sexta-feira, 18 de julho de 2008

O jantar do meu amigo


Este texto é dedicado ao meu amigo JJay.
Tal como o texto de “Cozinhar”.
O meu amigo é um portento, amigo há mais de vinte anos, posso contar com ele para tudo.
Devo-lho imensos favores, carinhos, preocupações que tem comigo, berbicachos que me resolve.
Não é um amigo de passar com a mão pelo pêlo, exige sempre mais um pouco de mim com a convicção de que eu sou capaz de fazer sempre mais e melhor.
Preocupa-se com a minha saúde e bem estar ao ponto de me arranjar férias este ano, férias á medida das minhas disponibilidades e vontades.
Atendendo ao empenho que tem em proteger a minha saúde, já adivinho umas férias cheias de miminhos gastronómicos.
Com frequência fornece-me o lanche, a mim e a outra desgraçada, porque sabe que o tempo voa e nós esquecemo-nos de comer.
Cozinha muito bem!
A Maria dele não se rala com esse sector!
Cozinhar descontrai, como ele diz.
Pedi-lhe para me mandar um foto de um cozinhado para postar, mandou acho eu, na dúvida que eu o fizesse.
Este foi jantar dele hoje.

Beijo Grande Amigo

16 comentários:

Anónimo disse...

Irra granda elogio, o gajo deve ser mesmo especial a avaliar pelo prato.

Anónimo disse...

Olá Ana,

realmente a vida é gira, "há mais de vinte anos" como o tempo passa, muita coisa temos vivido, bons momentos outros nem tanto assim, tivemos ao longo destes tempos diversos ganhos, mas também perdas de pessoas que nos eram/são muito queridas. Os favores não se devem, e se assim fosse numa balança acho que empatávamos. A exigência sempre fez parte do nosso relacionamento, conhecemos as potencialidades de cada um e, porque não contar, sabemos tirar partidos delas de uma forma salutar. Quanto ás férias vão ser isso mesmo, um momento delicioso, a sete e meio vamos gozar muito, brincar, passear, comer e beber. Um dia destes tens convite pra jantar...

beijos AMIGA
jjay

salvoconduto disse...

Quem tem um amigo tem tudo.

Bonito teres aqui o Milton na tua caixinha de música!

Ana Camarra disse...

Anónimo - è mesmo um amigo especial e merece todos os elogios.

JJay-É muito bom ter amigos como tu.

Salvo Conduto - O Milton é uma maravilha.

beijocas

Anónimo disse...

Foi para ti que criei as rosas.
Foi para ti que lhes dei perfume.
Para ti rasguei ribeiros
e dei ás romãs a cor do lume.

Anónimo disse...

Miuda

Madruguei, salta-me o amigo cozinheiro..
Férias em gaiatos nada.
O comer tem bom aspecto, vê lá se eu também me posso juntar, juro que me porto bem.

Quem é camelório que te manda poemasinhos, deve de te conhecer a avaliar pela selecção...

Dou esta informação, a gaja não muito dada a rosas....


ehehe

Já estás preta, não tenho conseguido apanhar-te


beijões

el ninõ

farfalho, o maltês disse...

Camarrada,
Este post se for visto no Sudão,
papam-te o monitor.

Ana Camarra disse...

Paulinho, meu menino-Ainda pensei a beber um café contigo hoje mas já não deu, fica para outro dia.
Já te estou a ouvir, tenho sempre tempo para tudo menos para o que é importante!


Anónimo das 9h17 - Obrigado também gosto de Eugénio de Andrade, não sei porquê tantos poemas de brinde. O Paulinho tem razão as rosas não são as minhas flores preferidas, quanto ás romãs, gosto.

Farfalho, o maltês-Deves ter acordado da sesta! O pior é que mesmo cá já começa a ser uma especie de Sudão.

beijos

SENSEI disse...

Então foi bife?!... Ganha-se bem e come-se melhor!
Pois sim, que grande invenção essa do ananás com as natas, ou será que é bechamel?!...Ainda salsa, sim senhor jjay, não há batatinha frita?

Ana, faz bem ao ego ter uns admiradores que passam a vida a te oferecer poemas, desta foi Eugénio de Andrade, não tarda ainda recebes flores...anónimas, mas olha aproveita, desde que não sejam rosas, mas sim geribérias, malmequeres, cravos, margaridas, enfim, desse género!... Fica a dica.

Oh Farfalho, quanto muito comem a imagem, pois o monitor será do esfomeado.

Alexandre disse...

Ana

Permita-me entrar neste seu espaço.
Venho cá com assiduidade, nunca tinha comentado, por receio de não gostar que viesse aqui um perfeito desconhecido.
No entanto vejo que é uma pessoa amavél que recebe bem todos os comentários, de amigos, conhecidos mais e menos de amigos, amigos que lhe querem bem sem duvida, deve ser uma pessoa bonita por dentro e por fora, não tenho dúvida.
Poemas que lhe mandam, não fazem mal, devem de ser de carinho.
Mandaria eu poemas se tivesse conhecimentos para tal.
Permita-me que lhe mande um ramo de flores silvestres aqui dos meus Traz os Montes (flores virtuais).
Estou a construir um blogue que dar-lhe-ei conta quando tiver pronto, talvez me possa dar uma visita?

Fatima disse...

Aninhas

Gosto tanto do seu espaço.
Venho cá todos os dias, os seus pontos de vista são muito parecidos aos meus.
Só lhe queria mandar um grande abraço.

Eric Blair disse...

vou jantar a casa de amigos, levo duas de duas quintas (soa mal mas sabe bem), as expectativas são grandes ...

poesianopopular disse...

Ana
Amigo , é para isso mesmo!
Abraço

Anónimo disse...

Olá,

serão cravos vermelhos sem dúvida Sensei, daquele vermelho forjado na luta desta terra operária por alguns dos mais elementares desejos do Homem: A Paz, o pão, a habitação, Educação e Liberdade. E houve uma batatita frita, a salsa, são coentros e é um molho de pimenta feito numa base de bechamel...
Quanto ao Alexandre, é uma Mulher fantástica mesmo, amiga de seu amigo, uma Mulher justa e solidária que no seu dia-a-dia trava uma batalha enorme por uma melhor sociedade. Uma mãe, uma esposa que dentro da disponibilidade tenta ser o mais presente possivel. Tem um marido e uns filhos impecaveis.

JJay

Ana Camarra disse...

Sensei - Cravos só os rubros por simbolismo, de resto não aprecio muito. O JJay é assim.

Alexandre-Venha cá sempre que quizer, tenho muito gosto, quando estiver o Blogue pronto diga, com toda a certeza que faço uma vizita.

Fátima- obrigado

Eric - Dito assim soa mal mas se forem 2 Quintas de bom beber é optimo.

poesia-Pois é, ainda bem que tenho este e outros, já agora uns virtuais como tu.

beijos

Ana Camarra disse...

JJay

PORRA agora fiquei toda babada caramba!

beijos (já agora á gaja, á Milka, ao puto da crista e a tu madre)