quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Filhos e Cadilhos, Panelas e fundilhos....


Ontem um amigo em apuros técnico/informáticos mandou-me um mail pedindo-me apoio, zangado chamava a atenção para o facto de que eu já estava em casa aquela hora porque tinha passado pelo trabalho e eu já não estava.
Eram 19h40!
Pois claro já estava em casa.
Já tinha saído do trabalho, tinha ido á Livraria buscar os Livros escolares encomendados, tinha somado mentalmente essa verba á da revisão do carro, que tinha sido no mesmo dia.
O Livreiro, amigo de infância diz-me duas coisas “Paga-me em cheque ou dinheiro, porque senão tenho de pagar comissão bancária e isto está muito mau” e ainda “Ainda faltam alguns!”
Fui ao multibanco levantar dinheiro, á minha frente uma mulher atrapalha-se para carregar telemóvel, insiste engana-se, por fim dou-lhe algumas instruções, quando se conclui a operação o Cubo Zé diz o seguinte: “O seu saldo não lhe permite realizar a operação!”.
Foi impossível não ver, a mulher faz um olhar envergonhado, eu também!
Eram quinze euros!
Pago os livros, levo-os para casa, mais a mochila onde carrego o computador portátil, o caderno das reuniões, um mini necessaire para as eventualidades, o almoço…
Chego e vou para a cozinha, bato furiosamente um bolo, raspo cenouras, pico alhos…
A essa hora o meu amigo procurava-me on line, sendo que devia ter o jantar feito por outra mulher como eu…como tal chegou a casa e sentou-se no computador!
Depois vem o meu filho e repara “Mãe isto traz a Relíquia!”
Respondo “Sim, acho que é leitura obrigatória vem com o Livro de estudo!”
Não mãe, eu tenho de ler é o Frei Luís de Sousa
Resmungo um impropério!
Pois vem um livro diferente já acoplado ao livro de estudo, que custa um dinheirão, traz um livro que já tinha em casa e obrigam-me a ir comprar outro!
Não que ache que os livros são demais, longe disso!
Mas já tenho a Relíquia, não tenho o Frei Luís de Sousa, porque á época calhou-me o Eurico, o Presbítero!
Que raio de negócios são feitos com os editores de livros escolares!
Acham que são baratos os livros escolares?
Lá se acaba o jantar, lá vou ao computador, lá vejo os apelos…
É sexta-feira outra vez!
(esta imagem chama-se o Dificil malabarismo de ser mulher!)

18 comentários:

Anónimo disse...

Xiii Miuda

Estava a ver que não.
Olha a culpa é tua que tens a mania de ajudar toda a gente, deixa-os resolverem-se sozinhos!

Mas pronto és assim.
Isto está mau!
O ãmiguinho da Livraria é o Alemão?

Deve ser.

beijões

Paulo

Mac Adame disse...

É verdade, sim senhor, é difícil ser mulher em qualquer parte do mundo. Claro que em Portugal ainda é pior. Beijinhos.

salvoconduto disse...

Deixa-me dizer-te que a culpa também é de muitas mulheres, mães.

Não ensinam os filhos nas tarefas domésticas, porque "ai coitadinhos, são muito novinhos", "têem tempo".

Vai lá vai, os mesmos erros de gerações e gerações. Quando adultos, lá estão eles a telefonar para casa das mães..

Não me lembro de uma única tarefa que não tivesse que realizar em criança. A necessidade também a isso obrigava...

Um abreijo para todas as mulheres.

José Gil disse...

Passei só para dar um beijo... Agradecer a sua preocupação e dizer que já estou bom e de volta!!!

Bom fim-de-semana,

Ana Camarra disse...

Paulinho - O amigo da livraria é o Alemão, sim senhor.
Começas com coisas a dizer que sou parva por ajudar toda a gente, escusas de vir pedir batatinhas.


Mac - Em Portugal começa a ser mau ser qualquer coisa que não seja corrupto.

Ana Camarra disse...

Salvoconduto - O meu caso não é assim, os meus meninos fazem muita coisa: passeiam o cão, vazam o lixo e a reciclagem, tratam do quarto deles (embora de vez em quando vá lá dar uma achega), mudam os lençois, põe e levantam mesas e quando é preciso, colaboram a limpar o pó, a estender e a apanhar roupa.
Um pelo menos tem curiosidade pela culinária, o outro nem por isso.
Mas tens razão regra geral não se pede aos rapazes o mesmo que se pede ás raparigas e mais ainda não se espera dos homens o que se espera das mulheres.

beijocas

Ana Camarra disse...

