quinta-feira, 17 de julho de 2008

A Vida Fácil


Passei na estrada que liga Barreiro a Sesimbra e deparei-me com o espectáculo habitual da prostituição de beira de estrada.
Nada de novo.
Mas no entanto fico sempre chocada, por vê-las ali á torreira do sol com roupas diminutas e berrantes, algumas muito jovens, algumas já matronas, algumas com ar de toxicodependentes….
Cabelos oxigenados, micro saia, tops decotados, calções, saltos altos e a imprescindível mala
Nada de novo.
A quem me fale da prostituição organizada e regrada de países mais á frente como a Holanda, com certificados de sanidade e Bairro próprio para o assunto.
Para mim o sexo é intimidade.
Aquilo não é.
Dizem que é dinheiro fácil, vida fácil.
Não sei que misérias as empurraram para aquela degradação, não julgo.
Faz-me impressão os homens que ali param, alguns jovens, atraentes á primeira vista, carros topos de gama, reluzentes, se calhar com famílias.
Não considero que seja fácil, palmilhar a beira da estrada, com o corpo exposto, ter intimidades com homens desconhecidos, num banco do carro ou no meio da mata, sujeitas a taras e agressões.
Não tem o glamour do Moulin Rouge, nem dos serviços de luxo de acompanhantes.
Faz-me sempre impressão….

21 comentários:

Anónimo disse...

Ana

De facto é uma tristeza.
Mas ainda assim acho que era melhor a prostituição controlada como se faz na Holanda.
Dizem que é a mais velha profissão do mundo não deve ser facil a extinção.

beijocas

Augusto

Anónimo disse...

O pior é que estradas dessa existem em todo lado.
Com a crise que vai por cás desconfio que se vão tornar mais concorridas, com maior oferta.

Miséria, só miséria

Anónimo disse...

Miuda

Tens alguma coisa contra o Bairro da Luz Vermelha em Amesterdão?
EU NÂO
É um espectaculo
E não se tem peninha nenhuma das moças
Tenho é pena de ser um teso
Só vi montras

Agora essas da estrada é mesmo só desgraça.

Faz um escrito sobre as nossas férias em miudos, vá lá....purfavore

beijos muito grandes

Paulinho (El niño)

Rei da Lã disse...

Os políticos são bem piores!

SENSEI disse...

Era giro ver o Sócrates de micro saia a mostrar o rego numa estrada de camionistas, mais os seus ministros, penso que todos juntos, nem com perucas e muita base se safavam.
Mas tenham cuidado, que estes gajos por dinheiro, ainda colocam portagens de valor acrescentado nessas estradas, assim, uma vez que não conseguem uns cobres pela venda do corpinho, lá sacam de uma outra qualquer forma, é preciso é sacar a torto e a direito.

Eu brinco, mas o que é certo é que estas sociedades injustas e desajustadas face às necessidades das suas gentes, para benefício de apenas alguns, criam estas situações vergonhosas do mais baixo nível, apenas como garante da sobrevivência de uns, das dependências de outros a quem foi recusado um futuro, ainda da sobrevivência de quem se vê com filhos e sem emprego que garanta a subsistência.
Estes governantes não vêem que estão a plantar ventos que mais tarde se revelarão tempestades bem destrutívas?!... Que falta de tudo!

Anónimo disse...

Amigona

De facto tenho o mesmo sentimento que tu, fico com o coração apertado.
Já passei por fazes muito más na minha vida (tu sabes)e penso sempre qual teria sido o desespero que leva uma mulher a vender assim o corpo.
Não é nada glamouroso.
O sexo é bom como partilha com alguém que se quer.
Assim é pessimo...

penso eu de que...

beijos

Lena G.

ferroadas disse...

Claro que era preferível as casas de passe, prostituição sempre e houve e continuará a haver.

O problema quanto a mim é mais complexo.

Perguntas, o que leva estas mulheres a irem para a beira da estrada, sujeitas e tudo, para no final do dia entregarem o pecúlio (ou parte dele) ao chulo.

Por detrás daquilo que se vê, existem seres humanos com problemas complicados, em que o desemprego (muitas), as que sofreram violação em menores (algumas) e a degradação do ambiente familiar enquanto menores (pai/mãe alcoólicos e/ou sem saberem que foram, a genética tem muita força), fazem destas mulheres os “trapos” humanos que referiste. Mas serão só delas a culpa?

Também te digo, para mim tem mais dignidade uma prostituta (a que vende o corpo em troca de favores sexuais) do que aquelas (estas são putas) do jet-set que se metem debaixo do primeiro que aparece só para aparecer nas revistas do social….

