sábado, 13 de setembro de 2008

Juro, que não percebo!

Sai-se de casa de manhã.
De manhã deparo-me com pescadinhas no passeio, assim em cima da calçada, colocadas sem dúvida por algum amante dos animais, sem consideração pelo seu semelhante!
As pescadinhas estão meio desfeitas, cheiram mal, o passeio permanece cheio de nódoas várias, suspiro fundo e caminho para o carro.
Piso uma pastilha elástica!
A dois metros do contentor do lixo.
Tiro um lenço de papel tento arrancar aquela coisa viscosa, cor-de-rosa choque, resmungo baixinho, dizendo entre dentes que o contentor é grande e tem mais dois gémeos lado a lado, é impossível não ver!
Coloco o lenço no contentor, reparo que ali encostado se encontra um monte de tábuas, uma cadeira velha e mais uns monos, contentor exibe orgulhosamente, mas em vão número de telefone para recolha de resíduos volumosos!
Ali ao lado o Ecoponto foi arrancado da portinhola das pilhas, porquê?
Não faço a mínima ideia!


Por detrás encontra-se uma pilha de cartão e revistas, jornais, que o vento teima em espalhar, mas o Ecoponto não está cheio, suspiro, e agarro naquela gaita toda, coloco-a onde deveria ser colocada de início, lá dentro!
Dirijo-me ao café para o acordar matinal, desviando-me dos presentes que canídeos passeados a trela depositam no passeio, os donos não se importam.
A esplanada está cheia de pombos, atraídos por miolo de pão molhado, atirado de uma janela….
Mais um amigo dos animais que não compreende que isto não ajuda nem animais nem pessoas, o dono do café vocifera pelo estado em que ficaram as cadeiras, mesas e chapéus-de-sol, cheios de pão molhado e caca de pombo….


Pego no carro a avanço, ligo o rádio, faço piscas, paro nos stops, conceitos que não são partilhados por outros condutores, há quem saia do estacionamento sem sinal, quem se posicione à esquerda e de repente vire à direita, sem qualquer espécie de aviso.
Parece que ao comprar a viatura fazem uma opção: Levo rádio ou piscas?! Hum não sei! Rádio!
Também parece que fazem parte de uma corporação de condutores que falhou sistematicamente a aula de código onde se explicava que o sinal stop é para parar e mesmo que não perceba de todo o significado da palavra anglo saxónica adoptada internacionalmente, poderiam cingir-se à vulgar tradução de STOP-Se tens olhos para!
Mas ainda continua a minha indignação, à minha frente o condutor do BMW reluzente atira a beata acesa pela janela, quase que atinge um bebé no carrinho, no passeio, onde circula com a mãe……


Paro nos semáforos e rente ao separador acumulam-se montes de beatas, provavelmente de condutores que aproveitando a pausa do semáforo despejam o cinzeiro do carro….
Pronto a lista é interminável, não devo ser só eu a reparar nestas coisas….
È a arvore que se tem em casa num vasinho começa a crescer e coloca-se num espaço publico sem pensar tão pouco que a árvore irá crescer, que não é adequada e que irá com as suas raízes invadir tubos de água e esgoto, enrolar-se em tubagens de gás….
São as plantas colocadas no jardim mas rapidamente retiradas pelo transeunte, achando que na sua infinita sabedoria está a roubar algo…não rouba-se a si próprio!

È relva aparada mas esgravatada pelo cão que o dono incita a lá ir.
È a papeleira partida, o contentor queimado, a paragem vandalizada, o lixo despejado a granel dentro do contentor, o papel atirado para o chão….
É o rabisco na parede, na paragem de autocarro, no visor do Multibanco, não é graffiti, não tem mensagem, não tem arte, na melhor da hipóteses é um palavrão ou anacrónico Miguel Ama Sara, Sara Ama Rafael, Rafael Ama Cláudia….
O pior é que nem o Miguel, nem a Sara, nem o Rafael nem tão pouco a Cláudia se amam o suficiente para querer viver de uma forma mais digna…

14 comentários:

Anónimo disse...

Ó beleza

Então tu achas que é tudo educadinho e cumpridor como tu que quases que pedes licença para respirar.
Já estou como o outro que escreveu aí que és uma joaninha.
Joaninha, borboleta assim um bicho desses bonito e cheio de ilusões.
A malta é bruta!
O tuga arrota, cospe no chão, rouba o que não lhe faz falta, mija á esquina, risca o carro do vizinho, isso tudo!
Isto só lá vai á bordoada!

