quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Ana, Ana que haces!?


Esta era a pergunta que o meu amigo Juan me fazia quando achava que eu exagerava….
Estou a ouvi-la hoje na cabeça, as recomendações médicas são simples: descanse, por favor descanse, não se esforce, não se enerve….
A parte do não se enerve é quase impossível de controlar, o resto até se pode.
O pior é que sou uma cabeça dura, que apesar de andar a aprender a gostar de mim, acho que tenho que viver ás golfadas numa voracidade animal.
Resumindo e concluindo, tenho feito enormes caminhadas a pé, não tenho de facto descansado o que poderia e o que deveria, ontem a mandei-me à bruta, praia, passeio pelo tal parque encantado de ponta a ponta, passeio nocturno loooongo.
O resultado está à vista, um cansaço descomunal, os meus órgãos internos a discutirem uns com os outros, as hormonas à chapada, o organismo a não obedecer, tenho de acalmar ficar sossegada, descansar.
Se não corro o risco de ficar ainda mais esgotada…
Ana, Ana que haces?!

9 comentários:

salvoconduto disse...

Olha que essa é a fadiga saudável, mas faz como o Juan te recomendava...

Haces cosas lindas estoy seguro.

Abreijo

Anónimo disse...

Lindinha, embora descansar não seja estar esticada ao comprido, tu precisas pôr freio aos exageros.Não precisas absorver tudo às golfadas. Tens que aprender a mastigar lentamente tudo o que te rodeia e a saborear....
Jokas
Ivone

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Ao fim de meia dúzia de dias o organismo habitua-se, pode crer. E depois, vai sentir a falta das caminhadas...

PDuarte disse...

Ana...descansa, vá!
Quero que regresses em forma porque te quero vêr outra vez a arremeçar as palavras com a força que elas precisam.

Zorze disse...

Então hoje descansa, para amanhã, voltares para mais caminhadas que fazem muito bem.

"Hormonas à chapada" - gostei dessa Ana.

Beijos,
Zorze

Capri disse...

O organismo habitua-se mas não precisa de ser desta forma tão rápida, dolorosamente, a não ser que queira mesmo esgotar-se nessa empreitada.
Persegue-a alguma assombração.
Sem ofensa!
Inté, Ana.

AnA disse...

Ana, duas palavras para ti......tau tau ;-).

resto de boas férias. aproveita com moderação

Atever disse...

Fazermos o que nos apetece pode até cansar o corpo mas é um óptimo calmante para a mente.
Depois o corpo habitua-se. Eu já começo a sentir a falta da ida a pé para a praia, das caminhadas na areia, dos passeios nocturnos à beira-mar...
A vida foi inventada muito antes do sofá.
Beijinhos e continuação de boas férias.
E "afinfa-lhe" com umas belas sardinhadas. eheheh

Ana Camarra disse...

Explicação para a geral, fui operada em Janeiro e supostamente tenho de descansar e não fazer esforços físicos.
A minha cabeça é que tem a mania que o corpo pode fazer tudinho igual, depois fico enrascada.

Salvoconduto – Fartei-me de ler e ouvir música agora à noite lá dei a minha caminhada.

Ivone – Já sabes que não sou assim um lago, é mais ondas.

Carlos Barbosa de Oliveira – Eu gosto de caminhadas, principalmente assim sem hora marcada.

Pduarte – Sempre um querido.

Zorze – Já voltei, mas é, as hormonas andam à chapada cá dentro, e glóbulos brancos com os vermelhos e as plaquetas. È uma guerra dentro de mim…

Capri – Não me persegue nada, os fantasmas que carrego são todos bons….

Ana – Num seijas axim pa mim

Atever – Ontem foi caipirinhas, hoje foi um jantar daqueles que adoro: vinho, pão malvado (aquele alentejano com o travo azedo), paio, chouriço, queijo, torresmo do rissol, anchovas….uma desgraça.

Beijocas