quarta-feira, 17 de setembro de 2008

O Fruto apetecido

A chamada da América Latina nos últimos quinhentos anos foi trucidada, roubada, rasgada e empenhada.

Dos Conquistadores, Espanhóis e Portugueses, que ao chegar a um paraíso tropical, saquearam e mataram, destruíram civilizações, escravizaram e mudaram a paisagem.
Dizem que os Espanhóis foram mais sanguinários e invasivos, os Portugueses cruzaram-se mais com os povos lá existentes.
Não sei se será assim, invasor é invasor e mais nada.
Do paraíso descoberto, onde existiam povos, que em coisas simples e complexas estavam muito á frente dos conquistadores, retiramos ao longo dos anos o que pudemos: ouro, prata, frutos, animais, pedras preciosas e mais recentemente petróleo.
Levamos para lá outros povos, nisso os portugueses eram exímios, negros de África escravizados e nós próprios, cruzamo-nos vezes sem conta num cio interminável.
Como dizem os baianos, Deus criou o homem e o Português o Mulato.
Ficamos com um continente povoado, na sua maioria, por um povo de olhar escuro, pele azeitonada e paixões latinas.
Eu própria descobri á uns anos, que tive um trisavô que depois de trabalhar numa plantação de borracha no Brasil, retornou com uma mulher, índia de pele escura, cabelo liso e olhar misterioso.


Á América Latina pouco direito se tem dado de escolha, no entanto ciclicamente, revelam-se criativos e com uma galeria de ícones e heróis míticos, de Zapata no México, Simon Bolívar por vários sítios, Luís Carlos Prestes no Brasil, Fidel Castro em Cuba, Che em todo o lado.


Também uma galeria de ditadores de pacotilha, mais ou menos suportados pelos países ocidentais e civilizados: Peron, devidamente acompanhado com Evita, Batista, Getulio Vargas, Pinochet…muitos mesmo, num modelo militar na maior parte das vezes.
Hoje outras sombras se levantam no Continente dos escritores mágicos, da música alegre, do chocolate, do comer picante, das favelas, dos contrastres, da cana de açúcar, do Rum, do café, da cachaça, do charutos, do tango, do samba, do condor e da Floresta Amazónica.
È o furacão IKE que bate em Cuba, numa Cuba depauperada por um embargo vergonhoso, que ainda assim é a primeira a oferecer ajuda ao inimigo Norte Americano em tempo de 11 de Setembro e de Katrina.
É a esperança um pouco atraiçoada de Lula, em quem se colocaram expectativas, infelizmente goradas a pouco e pouco.


È a força do petróleo de Chavez, mas que ainda assim traz inquietações.
È a ofensiva na Bolívia, onde tudo está a ser demasiado parecido com o Chile em 1973.
Será que iremos ver o Condor a voar livre?!

13 comentários:

Anónimo disse...

Ana

Que retrato belo faz daquele continente!
E acho que sim tem razão em tudinho.
Sábias palavras, belas imagens.

Um beijo

Augusto

Anónimo disse...

Anocas

O Condor irá voar livre minha amiga!
Porque o tempo das injustiças está a chegar ao fim, apesar dos perigos, acho que estamos a chegar aquele ponto de não retorno.
E tudo tem de mudar!

Olha metade das músicas não me lembrava ou não conhecia, adorei!

Beijocas

Lena G.

salvoconduto disse...

Ainda vai passar por muito, mas vai voar livre um dia. Quando será esse é que é o problema, porque entretanto muito inocente sofrerá, muito inocente morrerá.

Abreijo

CRN disse...

A gesta da revolução, o que passa na america do sul, já ninguém pára!

Ana Camarra disse...

Augusto - Obrigado pelo carinho.

Lena - Estou convencida do mesmo, sim o condor voará livre!

salvoconduto - Essa parte é a que me angustia mais, mas que não seja em vão,

CRN - Esperemos que sim, camarada.

beijos

Anónimo disse...

Miuda

Pois aquilo sempre foi complicado.
Tem tudo para ser bom, petroleo, pedras, florestas, praias, um povo bonito, ouro, prata.
Acho que mais valia terem menos coisas já ninguem os queria tanto.