Desculpa a linguagem

BJS

Zorze disse...

Com ou sem glamour, na práctica é a mesma coisa. Sexo pago.
Estas são as que a sociedade vê. Mas também existe as que vendem o corpo para obterem algo em troca (não é dinheiro, mas sim, status social ou profissional) como as do jet-set, nas empresas para subir de posto.
É a natureza humana.

Beijos,
Zorze

Atever disse...

Confesso: Só li os dois últimos posts. Tenho "carradas" de comentários e já me começa a arder a vista.

Pois eu acho os dois temas tão parecidos que deixo aqui o comentário que serve aos dois.
Miséria humana gerada por uma sociedade "besta" e iníqua, que despreza, completamente, os valores humanitários.
Beijinho.

poesianopopular disse...

É a miséria social,e mental é o negócio oportunismo, a droga a degradação, a propagação da HIV.
Mas...O vexame maior, é para o macho, que pela sua incapasidade de seduzir, paga.
Amor é partilha, sexo sem amor é negócio! berrrrrr, que nojo!

Anónimo disse...

Minha laranja amarga e doce
meu poema
feito de gomos de saudade
minha pena
pesada e leve
secreta e pura
minha passagem para o breve breve
instante da loucura.

Minha ousadia
meu galope
minha rédea
meu potro doido
minha chama
minha réstia
de luz intensa
de voz aberta
minha denúncia do que pensa
do que sente a gente certa.

Em ti respiro
em ti eu provo
por ti consigo
esta força que de novo
em ti persigo
em ti percorro
cavalo à solta
pela margem do teu corpo.

Minha alegria
minha amargura
minha coragem de correr contra a ternura.

Por isso digo
canção castigo
amêndoa travo corpo alma amante amigo
por isso canto
por isso digo
alpendre casa cama arca do meu trigo.

Meu desafio
minha aventura
minha coragem de correr contra a ternura.

Anónimo disse...

Então beleza, hoje não se bloga?

Anónimo disse...

Minha linda princesinha

Fico assustado porque está só apontada para coisas tristes.
Ri-te mulher.
Quando ris ris toda é um regalo.

Queres ver que tenho que mandar o Paulinho chatear-te?!

MM

Zé Ferradura disse...

Ana,

Também, por vezes, ali passo e acho lamentável!

Podem existir as "trabalhadoras do sexo" mas que sejam de forma profissional!

Quem ali vai não acha que pode contrair uma doença? Mas que elas lá estão e que para ali estarem é porque alguém as faz manter ali é verdade!

Bj
Zé Ferradura

Ju disse...

Olá Ana, é a primeira vez que aqui venho.
Gostei imenso do teu blog.
Este teu post daria pano para mangas... eu acho que à uns 20 anos atrás, muita mulher era miserável e tentava fugir a esta vida de prostituição.
Hoje, a grande maioria faz disto um luxo e "gostam" do que fazem.
Temos váris documentários que comprovam isso.
Depois acontece como em todas as profissões, uns ganham melhor, vivem melhor e têm melhores condições de trabalho que outros.
B.Ju

Rei da Lã disse...

Olha a Ju, por aqui...

goleador disse...

Não diria que é vida fácil.

Um misto de necessidade e de ginastica de cintura e pernas.

Ana Camarra disse...

Augusto – È uma certeza

Anónimo das 15h44-também me parece

Paulinho meu menino – Hei-de escrever, mas já sabia que ias ter esta reacção.

Rei da Lã – Nem todos Majestade

Sensei – Nem com perucas lá vão

Lena- Pois amiga estas coisas amachucam sempre

Ferroadas/Zorze- Mas dessas não tenho pena

Atever-Pois a Miséria Humana é que grassa

José (poesia)-Concordo

beijos

Ana Camarra disse...

Anónimo das 7h17 – Madrugador, não sei quem é, também gosto muito de Ary dos Santos

Anónimo das 11h53 –Blogue quando posso, quando quero e quando me apetece

Marinho Miguel – Obrigadinha

Zé ferradura – Elas dão-me pena, mas eles metem-me nojo

Ju – Bem vinda, venha sempre tenho muito gosto

Rei da Lã – Então as suas amigas são exclusivas, não me podem visitar?

Goleador – É outro aspecto da questão

beijos

Menina Idalina disse...

As publicas virtude e vícios privados da velha e caduca moral de um portugal decadente .
Não me faz impressão... REVOLTA-ME!

Gosto deste teu espaço
:D

Ana Camarra disse...

Menina Idalina

A mim também me revolta, também gosto muito do seu espaço.

beijoca