem; Jean Reno, sempre, até nos filmes que não gosto muito.


Há mais mas são só os importantes….
Por fim os músicos, ai caramba, uma chatice, no topo nacional: Zeca, sem canções menores, não têm; José Mário Branco, parece que vive na minha cabeça; Fausto e Sérgio Godinho, fabulosos, músicas e letras; Xutos, sempre, é panca eu sei mas gosto. Com cheiro tropical outra galeria: Chico Buarque, Tom Jobim, Caetano, Vinicius, Milton e mais recente Zeca Baleiro.
Dos outros, estrangeiros de fora, há muitos mas assim com um cantinho muito especial: David Gilmour (Pink Floyd com ele, só), Ry Cooder, Peter Gabriel (outro que vive na minha cabeça), David Byrne (com e sem Talking Heads), Rolling Stones (outra panca), tudo de Cole Porter e Gershwim.
Por fim mesmo Stravinski e Bach (também são especiais).
Isto está grande mas faltam: os poetas, os escultores, os pensadores e mais uma data de homens por quem sou perdidamente apaixonada.

Comentários

Ludo Rex disse…
Grandes paixões Amiga. Estas tuas escolhas ao longo da vida, têm nome. Chamam-se Cultura e Saber.
Bem hajas pelas escolhas. Kiss
salvoconduto disse…
Não foste injusta nem imparcial, foste tu, podes crer.

Grande galeria a tua e muito bem escolhida, já tinha reparado, pelas tuas playlists, logo nas primeira vezes que aqui vim.

Abreijo.
Mac Adame disse…
Eu também me apaixono facilmente por desconhecidas: Naomi Campbell, Jennifer Lopez, Cameron Diaz, etc, etc, etc, etc, etc, etc. Olhando para os três exemplos que dei, nem deve ser preciso dizer porquê. Mas também gosto de quase todos os homens de que falas. Não consigo é falar em paixão, não vá ser mal interpretado. Boas escolhas.
Sostrova disse…
voltei a blogar:
http://fechadoparademolicao.blogspot.com/
beijos
sostrova
mugabe disse…
E pronto,...mais palavras para quê,...tens um belíssimo gosto !!!
Ana Camarra disse…
Ludo – São mesmo paixões como dizia a minha avó assolapadas!

Salvocnduto – Pois agora não tenho tido pachorra para mudar as músicas mas também é carregarem escolherem que mais gostam.

Mac – Pois, compreendo….

Mugabe – Ainda bem que achas que tenho bom gosto.

Obrigado por os elogios, são uns queridos!

beijocas
Ana Camarra disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
Zorze disse…
Ana, boas escolhas.
Mas, como sabes, os meus gostos estão mais virados para as Mulheres. Seres extraordinários.

Beijos,
Zorze
Ana Camarra disse…
Zorze

è obvio que estes homens da minha vida são no sentido figurado, os que são contemporaneos desconhecem a minha existência.
Qualquer dia escrevo sobre as mulheres da minha vida....

beijo
Marreta disse…
Grandes paixões! Paixões eternas, daquelas que não desaparecem com o tempo. Daquelas que gradualmente se tranformam em amor.
Saudações do Marreta.