sábado, 5 de julho de 2008

Viagra ao quilo


A ciência não pára de surpreender-me.
Parece, que em certos aspectos, as coisas vão bem encaminhadas, falo as recentes descobertas cientificas que dizem que: o sexo é algo absolutamente saudável e benéfico, em vez daquelas coisas que nos tentavam incutir, que as meninas tinham de se manter castas e os meninos podiam ficar ceguinhos; o vinho tinto tem um papel reconhecido no bom estado do organismo; o chocolate faz bem ao coração; os fumadores não tem Alzheimer; o café também faz bem a qualquer coisa, que não deve ser à memória porque agora não me ocorre.
Enfim esta semana mais uma boa noticia: a melancia tem propriedades fantásticas, nomeadamente:

Sertralina, que por acaso é um antidepressivo muito utilizado no combate ás depressões e à ansiedade. E aqui estou eu para atestar isso, porque se não fosse um comprimidinho dessa droga por dia andava com muito pior feitio.
Agora com este comprimidinho diário a juntar aos outros 8 ou 9 que tomo a coisa vai mais ou menos controlada, tirando quando tenho reuniões muito cedo de manhã e o organismo ainda não processou a Sertralina, aí tenho discursos inflamados sobre o Código de Trabalho e outras coisas chamando a atenção para situações diversas qual Passionária inflamada.
È naquela hora que o pessoal pergunta de onde terá surgido esta mulher que até se parece com a Ana num dia e fúria e tempestade.
Adiante não deixa de ser boa noticia, os comprimidos são carotes mas apesar disso não me parece que vá começar a andar com uma melancia na mala, tenho a mala sempre cheia de coisas estranhas, mas a melancia não me parece…

A outra descoberta é que a melancia é um vasodilatador e com caracteristicas semelhantes ao Viagra, sem os riscos do Viagra em si.

Quem é amiguinha, quem é?

Agora é só descobrir o slogan ideal:

Uma fatia por dia não sabe o bem que lhe fazia.
Coma melancia para manter a alegria.
Seja de noite ou dia coma melancia.

23 comentários:

Atever disse...

Já tinha ouvido a história do Viagra mas não foi por isso que hoje, bem cedo, comi três talhadas da dita cuja eheheh.
É que tratando-se de um fruto raro cá em casa (ninguém, a não ser eu, se dá ao trabalho de comer um fruto deveras trabalhoso e mais cheio de surpresas que um ovo kinder. Por isso só compro metades).
Quando eu tinha 11 anos, no meu primeiro emprego havia uma das patroas que era médica e um belo dia achou que eu tinha umas cores doentias e, vai daí, deu-me uma consulta de borla (se fosse a pagar onde é que eu ia arranjar dinheiro?).
Então a senhora chegou à conclusão que o meu mal era fígado (como as girafas do Vasco Santana, naquele filme em que ele era estudante de medicina).
Então a senhora resolveu que eu tinha de deixar de temperar a comida com azeite. Mandou recado à minha mãe que comprasse óleo de girassol, mas como este era mais caro (isto foi na idade da pedra eheheh), a "velhota" mandou-a lixar e continuou a dar-me azeite, que ainda se comprava avulso (naquelas máquinas que tinham uma alavanca e um reservatório de vidro, para onde eu ficava a olhar, espantado, a ver o azeite a subir eheheh).
Nesse tempo as sardinhas também faziam muito mal e agora são do melhor peixe que há (há, mas pouco eheheh).
Isto se um gajo vai dar corda às ideias desta gente, elas vão mais alto que um papagaio de papel.
Beijinhos.

SENSEI disse...

Essa da melancia!... Eu conheci uns gajos no Alentejo que usavam abóboras, faziam um buraquinho à medida de cada um, nas abóboras ainda quentes da “esturreira” do sol e, pimba, mandavam o "zéquinha" às pevides. Por mim nunca os compreendi lá muito bem, aliás estávamos na idade das parvoeiras, 15 anitos, mas hoje, em análise retrospectiva, isso parece-me assim a modos como os que apascentam as ovelhas lá nas interioridades geográficas de Portugal e, que às duas por três a lã não é mais virgem, enfim, gostos e experiências do cara***.

Anónimo disse...

GRANDE MALANDRA!

Anónimo disse...