Beijão

Paulo el niño

Ana Camarra disse...

Paulinho, meu menino

Á bordoada não sei!
Mas que a falta civismo é uma coisa incrivél, é!
Não sou assim eterea como tu e o pduarte dizem, sou uma mulher de esperanças, não estou grávida, são esperanças que passam por uma sociedade melhor em todio em que estamos, os sentidos.
E mais civismo, mais respeito pelo meio em que estamos.
Achas que é impossivél?

beijos

Anónimo disse...

Anocas

Só tu!
Mas tens razão, ainda no outro dia ia tranquilamente atiram um saco de lixo de uma janela, será isto normal?
O povo português ainda não está suficientemente educado.
Maspronto, fofita, contnuas a escrever o que te vai na alma, isso é que é importante.
E se toda a gente fosse como tu isto mudava num instante.

beijos

Zé Manuel

mugabe disse...

Pois é Ana,....nem sei o que dizer...! será uma desesperança colectiva ??? um sentir que já nada vale a pena ??

Abraço!

Ana Camarra disse...

Zé Manuel - Daí a história da educação!
O que é transmitido é que os mafiosos, os que roubam, os desviam fundos, os que são pedófilos são impunes.
Portanto é o salve-se quem puder
o desrespeito total, por tudo!

Mugabe - Vale a pena!
Vale a pena despertar consciências e continuar a lutar por um Portugal e um mundo melhor.


beijos

salvoconduto disse...

Olha, pior, muito pior do que isso é o padre de S. Pedro da Cova, concelho de Gondomar. Por motivo de obras em casa fui obrigado a ter que viver por cerca de dois meses numa outra. É Sábado são 20h15m, há uma hora que o padre massacra os habitantes com uma missa através de uns POTENTES altifalantes, que mesmo que a gente não queira, mesmo que se feche tudo, entra-nos pela casa dentro e martela-nos, martela-nos a cabeça. Juro que o barulho das feiras ao pé disto não é nada. Parece que o padre está zangado com todo o mundo, ou porventura julga que é por via deste massacre que difunde a fé católica. Já tenho alguma idade, mas em toda a minha vida nunca vi algo parecido, surreal! À beira disto, os contentores e o lixo que os rodeia e que tanto abomino, parecem "jardins". E já está anunciar que amanhã às 10h30m há mais.

Será pecado meter um padre num contentor?

O sacana fala neste momento no respeito da palavra de Deus...

Desculpa teres levado com este comentário, mas foi a altura em que estava a ler o teu post.

Abreijo

Zorze disse...

Olá Ana,

é a civilização que temos.
A educação neste País são as telenovelas, a revista Caras, a Lux e o futebol.
Admiramo-nos porquê?

Beijos,
Zorze

P.S.: A ver se este entra!

Ana Camarra disse...

salvoconduto - Desabafa á vontadinha amigo!
Mas esse é um bom exemplo de falta de civismo impor as nossas ideias, á força aos outros.
Mas acho que não podes coloca-lo no contentor.....é lixo toxico!

Zorze - Pois é os valores estão nivelados muito por baixo e depois tudo muito rasteirinho!
Mas olha ao menos este comentário chegou cá.

beijocas

samuel disse...

Queres uma sociedade que não se ensina... tem que crescer dentro dos seres humanos desde o berço.

Abreijos

Ana Camarra disse...

Samuel

Quero, sim.
E acho que se pode ensinar.
Se conseguirmos criar uma geração consciente....

abreijos

Anónimo disse...

Ana: como te compreendo...
bjs
pbruno

Ana Camarra disse...

pbruno

Pois eu acho que não muito dificil de perceber, amiga, mas juro que não percebo que as pessoas façam estas coisas no seu habitat, os outros bichos perservam o seu.

beijocas

(a perninha?)

Anónimo disse...

infelizmente, há muito que o ser humano se "desligou" do meio natural, dos ritmos da natureza... achas normal que as pessoas não saibam em que fase da lua estamos, em que altura do ano são colhidos determinados frutos, etc etc?? ora, quem não conhece não pode amar, respeitar ou defender algo...
a perninha vai recuperando, lentamente... o gesso sai daqui a uns dias e depois, fisioterapia... beijinhos!
pbruno

Ana Camarra disse...

pbruno

Até há quem ache que os ovos são feitos numa fabrica e o leite nasce nos pacotes...
Já levei miudos a quintas ficavam impressionadissimos de ver tirar leite das vacas!

Ainda bem que a perna está melhor!

beijocas