José Gil

Não tem nada que aggradecer, por mim nunca ninguém estava doente, nem uma gripe.
Ainda bem que está melhor.

beijocas

è verdade eram beijos para o Mac e o Paulinho, lá em cima, esqueci-me.

poesianopopular disse...

Ana
Como é difícil o caminho até ao socialismo!
E...sem as mulheres,seria muito mais difícil!
Bjos

Ana Camarra disse...

José

Sem as mulheres vocês não faziam nada!
Eram uns tristes, vê lá se a tua alegria não são as tuas netas?

beijos

SENSEI disse...

Actualmente em Portugal, todos nós, os que trabalhamos por conta de outrem, mulher ou homem, os que têm o seu pequeno negócio, mulher ou homem, os estudantes, mulher ou homem, todos os profissionais, mulheres ou homens, SÃO MALABARISTAS.
Apenas os nossos governantes têm sido e são VIGARISTAS, OPORTUNISTAS, CHUPISTAS e outras coisas acabadas em ISTAS, como CORRUPTOS, mas nunca precisaram de ser malabaristas, apenas ILUSIONISTAS.

Ouss

AnA disse...

ana, cá estou eu para ler os teus brilhantes posts.

A imagem poderia chamar-se, "o delicioso papel de ser mulher".


Bjo

Ana Camarra disse...

Sensei - Ainda assim as mulheres são mais malabaristas, mesmo que sejam reconhecidas em casa nem sempre são lá fora.

Ana - Pois era, podia sim senhora. Os meus posts são as coisas que me passam na ginja.

beijocas

Zorze disse...

Ana, concordo com o teu post. As mulheres são umas verdadeiras heroínas nas sociedades contemporâneas. Trabalham as mesmas horas que os homens e em média ganham menos. Quando chegam a casa mais trabalho. A sociedade em geral ainda assume de que o natural é a mulher a ter de se encarregar das tais tarefas domésticas.
Essa mentalidade aos poucos já está a mudar, são cada vez mais, os que partilham as tarefas em casa. Mas a injustiça para as mulheres ainda é a predominância, infelizmente.
Sei que é difícil, mas como sempre te digo, tenta arranjar um tempinho só para ti. Para descansar.
Como o genial António Variações cantava - "O corpo é que paga".

Beijos,
Zorze

Diogo disse...

Também eu vou ter de desembolsar mais de 150 euros (o meu filho vai para o 5º ano).

Mas em vez das toneladas de papel que os pais compram todos os anos com as diferentes matérias, devemos passar rapidamente para o ebook reader:

O eBook Reader, modelo ETI-2, é um dispositivo electrónico portátil dedicado especialmente a leitura. Com um sistema inteligente, simples e atraente, o eBook Reader permite o acesso, a visualização e a leitura de documentos no formato electrónico, de um modo especialmente portátil, que o utilizador pode usar em casa, no escritório ou em trânsito. Com o eBook Reader, o utilizador pode ler uma variedade de livros, revistas, jornais, periódicos, manuais técnicos, relatórios corporativos, histórias em quadradinhos, páginas da Internet e tantos outros documentos que deverão estar disponíveis em versão eBook Editions [edições electrónicas]. O eBook Reader é uma verdadeira Biblioteca Electrónica Portátil.

Assim, em vez de todos os anos comprarmos resmas de papel, limitamo-nos a fazer o download dos novos programas escolares. A custo zero.

Johnny Drake disse...

http://revisionismoemlinha.blogspot.com/

Saudações!

Ana Camarra disse...

Zorze - Está a mudar, devagarinho é tudo devagarinho.
Vou tentar seguir o teu conselho e mimar-me.

Diogo - Conforme crescem assim cresce a fasquia. Quanto a essa alternativa parece interessante, mas para mim um livro é um livro, papoel impresso e encadernado dá outro gozo.


johnny drake -pois saudações também!

beijocas

beijocas

Fernando Samuel disse...

Exactamente: o difícil malabarismo de ser mulher...

Um beijo, camarada mulher.

Ana Camarra disse...

fernando Samuel

Aqui a camarada tem o portatil na cozinha vigia atentamente a sopa que irá encher uma caixa plástica para o almoço de amanhã e mais um tacho cheio de almondegas, enquanto vê os mails....

beijos