quarta-feira, 2 de julho de 2008

Um espanto


Alguém me enviou por mail um recorte do jornal Público que me deixou estarrecida.
A noticia de 29 de Junho é simples e pequena –“O senado Americano só sexta feira (27 de Junho) votou uma lei que retira o ex-Presidente Nelson Mandela e o seu partido, o Congresso Nacional Africano, da lista Norte Americana do terrorismo”.
Fiquei a olhar e tive de ler e imprimir e tornar a ler.

Nelson Mandela é uma personagem incontornável do século XX, na luta pelos Direitos Humanos apenas comparável a Ghandi ou Martin Luther King.

Nelson Mandela deu um exemplo de coragem, dignidade e abnegação ao mundo, não só através do seu longo cativeiro, de 1962 a 1990, tendo recusado a libertação condicional em 1985 que era concedida a troco de uma renúncia em lutar contra o Apartheid, sob qualquer forma.

Nelson Mandela foi preso com o apoio da CIA.

Nelson Mandela após ser libertado e eleito como Presidente da África Sul, recusou a vingança sobre quem o tinha encarcerado.
Nelson Mandela foi agraciado com o Prémio Nobel da Paz.

Durante décadas milhões de pessoas revoltaram-se contra o sistema vil imposto na Africa do Sul, lá mesmo eram massacrados, no resto do mundo dito civilizado e ocidental eram os movimentos de cidadãos que clamavam, os Governos no geral mantiveram-se mudos e quedos durante décadas.

Artistas internacionais recusaram a actuar na Africa do Sul.

Mas de facto os governos não abriam bicos, calados e coniventes com o sistema que permitia a segregação pela cor da pele.

Os Governos e Presidentes dos Estados Unidos da América mantiveram um silêncio tumular enquanto puderam, só quando foi insustentável frente á opinião pública demonstraram timidamente a sua condenação.

Registe-se que os Governos e Presidentes dos Estados Unidos da América, o país que chama a si próprio o papel de Policia da Democracia do Mundo, país que invade países contra resoluções da ONU, o país que invade o Panamá para raptar o seu Presidente, aliás mais um monstro criado por si, ofereceu-nos ainda Bin Laden, os Talibans, Sadam Hussein, entre outros.
Mais ainda prendem pessoas sem julgamento, ao abrigo de uma pseudo luta contra o terrorismo, numa prisão criada em território de outrem, transportando esses presos sem julgamento em voos sem autorização sempre sobre céus de outros.

Mais uma maravilha dos policias do mundo.

18 comentários:

Anónimo disse...

Fantástico, como sempre.

Eduardo disse...

Anita

Mudas de assunto como quem muda de camisa, sempre com uma acutilância impressionante.

De facto mais um facto vergonhoso para os Paladinos da liberdade.

Beijos

Anónimo disse...

Ana

Aqui está uma vez mais um assunto pertinente.
Como é possivél.
De não esquecer que a USA manteve um sistema parecido, até meados dos anos 60, em parte dos seus estados.
Depois Kennedy interveio e deram-lhe com um tiro na cabeça.

grande som

Beijocas

Augusto

Capitão Merda disse...

Nem me fales nos americães, Ana, que não posso com tais cabrões!

Anónimo disse...

Ana

Tenho seguido, de umas semanas para cá a evolução do seu espaço.
Sou Barreirense, Camarro também, conheço-a á muitos anos.
Nunca fomos amigos, mas temos alguns amigos em comum.
Politicamente estamos muito distantes.
Mas não posso deixar de elogiar este seu espaço: pela poesia, pelo bom gosto, pelo bom senso, pela música e imagens escolhidas, pelo seu íntimo partilhado e acima de tudo pelos belos e bem escritos textos.
Quando nos cruzamos (e são muitas vezes) cumprimentamo-nos com um acenar de reconhecimento e um Bom Dia, Boa Noite ou Boa Tarde.
È verdade que já foi uma brasa, lembro-me bem, mas deixe dizer que continua a ser uma mulher muito interessante, apesar desses quilos a mais, que já percebi (até pelos amigos comuns) que são fruto da sua doença.
Mas aproveito para dizer que está mais magra.
De todos os textos elegi um conjunto que me parece particularmente bonito: “E agora algo completamente diferente” (2 de Junho de 2008) extremamente divertido e sensual; Banal (21 de Maio de 2008) pela sua poesia; “Colo” (21 de Abril de 2008) pela sensibilidade; “Coisas Perdidas e Achadas” (13 de Março de 2008) pela a sua beleza; “É uma quarta de marmelada” (14 de Abril de 2008), “Brincar na Rua” (1 de Abril de 2008) e “Bolas de Manteiga” (18 de Março de 2008), que me trazem as memórias de infância, de uma infância barreirense de uma forma bem-humorada, por fim o texto “Voltei” (13 de Dezembro de 2008), quase cinematográfico, fabuloso e ao mesmo tempo cheio de encanto e desencanto.
Por fim não falo dos recentes porque quem cá chega não deve resistir em visitar pelo menos as duas páginas.
Quando nos cruzarmos numa noite destas direi apenas “O Anónimo Barreirense sou eu!”.
Muitos Parabéns e acima de tudo muito obrigado.
Há muito mais em si do que aquilo que aparenta.