Anita

O pior é fazer uma noite romantica de copos e melancia, não se pode!
Estou a mesmo a imagina-la armada em Passionaria..
Olhe então ontem tinha um comentário tão giro do Rei da Lã, hoje já desapareceu?

bejinhos

Augusto

Anónimo disse...

COMUNA E TARADA!
E PELOS VISTOS MALUCA!

Eduardo disse...

Ana, Ana

As coisas que se lembra....
Mas vou experimentar!

Um beijo

Miss K disse...

Eu sabia que havia uma boa razão para eu adorar melancia :D

Eric Blair disse...

Por sorte não aprecio melancia, tenho é que tomar chazinho menta, caso contrário não saberia onde é que isto iria parar ahahahahahah

goleador disse...

Agora é que descobri a razão.
Comi muita melancia até aos 16. Sou da terra delas. Iguais às da foto.
Grandola.

Zé Ferradura disse...

Ana,

Assim que começar a ter o ponteiro a apontar para terra dedico-me ao cultivo da dita.

Um Post engraçado, sem duvida.

Bom fim de semana
Zé Ferradura

Ana Camarra disse...

Prof Atever- Tu vê lá também não abuses da melancia.
Agora estão sempre a mudar os conselhos de saúde, para melhor felizmente.
Lembro-me perfeitamente das máquinas do azeite que falas, como me lembram semelhantes para o petróleo nas drogarias.
Vê lá se arrebitas!
Beijinhos grandes


Sensei-Aboboras! Francamente se a Quercus e os Verdes sabem disso…

Anónimo 1-Sou um bocadinho.

Augusto-Foi um acidente apagar o comentário.
A única hipótese que me ocorre é beber primeiro e comer a melancia depois….


Eduardo - Experimente, não se perde nada

Miss K – Outra malandreca! Tenho de a linkar!

Eric – Não te fies muito no chá.


beijocas

Ana Camarra disse...

Goleador - Jogavas á bola com as melancias? Eu fazia concursos com os meus rimos para ver quem cuspia as pevides mais longe...

Zé Ferradura - è uma ideia, sim senhor.

Mac Adame disse...

A pior parte é que me deste um bom motivo para continuar a fumar. Mas acabei de me prometer a mim próprio que a partir de hoje vou comer mais melancia, não vá o diabo tecê-las, que isto com a idade nunca se sabe. Quanto ao vinho, fui um dos primeiros a descobrir as suas qualidades terapêuticas, e ainda antes de os especialistas o admitirem, já eu usava esse medicamento diariamente. Abraço.

Anónimo disse...

Bom dia ana,
é a primeira vez qu vou escrever no teu reservado, mas não resisti. Não ligo muito a fruta, e a melancia muito menos (é trauma mesmo), mas, existe sempre um mas, um chamado "cuzinho de melancia" ainda faz o mesmo efeito do viagra ou melhor ainda sem efeitos (cú)laterais...

jjay

Anónimo disse...

Ana

Olha apareceu outro parvo o melhor é não ligares muito.
Na sexta estavas muito bem, o vermelho fica-te bem, estive para te ir cumprimenar mas estavas muito acompanhada, fica para a próxima.

Esta da melancia é uma informação preciosa.

Ana Camarra disse...

Jjay

Nós logo conversamos, nos caracois, eu já sei que não ligas a fruta nem doces é mais outras coisas...
Mas vem cá quando quiseres, escusas de me telefonar a fazer observações aos meus textos, escreves aqui...

Até já

Ana Camarra disse...

Mac

O melhor é o pessoal fazer o que lhe dá prazer nos limites do razoavel, senão isto é uma grande tristeza´.

beijoca

Ana Camarra disse...

Anónimo

Por muito acompanhada que eu estivesse, enho sempre espaço para os amigos.

CRN disse...

Melancia, fruta indispensável!

Manu Chau, está bien.

Ana Camarra disse...

crn - Ainda bem que gostas.

Watchdog disse...

Também estamos aqui:

http://kldt.blogspot.com/

:-) Obrigado!

Marreta disse...

Ehh, isto hoje à noite vai ser um estoiro. É que hoje já comi pelo menos metade de uma melância, das bem grandes.
Com as novidades que referes, acho que vou recomeçar a fumar, duplicar o número de cafés e triplicar o tintol.
Saudações anti-químicas do Marreta.

Ana Camarra disse...

Watchdog-Já fui ver.

Marreta-Tu vê lá também não te desgraces....