Grandes músicas!

Beijaças

Paulo

Anónimo disse...

Anita

A América Latina é maravilhosa e inebriante, muito apetecida.
Não sei se está bem entregue, nem a uns nem a outros.
È dada a lideres arroujados e eufóricos.
Não concordo com Chavez, nem com Lula, nem com Castro, mas isso tu já calculas.
Não sei o que pensar de Morales, mais uma coisa em devemos de discordar de certeza.
Mastenho ideia que cada vez que setentam levantar alguem os verga.

beijocas

Zé Manuel

Fernando Samuel disse...

A América Latina é isso mesmo que tu descreves com tanta paixão e beleza.

A ofensiva do Império é muito, muito forte e, por isso,muito, muito perigosa - no entanto, de 1973 para cá, muita coisa mudou num sentido positivo, e isso dá-nos esperança de que a Bolívia, a Venezuela, etc conseguirão resistir.
Em todo o caso, a nossa solidariedade é indispensável.

Um beijo grande.

Ana Camarra disse...

Paulinho - O mal é sempre a cobiça.

Zé Manuel - Já sabemos que não concordamos no geral, mas terás de concordar que sempre que se acende uma luz de esperança na América Latina, o ocidente ocorre a apaga-la.

Fernando Samuel - Pois sou uma pessoa arrebatada!
Espero que tenhas razão, mas infelizmente há tantas semelhanças com outras situações lá ocorridas.

beijocas

Zorze disse...

Olá Ana,

Tenho que concordar contigo, invasor é invasor.

Hoje temos uma mescla de raças, principalmente, no Brasil, onde essa mistura mais se concretizou. Produziu ao longo de gerações belezas lindas (eu que o diga), falo das mulheres, deixo os homens para ti.

Continente de disputas de todo o genéro para sugar as suas riquezas naturais.

Fascinante também a sua riqueza cultural, como muito bem dizes, os escritores, os músicos, as danças e as magias.
Misturas da religião católica, por parte dos europeus, magia negra e rituais, dos africanos e as crenças índias.
Falas da Baía, capital da makumba, o melhor exemplo do cruzamento de todas essas culturas.

Beijos,
Zorze

P.S.: Senti que o teu dia de hoje não te correu de feição. Nem com magias lá foi. Mas amanhã nasce outro novinho em folha, acredita!
Isto tem Dias.

Ana Camarra disse...

Zorze

Pois é isso tudo e muito mais adorava lá ir, á Bahia, a Cartegena de las Indias, Machu Pichu, Andes, Patagónia ao Chile e claro a Cuba, mas essa está garantida, não é?

O dia hoje foi meio cheio de chatices e minhoquices chatas, não me safei de maneira nenhuma...

Mas pronto é verdade, amanhã há outro, novinho para estrear.

beijos

SENSEI disse...

A revolução, talvez a prevista nos chamados livros sagrados, que dá pelo nome de Armageddon, a derradeira luta entre o América Latina e começa a estar bem entranhada na Europa, África, Ásia, pouco a pouco, o mal capitalista regride, rouba, mata, esmaga, ameaça, mas está doente e o seu fim está perto, a desacreditá-lo e a combatê-lo está o Bem, mais social, mais comunitario, mais justo, onde o homem é o centro da vida e a economia uma realidade comunitária, submetida ao social, falo claro está da sociedade Socialista em linha recta ao Comunismo, onde o Homem é igual entre os demais, onde a fome será irradicada em definitivo, não há mais bolsas nem mercados a especular à custa da morte pela fome, não mais 18000 crianças por dia em todo o mundo morrerão à fome para que 1 criança apenas possa ter a sua piscina aquecida na sua mansão climatizada.

Viva Fidel
Viva Chavez
Viva Morales

Abaixo os cães imperialistas Norte Americanos, império e casa de todo o mal em nome de uma falsa liberdade.

Ouss

poesianopopular disse...

Ana
Vamos todos ser solidários com a Bolívia.
A Bolivia vencerá.