Permita-me enviar um beijo, minha amiga

(Anónimo Barreirense)

Anónimo disse...

Ana

Que posso dizer?
Fabuloso, só tenho pena que seja comuna!

Fátima disse...

Ana

Todos os dias uma surpresa.
Está já marcada nos meus favoritos.
Todos os dias a visito.

Um beijo

Eric Blair disse...

será que o mugabe está na lista norte americana do terrorismo?

Atever disse...

Pertinente e incisiva, como já nos habituou. E não tenho pena que seja comuna assim como não teria pena se fosse médica, advogada, juíza, escritora, bordadeira ou camponesa.
As “grandes” pessoas não se escondem por detrás de títulos. São "enormes" pelo que são.
Beijinho.

Anónimo disse...

Giro!
Bom!
Muito Bom mesmo!
Também não tenho pena de ser comuna.
É de certeza uma grande mulher, uma grande pessoa!

Um grande BEIJO

CRN disse...

Muito bom.. Para nao variar!

(A musica, já foi melhor)

Ana Camarra disse...

Agora são muitos vou dar resposta por lotes

Anónimo 1/Eduardo/Fátima/Anónimo 4 – Obrigado

Augusto-Obrigado e é bom pormenor que acrescenta

Capitão Merda-Pois é meu amigo!

Anónimo 2- Livra que fiquei toda babada. Se me conhece sabe que lido bem com ideologias diferentes, por favor quando nos cruzarmos apresente-se. Ainda bem que gosta.

Anónimo 3-Temos pena que não goste que eu seja comuna, mas sou!

Eric-Num sei, pá!

Atever-Obrigadinha Prof., o teu post lá no teu estamine está uma delicia, eu comuna, agradeço. Vê se gozas bem este dinheirinho.

Crn-Obrigado, a música é andares uma para a frente e tens o Biko do Peter Gabriel, gostas?


beijocas

SENSEI disse...

Para não falar dos barcos prisões que a maior democracia neo-liberal do mundo criou para que naveguem em águas internacionais, onde torturam e matam indiscriminadamente ao abrigo do combate ao terrorismo, com o aplauso da UE.
Acabou-se-lhes os arqui-inimigos Russos ou Soviéticos, logo se apressaram a ver nos Muçulmanos um novo target que justifique a sua política Internacional baseada na intimidação militar e na corrida assassina ao fabrico de armamento, de forma a manterem esse negócio como o nº 1 do mundo e, o tráfico de droga em 2º lugar.
Puro terrorismo de Estado, "made by USA & EU"

José Gil disse...

É realmente um facto preocupante e demonstrativo do estado da política americana. No entanto não existe ou existiu nenhum governo de qualquer quadrante político no mundo que não tenha cometido factos destes.

Continue comunista porque assim dar-me-á o prazer de continuar a debater consigo toda a actividade política seja ela local, Nacional ou internacional.

E já agora retribuo o gesto e adicionei-a à minha lista de Aventuras amigas.

Um bem haja.

Zé Ferradura disse...

caríssima Ana,

Envio-lhe isto:

"Washington, 2 de Julho de 2008 - O prêmio Nobel da Paz, Nelson Mandela, ícone da luta contra o apartheid e ex-presidente da África do Sul, teve o nome retirado ontem de uma lista negra americana sobre o terrorismo, por meio de uma promulgação feita pelo presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, de uma lei neste sentido."

Se entenderem comentar...

Para mim é NO COMMENTS!

Uma saudação especial para a Ana
Zé Ferradura

ferroadas disse...

O teu post não podia ter melhor sentido de oportunidade, ainda hoje, nas várias TV's, passou uma peça em que uma senhora negra, morreu na sala de espera de um hospital dos USA's sem que ninguém lhe prestasse socorro, quando lhe acudiram já era tarde. Sim, ainda existe (e bastante) racismo por lá, se fosse num qualquer hospital para ricos tal não acontecia.

BJ solidário

Ana Camarra disse...

Sensei – Esqueci-me desses pormenores ou talvez não. São tantos desgostos que é demais enumera-los.

José Gil – Esteva descansado que continuarei comunista. Quanto ao resto é assim…

Zé Ferradura – Palavras para quê. È uma tristeza, Recomendo-lhe para ler o texto hilariante do blogue Recomeçar (está linkado aqui), sobre qualquer coisa como “Graças a Deus que acabaram os comunistas”, é de ir ás lágrimas. Depois diga!

Ferroadas-Também vi isso, deve ser o que estão a preparar para os tugas.

Beijinhos a todos

CRN disse...

Então não, Peter Gabriel, muito bem.

No relativo à morte da cidadã americana, àparte de que nem sequer os outros pacientes lhe fizeram caso (e isso sim que não tardando muito se poderá verificar em Portugal), a morte, por abandono ou negligência grave, nos hospitais Portugueses, é já uma realidade, pena é que os últimos 33 anos tenham servido para adormilar o instinto, já quase ninguém tem voz, já quase não nos cumprimentamos na rua, já quase só nos rimos com as desgraças alheias.

Força!